Artigos e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Análise de Solo: Ferramenta Indispensável para a Agricultura

O aumento da demanda por alimentos, fibra e energia, faz com que a agricultura assuma um papel cada vez mais importante no cenário mundial. A necessidade de produzir cada vez mais, e de forma sustentável, é um grande desafio para técnicos e produtores. O uso eficiente dos recursos naturais como terra e água e dos insumos, principalmente fertilizantes e defensivos, tornou-se objetivo essencial para a agricultura.


Existem três formas para aumentar a produção: aumento da área cultivada, aumento da produtividade e maior intensidade de cultivo. O Brasil é um dos poucos países que podem contribuir efetivamente para isso, já que possui a maior extensão de terras agriculturáveis no mundo, produtividade  média  que pode ser melhorada na maioria das culturas e clima favorável, que permite que se faça mais de uma safra por ano. No entanto, em qualquer dos casos, existe a necessidade de se utilizar doses elevadas de corretivos e fertilizantes, já que a maior parte dos solos brasileiros, principalmente os da região do cerrado, apresentam  baixa disponibilidade de nutrientes para as plantas, além de condições adversas como acidez e altos teores de alumínio.


Uma das grandes preocupações para o país é a sua alta dependência na importação de fertilizantes minerais, que passará dos 65 % atuais para  85 % em 2025, tornando o país extremamente vulnerável às oscilações de preço do mercado internacional. O aumento do preço dos fertilizantes poderá pesar bastante nos custos de produção, sendo, portanto, de fundamental importância que seja usado com a máxima eficiência. O seu uso de forma correta promove  o aumento da produtividade das culturas e do lucro do agricultor, além da preservação dos ecossistemas, já que a necessidade de terras para produzir será menor. Porém, aplicações incorretas desses insumos podem afetar negativamente não só a produtividade, como também causar danos ao meio ambiente, prejudicando principalmente a qualidade do ar e da água.


Para se ter uma boa eficiência na aplicação de corretivos e fertilizantes, alguns fatores devem ser levados em conta, como as necessidades nutricionais da cultura, a marcha de absorção de nutrientes, fertilidade atual do solo, histórico da área e produtividade desejada, sendo que as necessidades nutricionais e a marcha de absorção de nutrientes são conhecidas para a maioria das culturas. Portanto, a determinação da fertilidade atual do solo é de fundamental importância, tendo influência na qualidade de todo o processo produtivo.


A principal ferramenta utilizada para avaliar a fertilidade do solo é a análise química. Apesar de algumas limitações metodológicas, como problemas na representatividade da amostra, na padronização de extratores químicos empregados e dos valores críticos de nutrientes estabelecidos para o solo e folha, é o método mais rápido, preciso, seguro e de menor custo, servindo de base para o uso racional de corretivos e fertilizantes.


A aplicação de subdoses de fertilizantes faz com que a planta não atinja todo o seu potencial de produção, e a aplicação em excesso pode, além de elevar os custos de forma desnecessária, poluir o meio ambiente. Apesar disso, alguns agricultores ainda fazem a recomendação para a aplicação de fertilizantes e corretivos baseada em experiências de anos anteriores, sem levar em conta a fertilidade atual do solo. Vejamos alguns exemplos dos erros que ocorrem, frequentemente, com essa prática: um agricultor considera que sua propriedade apresenta um valor de fósforo médio, fazendo então uma aplicação  de  50 kg/ha de P2O5. A análise de solo revelou na área 1 da propriedade, valor de fósforo baixo, na 2, médio e na 3, alto, requerendo doses  de 70, 50 e 30 kg/ha de P2O5 respectivamente. Comparando as doses indicadas pela análise química do solo com a dose média utilizada pelo agricultor, sem o uso da análise de solo, teríamos na área 1 uma aplicação de fósforo em quantidade menor que a necessária, reduzindo o potencial de produtividade. Por outro lado, teríamos na área 3, a aplicação de uma  dose de fósforo maior que o necessário, sendo que apenas a área 2 recebeu a quantidade correta. Portanto, com a simples transferência da quantidade extra de fósforo da área 3 para a área 1, o agricultor aumentaria a produtividade com a mesma quantidade de fertilizante.


Outro exemplo prático é no uso de corretivo de acidez. Um agricultor aplicou 4,0 t/ha de calcário na última correção do solo. Sem fazer uma nova análise de solo, ele reaplica a mesma dose, sendo que a quantidade correta, mostrada na análise de solo é 2,0 t/ha. Esse excesso de calcário, além de aumentar desnecessariamente os custos, pode causar a diminuição na disponibilidade de alguns nutrientes no solo, reduzindo a produtividade e aumentando ainda mais os prejuízos do agricultor.


Esses dois exemplos mostram como a análise química do solo, uma ferramenta simples e acessível a todos é importante em uma agricultura competitiva e sustentável: ela auxilia o agricultor, aumentando a  produtividade e  reduzindo os  custos, além de proteger o meio ambiente, ajudando a preservar os recursos naturais. Lembrem-se: o cuidado dedicado à terra reverte-se em produtividade.  Façam análise de solo!


Adaptação: Revista Agropecuária

Fonte: Portal dia de Campo

Adaptação:   Equipe CPT Cursos Presenciais

Autor(a): Luis Eduardo Rissato ( Eng. Agrônomo e Professor da FATEC)

Data: 19/05/2011


Quero receber promoções
  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut

Artigos relacionados!
Gostaria de receber informações sobre nossos cursos? Preencha os campos abaixo:





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
Preencha os campos abaixo para receber informações completas de promoções e descontos.





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro