Artigos e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Cana-de-Açúcar Reduz Custos na Alimentação de Bovinos Leiteiros

No período de seca, os produtores buscam por alimentos ricos em nutrientes para os animais, a fim de suprir a falta do pasto. Mas esses alimentos precisam ter baixos custos. Nessas condições a cana-de-açúcar representa uma ótima opção. Sua  cultura exige pouco investimento inicial, poucos tratos culturais, produz mais forragem que qualquer outra gramínea conhecida, tem ótima aceitação pelos animais e seu melhor valor nutritivo ocorre exatamente no período seco do ano. Não há muita distinção entre as variedades da planta, o produtor pode plantar a que tiver mudas disponíveis próximas à sua propriedade.

No entanto é interessante que o produtor tenha pelo menos três variedades com períodos de maturação diferentes, assim o produtor poderá colher a planta em seu pico de produção de açúcar, quando tem menor concentração de fibras e caracteriza condição ideal para alimentação dos animais.

A cana-de-açúcar caracteriza um ótimo alimento e com baixos custos. Mas sozinha não é capaz de proporcionar uma alimentação completa em nutrientes para bovinos leiteiros. Por isso é importante complementar a alimentação, repondo os nutrientes faltosos. A cana é rica em energia, mas possui baixos teores de proteína e minerais, como enxofre, fósforo, zinco e manganês.

Recomenda-se que sejam usados como complemento a uréia, sulfato de amônia e fontes de nitrogênio não protéico e de baixo custo. Em razão do alto nível de sacarose a junção desses componentes à cana-de-açúcar causa uma reação altamente fermentável que gera um aumento no teor de proteína. Com a adição de 1 quilo de ureia para cada 100 quilos de cana-de-açúcar (peso fresco), o teor de proteína na forragem aumenta de 2%-3% para 10%-12% na matéria seca.

Mas ao contrário do que muitos produtores pensam que a uréia não é um complemento obrigatório para a cana. Ela pode ser substituída por outra fonte de nitrogênio que gera proteínas para os animais. Também podem ser usados farelos de soja, algodão e trigo.

É importante ressaltar que para animais com produções leiteiras superiores a 10 kg de leite por dia torna-se quase obrigatório o uso de suplementos concentrados na dieta a base de cana-de-açúcar, para manter o nível de produção.

A alimentação das vacas leiteiras é o principal entrave na produção animal em pastagens. O fornecimento de alimento de qualidade aos animais é condição indispensável para se obter maior retorno econômico nas atividades produtivas. O animal produz de acordo com o que come. Se ele come pouco, produz pouco, não tem como ser diferente.

A vaca em lactação é, dentro do rebanho, o animal mais exigente em termos de alimentação. Além das atividades de manutenção, comum aos outros animais do rebanho, as vacas em lactação precisam de energia para produzir leite para o bezerro e para o produtor e ainda gerar mais um bezerro para o rebanho. Para isso ela necessita de uma alimentação de qualidade.

 

Acesse: www.revistaagropecuaria.com.br

Fonte: Agron

Adaptação:   Equipe CPT Cursos Presenciais

Autor(a): Revista Agropecuária

Data: 31/01/2012


Quero receber promoções
  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut

Artigos relacionados!
Gostaria de receber informações sobre nossos cursos? Preencha os campos abaixo:





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
Preencha os campos abaixo para receber informações completas de promoções e descontos.





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro