Artigos e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Digestão nos Bovinos

Os bovinos têm em seu aparelho digestivo o rúmen e o retículo, dois órgãos onde bactérias e protozoários fazem a maior parte da digestão das fibras, liberando energia, proteínas, minerais e vitaminas. É a chamada digestão microbiana. Mas eles também têm um estômago normal, onde os alimentos não – fibrosos e o produto do alimento processado no rúmen é digerido.

 

Durante a digestão, parte do material que está no rúmen é regurgitado para a boca do animal, sendo novamente mastigado, num processo conhecido como ruminação, no qual o alimento é reduzido a partículas bem pequenas. Na ruminação, o tamanho das partículas das folhas, dos talos e outras fibras ingeridas, quando da preensão da forragem, é reduzido, o que leva a um aumento do desempenho da digestão.

 

Para que o rúmen funcione normalmente, pelo menos 30% da matéria seca total ingerida pelo animal deverá ser proveniente de alimentos fibrosos que são os volumosos. Se o volumoso consumido não é suficiente, ocorre um aumento da concentração de ácidos lático no rúmen, o que causa distúrbios fisiológicos indesejáveis.

 

Aproximadamente metade dos nutrientes ingeridos por um bovino são usados para sua mantença. O restante é destinado á produção de leite ou de carne.

 

Devemos considerar também que os bovinos podem ser alimentados exclusivamente com volumosos, mas não podem ser alimentados exclusivamente por concentrados, apesar da maior qualidade nutricional desses alimentos.

 

Outro aspecto a considerar é a digestão da fração seca do alimento varia conforme a espécie animal que consome. A taxa de digestão de um alimento é chamado de digestibilidade, cuja variação é verificada pela quantidade de nutrientes, proteínas, energia e vitaminas, aproveitados efetivamente pelo animal, e que não se perderam nas fezes. De uma forma prática, podemos dizer que quanto menos a digestibilidade de um alimento, mais lento é seu processo de digestão. Isso determina que o aparelho digestivo do animal permaneça mais tempo cheio, reduzindo o consumo de novas porções de alimento. Além disso, as perdas de nutrientes nas fezes são maiores. Se a digestibilidade é alta, ao contrário, os nutrientes são mais bem aproveitados, a digestão é mais rápida, abrindo espaço no aparelho digestivo para ingestão de maior quantidade de alimentos. Isso nos leva a concluir que a qualidade de um alimento tem relação direta com a facilidade de digestão oferecida por ele, a uma dada espécie animal.



 

Fonte: PRADO,Gilmar Ferreira; Alimentação de Gado de Corte, Viçosa- MG, CPT,2004.

Adaptação:   Equipe CPT Cursos Presenciais

Autor(a): Equipe CPT Cursos Presenciais

Data: 02/06/2010


Quero receber promoções
  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut

Artigos relacionados!
Gostaria de receber informações sobre nossos cursos? Preencha os campos abaixo:





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
Preencha os campos abaixo para receber informações completas de promoções e descontos.





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro