Artigos e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
 Azotemia x Uremia

Azotemia é a alteração bioquímica caracterizada laboratorialmente pela elevação sanguínea de compostos nitrogenados não proteicos (ureia e creatinina, normalmente eliminados pelos rins) por diminuição da taxa de filtração glomerular e consequente redução na excreção urinária desses compostos. É detectada quando há perda funcional de aproximadamente 66 a 75% da capacidade funcional dos néfrons. As causas de azotemia podem ser de origem pré-renal, renal ou pós-renal.

Alguns fatores pré-renais causam azotemia por diminuição do fluxo sanguíneo aos rins, como desidratação, hipotensão e insuficiência cardíaca, podendo resultar em alteração óbvia da função renal que rapidamente é revertida por meio de fluidoterapia.

Alterações hemodinâmicas intra-renais, como constrição de arteríolas aferentes, podem estar presentes sem a presença de sinais clínicos, sendo de difícil diagnóstico.

 Fatores pós-renais, como obstruções renais, ureterais, vesicais ou uretrais e/ou extravasamento urinário para o interior da cavidade abdominal, geralmente são detectados clinicamente, sendo solucionados após a desobstrução e correção clínico-cirúrgica, respectivamente.

O paciente, sem sinais clínicos, mas com elevação da concentração sanguínea de compostos nitrogenados não proteicos é considerado azotêmico e não urêmico.

Uremia, por sua vez, é a manifestação clínica de severa azotemia, ou seja, ocorre quando os sinais da insuficiência renal estão presentes em um paciente azotêmico. Os sinais clínicos associados à uremia incluem anorexia, vômito, diarreia, hemorragia gastrointestinal, estomatites ulcerativas, letargia, tremores musculares, convulsões, coma, hipertensão, perda de peso e hálito com odor amoniacal.

Insuficiência renal designa quadros em que há perda irreversível de função renal, mas que ainda há tentativa de compensação por meio da reserva funcional dos rins, enquanto que a falência renal retrata a disfunção máxima do órgão.

 

Quais são os indicadores de função e lesão renal?

Como determinar da concentração de Proteína Plasmática?

Conheça a Bioquímica aplicada na Clinica de Pequenos Animais. Confira!

 

Fonte: Tathiana Mourão dos Anjos

Adaptação:   Equipe CPT Cursos Presenciais

Autor(a): Tathiana Mourão dos Anjos (ANJOS, T.M.) Professora dos cursos: Nefrologia e Urologia em Pequenos Animais e Medicina Felina (CPT Cursos Presenciais).

Data: 25/10/2012


Quero receber promoções
  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut

Artigos relacionados!
Gostaria de receber informações sobre nossos cursos? Preencha os campos abaixo:





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
Preencha os campos abaixo para receber informações completas de promoções e descontos.





Confirmação

O CPT Cursos Presenciais garante a você total segurança e confidencialidade em seus dados pessoais.
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro