Notícias e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Uruguai: produção de lã será de 42 milhões de quilos

Com uma incitação ao Governo para ter cuidado com o câmbio e a perda da competitividade, produtores e industriais do Uruguai inauguraram na semana passada a nova safra de lã, quando se espera produzir 42 milhões de quilos de lã e, segundo dados do Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL), o setor ovino chegará ao final do ano com um faturamento global de US$ 350 milhões, gerando mais de 60 mil postos de trabalho, da produção à industrialização final de seus produtos. No ato de lançamento da safra laneira de 2008, o presidente do SUL, Gerardo García Pintos, alertou o Governo para a falta de competitividade do setor. Ele disse que o país tem cada vez menos ovinos, mas "cada vez mais eficientes" e, segundo os dados do SUL, o número de lanares voltará a cair este ano, ficando em 9,7 milhões de cabeças. Segundo ele, o país valoriza muito os investimentos estrangeiros, mas não os feitos internamente. Ele disse que o Uruguai tem um investimento milionário em terras, ovelhas e têxteis. "Esquecemos que há US$ 10 milhões que estão investidos pelos uruguaios há muitos anos". Entre os pedidos, García Pintos pediu que seja eliminado o imposto de 1% na venda de semoventes que é cobrado pelas prefeituras municipais cada vez que se vende um animal, sem importar a quantidade de vezes que o animal muda de dono ao longo de sua vida. O representante da indústria têxtil, Pedro Otegui, também pediu ações contra a desaceleração cambiária. "O magro valor do dólar, somado ao aumento dos impostos, das tarifas públicas e a baixa do regime de devolução de impostos indiretos, castigam cada vez mais a produção no campo e na indústria. Muito mais quando toda a produção é destinada à exportação e não há um mercado interno cuja inflação em dólares atenue os efeitos da desaceleração cambiária". "Os 10 milhões de ovinos que hoje tem o Uruguai é um número razoável se o país produz lãs finas e carne ovina de altíssima qualidade", disse o presidente da Associação Agropecuária de Salto, Juan Manuel Bartaburu. Ele disse que deviam seguir o exemplo neozelandês, onde se melhorou a eficiência do setor se apoiando na tecnologia e garantiu que o Uruguai pode seguir o mesmo caminho, porque existe tecnologia disponível. Ele também aconselhou complementar a produção ovina com grãos. As informações são do Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL), traduzidas e adaptadas pela equipe FarmPoint.

Fonte: Farmpoint

Data: 25/08/2008

  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut
Notícias relacionadas! Veja mais notícias »
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro