Feijão: recomposição de estoques fracassa

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Foi frustrada a primeira tentativa do governo de comprar grãos no mercado interno para recompor os estoques públicos. Em leilão quinta-feira passada, produtores de feijão e cooperativas de Minas Gerais, Goiás e São Paulo não tiveram interesse em adquirir contratos para entrega futura do produto à Conab (Companhia Nacional de Abastecimento). No total, foram ofertados 1.852 contratos de opção de venda pelo preço de R$ 40,5 mil por cada contrato de 27 toneladas. Numa operação como essa, o governo oferece em leilão um contrato que permite ao produtor ou cooperativa vender, por um preço já estabelecido, um determinado produto ao governo numa data previamente combinada. No caso do feijão, o preço de venda foi estabelecido em R$ 90 por saca de 60 quilos para entrega em 15 de agosto deste ano – data limite para a manifestação do interesse em vender o produto. Foi o valor de venda que afugentou os vendedores do leilão, avaliou uma fonte em Brasília.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 8 de outubro de 2018

Artigos Relacionados