Reprodução Bovina: 7 dicas que o professor Giancarlo pode te ensinar para ser expert na área

  •   
  • 133
  •  
  •  
  •  

A reprodução bovina é uma das áreas mais rentáveis da medicina veterinária e tem atraído olhares de diversos médicos veterinários, mas ela tem seus desafios. E o segredo para vencê-los está na capacitação profissional, cuidados diários, dedicação, habilidade de detectar e solucionar problemas com rapidez, concorda?

Um objetivo comum de todo profissional que atua na área é conquistar resultados positivos, seja pelo diagnóstico ou aplicação correta das biotecnologias reprodutivas. Entretanto, para isso acontecer você, médico veterinário, precisa colocar em prática os programas de reprodução animal e melhoramento genético sem deixar de lado a nutrição e bem estar do animal.

O fato é que o Brasil é líder mundial em técnicas de reprodução bovina e este mercado tem ficado cada dia mais aquecido. Sendo assim, tem muitas oportunidades dentro do setor. E, para te ajudar a desbravar tudo isso, o professor coordenador, mestre e doutor em reprodução bovina, Giancarlo Magalhães, conta neste artigo tudo que você precisa saber para ingressar neste universo! Está preparado? Vamos lá!

Regras básicas para o manejo de reprodução bovina

Dicas reprodução bovina

É imprescindível estar atento aos requisitos básicos que são os pilares de um bom programa de reprodução. A boa performance reprodutiva depende inicialmente de condições básicas, que em conjunto, permitem se conseguir bons resultados durante a vida reprodutiva de um macho ou fêmea.

As principais são:

  • Aprenda a definir um programa de controle de eficiência reprodutiva
  • Maneje da forma correta as matrizes e touros para obtenção de melhores resultados
  • Conheça profundamente a fisiologia e a anatomia do órgão reprodutivo de macho e fêmea bovinas

Além da boa sanidade, técnica eficaz e nutrição adequada, a mão de obra qualificada ainda é um dos fatores mais dominantes para uma boa eficiência reprodutiva.

Agora, você quer saber o que um professor, doutor em reprodução com mais de 500 cursos ministrados com sucesso na área pode te ensinar sobre Reprodução Bovina? Então, confira a seguir as dicas do professor Giancarlo sobre o assunto!

#1 Primeiro passo: palpação retal bem feita

Também conhecida na rotina de campo como toque, a palpação retal em bovinos é a primeira etapa de aprendizagem e requisito básico para todo veterinário que almeja ingressar na área da reprodução bovina. Sem dúvidas, ela é um método crucial para identificar as condições das estruturas internas do animal. Por isso, é necessário que você, médico veterinário, tenha o conhecimento profundo sobre a anatomia dos órgãos do animal.

A palpação retal é um dos exames mais tradicionais e de baixo custo para fornecer informações sobre as diversas situações da condição reprodutiva do animal. Além, de ser utilizada para diagnosticar a gestação.

Claro, que não podemos deixar de mencionar que é preciso muita prática para saber o que você está palpando. Por isso, é fundamental um treinamento prático e intensivo para o desenvolvimento da habilidade tátil de palpar os órgãos e distinguir as possíveis alterações. Posteriormente, relacioná-las às patologias reprodutivas e modificações uterinas decorrentes de gestação.

#2 O ultrassom é material essencial de trabalho

Na reprodução bovina, a ultrassonografia veterinária tem diversas aplicações na examinação do aparelho reprodutor. Com ela, além do acompanhamento gestacional, desenvolvimento folicular e do feto ainda é possível:

Diagnóstico Precoce da gestação

Entre o 19° e 21º pós-fecundação já é possível identificar a prenhez. Sobretudo, quando são utilizadas técnicas avançadas de reprodução assistida essa rapidez é extremamente crucial.

Avaliação de órgãos reprodutivos na andrologia bovina

Nem sempre a patologia que impede a reprodução está nas fêmeas. Realizar a avaliação do órgão reprodutivo do touro pode evitar perdas.

Sexagem fetal

A ultrassonografia é o principal método para detectar o sexo antes de seu nascimento.

Auxílio em biotécnicas de reprodução

A Aspiração Folicular, por exemplo, é uma técnica na qual o uso do ultrassom é imprescindível. Vale lembrar que o uso do ultrassom possibilita também a identificação com precisão em tempo real e imagens nos órgãos do animal. Então, ao visualizar uma anormalidade o profissional pode dar início ao tratamento imediatamente, caso necessário, aumentando as chances de cura.

Mas, para obter o “olho clínico” e interpretar corretamente as imagens com segurança é necessário a capacitação do profissional. Assim, elimina ou reduz grande parte dos riscos de insucesso.

Cursos na área de ultrassonografia na reprodução bovina

#3 É necessário diagnosticar diferentes patologias reprodutivas e identificar seus tratamentos

Índices baixos de fertilidade geralmente, são causados por alterações patológicas dos órgãos de reprodução. Por isso, diagnosticá-las é importante para evitar prejuízos, produtivos, sanitários e, principalmente financeiros para a pecuária.

A ultrassonografia é a chave para verificar as alterações dos órgãos de reprodução de forma dinâmica. De um modo geral, o controle das enfermidade é alcançado por meio de um programa sanitário eficiente e preventivo. Isto é, a propriedade deve ter um calendário sanitário bem estruturado e segui-lo fielmente.

#4 Mais do que diagnosticar a prenhez, saiba realizar sexagem fetal

Entre as principais biotecnologias aplicadas à reprodução bovina, sem dúvida a sexagem fetal vem se destacando potencialmente e tem sido amplamente utilizada para fins comerciais. Tal avanço tecnológico nos permite identificar o sexo do feto, isto é importante, uma vez que economicamente a criação de macho de alta linhagem não compensa para bovinocultura leiteira, por exemplo. Então, quando o produtor utiliza o sêmen sexado, economiza nos custos altos das gestações que não beneficiam seu sistema de produção.

Mas, para haver condições de proporcionar ganhos de desempenho reprodutivo é importante que você, médico veterinário, seja apto e realmente capacitado para o correto manuseio do ultrassom e da interpretação das imagens geradas por ele.

Viu só como é importante a capacitação em ultrassonografia? Afinal, os exames ultrassonográficos já são uma realidade para qualquer médico veterinário de sucesso.

#5 Vença os desafios da transferência de embriões e obtenha resultados superiores

A técnica de transferência de embriões (TE) em bovinos é uma técnica altamente lucrativa com a principal finalidade de aumentar o número de bezerros geneticamente superiores. Ainda mais, atualmente ela é a biotécnica mais acessível de melhor aproveitamento da fêmea bovina. Ela ainda possibilita a rápida expansão de animais geneticamente superiores.

Para resumir, a TE consiste em diversas coletas de embriões de uma mesma doadora e, isto permite a produção de muitos bezerros por ano e, não só apenas um como em condições naturais.

Quando a transferência de embriões é bem feita, ela se torna uma importante ferramenta para o melhoramento genético. Pois, permite a multiplicação do material genético de fêmeas de alto valor, de forma rápida. Além disso, facilita o transporte e a comercialização de embriões congelados.

O sucesso do programa de transferência de embriões está diretamente relacionado com a saúde e bem estar geral dos animais. Mas, alguns pontos são cruciais para atingir o resultado final, e não tem muito segredo! Confira: 10 passos simples e infalíveis para alcançar o sucesso com a TE (Você não pode ignorar o #4)

#6 A IATF é uma boa alternativa, quando utilizada de forma correta

Existem alguns animais que se adequam melhor a uma biotécnica e não outra. Por isso, o mercado de reprodução bovina está sempre em busca de profissionais completos que tenham conhecimentos profundos nas principais biotécnicas de melhoramento genético. Ou seja, Inseminação Artificial, Transferência de Embriões, Aspiração folicular para FIV e a própria Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF).

É importante frisar que ao contrário do que muitos pensam, a IATF não é a solução para todos os problemas de fertilidade de um rebanho e nem deve ser utilizada para correção de erros de manejo. Sendo assim, é muito importante escolher corretamente os animais que serão submetidos à ela.

Mesmo que a técnica seja realizada corretamente, se os problemas de manejo não forem corrigidos previamente a taxa de prenhez do rebanho pode não ser alterada ou até mesmo reduzida. Deixando o processo mais oneroso e prejudicando a sustentabilidade e rentabilidade do sistema.

Entretanto, não podemos descartar que a IATF traz grandes vantagens, entre elas podemos citar:

  • Antecipação da prenhez
  • Redução do intervalos de partos
  • Formação de lotes homogêneos de bezerros
  • Concentração e otimização da mão de obra para sua execução
  • Aumento da taxa de serviço, pois 100% dos animais são inseminados

Por esses e outros motivos a IATF tem conquistado, a cada ano que passa, espaço e credibilidade nas propriedades brasileiras. Mas, para qualquer tomada de decisão no que se refere à produção de leite e reprodução dos animais é importante levar em consideração o custo/benefício da técnica. Em outras palavras, deve-se avaliar o quanto ela irá trazer de melhorias e/ou retorno financeiro para a propriedade. Por isso, nem sempre a IATF pode ser uma boa alternativa.

#7 Exame andrológico em touros não é luxo, mas necessidade

No dia a dia do campo, é muito comum os proprietários se preocuparem somente com as fêmeas bovinas na hora da reprodução. Porém, muitas vezes a fonte do problema está na qualidade do sêmen. Esse erro apesar de comum é muito preocupante! Pois, o exame andrológico em bovinos é essencial para o sucesso reprodutivo do rebanho.

O objetivo principal do exame andrológico em bovinos é selecionar touros reprodutores e acompanhar a eficiência reprodutiva do rebanho. Principalmente, para apontar a ocorrência de problemas de infertilidade ou subfertilidade nos machos, que podem comprometer o crescimento do gado de de corte ou de leite.

Todo touro reprodutor, seja utilizado em monta natural ou biotécnicas, precisa realizar a avaliação prévia da sua fertilidade e de sua capacidade de monta, de forma a garantir a aptidão para a reprodução de outras fêmeas.

Por exemplo, se um touro infértil monta uma vaca no período do cio e ela não emprenhar, as consequências serão uma baixa taxa de natalidade de vitelos, gerando prejuízos para o proprietário. Então, além de prevenir as perdas da propriedade e aumentar a lucratividade do médico veterinário, o exame possui outras vantagens:

  • Diagnóstico de patologias reprodutivas
  • Classificação dos animais em níveis de fertilidade
  • Auxílio na seleção para a fertilidade de machos jovens
  • Adequação das fêmeas a serem servidas pelo reprodutor

Para te ajudar a ficar mais por dentro do assunto, confira esse super material gratuito:

Esperamos ter te ajudado com essas dicas, pode nos contar o que achou nos comentários. Agora, se você está em busca de um conhecimento prático para ser um EXPERT em Reprodução Bovina, clique aqui e confira todos os nossos curso!

Fontes: Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária, Revista Leite Integral e Blog Shop Veterinário

  • 133
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  
Reprodução de Bovinos

Atualizado em: 16 de julho de 2019

Artigos Relacionados