Entenda mais sobre ultrassonografia cervical em cães!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
ultrassonografia cervical em cães

Você conhece e entende as aplicações da ultrassonografia cervical em cães?

Então, a ultrassonografia veterinária é um exame muito útil para avaliações precisas de tecidos moles tais como órgãos abdominais, torácicos, ligamentos, tendões, linfonodos, tireóide, além de outras estruturas. Graças aos diferentes modos de imagem, a avaliação por imagem permite o diagnóstico acurado das principais alterações em pequenos animais.

Por exemplo, a ultrassonografia cervical em cães é um exame que tem sido cada vez mais requisitado para avaliação das glândulas salivares, vasos, linfonodos, língua, laringe, traquéia, esôfago, tireóide e paratireóide. 

Neste artigo, vamos explicar melhor o que é e como é feita a ultrassonografia cervical em cães e dar dicas para realizar esse exame com segurança e precisão. Confira! 

Ultrassonografia cervical em cães

Em primeiro lugar, a ultrassonografia cervical em cães, que também se aplica aos gatos, é um exame que pode ser de grande auxílio para investigar alterações na região do pescoço ventral. É com essa técnica de exame que é possível avaliar a vascularização da região, linfonodos regionais, glândulas salivares, esôfago cervical, língua, musculatura, traquéia, laringe, tireóide e paratireóide.

Desse modo, este exame tão específico tem muitas indicações: desde avaliar as massas palpáveis e tentar identificar a sua origem, aspecto, formato e tamanho, a observar também a ecogenicidade e ecotextura de todas as estruturas que se encontram na região do pescoço dos animais. Em casos de desmaios ou convulsões, também pode ser uma ótima ferramenta diagnóstica para investigação de causas.

A ultrassonografia cervical em cães pode ser realizada em modo B, para avaliar as alterações no tecido e formação de massas. Ou em modo doppler para se observar a vascularização da região, que é comum em caso de neoplasias. Em ambos os casos, deve-se utilizar um transdutor linear de alta frequência, pois se trata de uma área de pequena extensão. 

Principais indicações

A ultrassonografia cervical é principalmente indicada para investigação de neoplasias tireoidianas. Pode também caracterizar as massas pré-cirurgicamente, avaliar quais as áreas estão afetadas, vascularização da região e suas características. 

Com a ultrassonografia também é possível avaliar o surgimento de carcinomas, unilaterais de crescimento rápido e invasivo assim como a invasão das artérias carótidas comuns, das veias jugulares e do esôfago. 

Além de neoplasias o exame na região cervical pode ser útil para investigações na glândula tireoide e diagnóstico de problemas como a tireoidite. A tireoidite em cães é associada à produção de anticorpos contra os hormônios tireoidianos. A imagem ultrassonográfica mais característica é de aumento do volume do órgão, perda de definição de margens e diminuição da ecogenicidade. 

Os tumores da glândula tireoide em cães não costumam ser muito comuns, correspondem de 1,2 a 3,8% de todas as ocorrências. Em cães 80% desses tumores são malignos, não funcionais, invasivos. Entretanto, são grandes massas podem levar a distorção anatômica significativa e obstrução das vias aéreas superiores. O tratamento de eleição é a excisão cirúrgica e deve ser recomendado quando houver precisão no diagnóstico. 

Outras indicações possíveis da ultrassonografia cervical são:

  • Determinação da origem e extensão de massas palpáveis;
  • Pesquisa de metástase para linfonodos;
  • Pesquisa de invasão tumoral por tumores da região;
  • Alterações nas glândulas salivares como: sialite, sialoadenite, obstruções, sialolitos.

Parâmetros observados na ultrassonografia cervical

No exame ultrassonográfico são observados como massas grandes, heterogêneas, de ecogenicidade menor do que os tecidos adjacentes e com margens definidas ou não A imagem obtida pelo modo Doppler colorido auxilia no estudo padrão de distribuição vascular, no diagnóstico das doenças da tireóide e no seguimento pós-cirúrgico, na pesquisa de linfonodos e metástases. 

Em caso de investigação de alteração na tireoide, é preciso observar ainda: 

  • ecogenicidade
  • avaliação dos contornos
  • ecotextura 
  • dimensões do órgão avaliado
  • volume

A ultrassonografia cervical em cães ainda não é amplamente conhecida, mas representa um diferencial na hora de fornecer um diagnóstico completo em relação a alterações na região. 

No entanto, trata-se de um assunto bastante específico que demanda experiência e conhecimento profundo em anatomia e técnicas de ultrassonografia. 

Você tem interesse em conhecer técnicas avançadas de ultrassonografia em pequenos animais? Confira essa dica: 

Curso Avançado de Ultrassonografia em Pequenos Animais

Fonte: Jornal Brasileiro de Ciência Animal, BadLab e Mobile Vet

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados