Notícias e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Agricultores goianos investem em irrigação sustentável

A irrigação permite culturas com maior valor comercial e mais riquezas em um mesmo espaço. Queremos mostrar a força da produção irrigada em Goiás e conscientizar os produtores da região sobre o uso da água das chuvas em barragens”, diz o produtor rural Luiz Figueiredo. O agricultor pertence ao grupo que está mudando o perfil da cidade de Cristalina/GO, a 250 km da capital goiana, a partir da irrigação como avanço na agricultura. A terra úmida e fértil da região favorece o cultivo de produtos como café, feijão, milho, batata, cebola, alho, tomate, trigo, soja, cevada, abóbora, ervilha e algodão. Hoje, a cidade produz 2,3 milhões de toneladas de alimentos ao ano. O produtor Verni Wehrmann também investiu no interior de Goiás e nos sistemas de irrigação dos 2,3 mil hectares da propriedade, para produção de alho, batata, cenoura e cebola. Com mais de dois mil empregados na fazenda, ele ressalta que o sistema de irrigação permite melhor controle de pragas e doenças, resultando em menor uso de defensivos e maior qualidade nos alimentos. “Os produtores daqui têm a consciência de que a sustentabilidade também vem da irrigação. Armazenamos água na época das chuvas e usamos para irrigação nos períodos de seca”, ensina. Outro fator que tem impulsionado o desenvolvimento é a geração de empregos diretos e indiretos vindos das propriedades locais irrigadas. Em Goiás são mais de 22 mil pessoas empregadas diretamente e 28 mil indiretamente. A produção de trigo gera mais de mil empregos, a de tomate seis mil e a de feijão 11 mil. Potencial - O chefe da divisão de Agricultura Conservacionista do Ministério da Agricultura, Maurício Carvalho, explica que o Brasil possui 3,5 milhões de hectares irrigados, mas com potencial para 30 milhões. Segundo ele, a região Centro-Oeste apresenta as melhores condições para irrigação e poderá triplicar a produção com aumento da produtividade em cinco vezes. “Cristalina é um exemplo para o País e para a América Latina no aproveitamento dos recursos hídricos superficiais com sustentabilidade”, garante. Para o presidente da Comissão de Irrigantes da Federação de Agricultura do Estado de Goiás (Faeg), Tiago Mendonça, o crescimento da região depende de investimentos em energia elétrica, barragens e estradas.”Temos potencial para produzir 200 mil hectares e gerar mais de 50 mil empregos no estado”, defende. Produção – Em Goiás estão as três bacias hidrográficas, São Francisco, Araguaia/Tocantins e Paranaíba/Paraná e é a sexta maior área irrigada do País. O estado oferece condições de clima, relevo, solo e água com qualidade, quantidade de ideias para a produção de alimentos. É possível triplicar a produção por meio da água da chuva armazenada em represas. Várias culturas da região já empregam sistemas de irrigação. No caso do trigo, são 8,5 mil hectares e 41 mil toneladas colhidas. O feijão irrigado corresponde a 73 mil hectares de área para produzir 3,3 milhões de sacas de 60 quilos ao ano. Nesta cultura, a produção irrigada é de 45 sacas por hectare, enquanto o sequeiro produz 27 sacas por hectare. Já o tomate industrial, com mais de meio milhão de toneladas, responde por 85% da produção nacional, em uma área de 13 mil hectares.

Fonte: Agrolink

Data: 09/09/2009

  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut
Notícias relacionadas! Veja mais notícias »
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro