Notícias e Informativos






O CPT Cursos Presenciais garante a você 100% de segurança e confidencialidade em seus dados pessoais e e-mail.
Preparo do pet para a chegada do bebê

Um dos problemas enfrentados por aqueles que vão ter um bebê e que tem um animal de estimação é como se portar diante a novidade e também como dividir o tempo para cuidar do novo integrante da família sem se esquecer do animal de estimação.

O primeiro contato após a volta para casa muitas vezes é feita erroneamente, com a apresentação do bebê ao pet, que pode se sentir enciumado e poderá reagir com indiferença e até se deprimir. O ideal é fazer uma preparação com os animais antes da chegada do bebê, ao menos um mês antes, mantenha a porta do quarto fechado, o animal deverá entender que não tem permissão para acessar aquele local, reservado só para a amamentação e cuidados.

Para que a apresentação do bebê não ocorra de forma traumática o ideal é que a mãe chegue sozinha em casa, deixando que o cão sinta o cheiro e brinque, o petisco deve ser oferecido. Logo depois a mãe deve segurar a criança e deixar que o animal sinta seu cheiro, o petisco ainda deve ser oferecido.A amamentação deve ser feita dentro do quarto, com a porta fechada, para que o animal não sinta ciúmes, ao menos até se acostumar com a presença da criança, o que acontece em cerca de dois ou três meses. Assim, o animal sentirá que faz parte da novidade.

A tendência é que os cães sejam mais estabanados e que os gatos supervisionem a novidade apenas de longe nos primeiros dias. A reação de cada animal de estimação dependerá muito da forma em que foram criados, os que têm convívio sadio com toda a família, que costumam entrar em casa e interagem com humanos tendem a ser mais receptivos, já aqueles que passam grande parte do dia presos e isolados do convívio familiar são estressados, mandões e ciumentos e, portanto, não reagirão bem à novidade.

Os benefícios do contato do animal com a criança são diversos, há o aumento da imunidade e a probabilidade que sofá com alergias e dermatites na fase adulta é bem menor.

Para evitar contaminações e doenças, basta ter hábitos de higiene, como não permitir que o bebê manuseie a caixa de areia do gato ou as fezes do pet e lavar bem as mãos após se expor a ambientes inóspitos. E antes de colocar a criança em contato direto com o animal, cheque se as vacinas dele estão em dia. Tomando estes cuidados o contato do bebê com o animal será saudável a todos.

Fonte: Revista Meu Pet

Data: 04/07/2013

  • imprimir
  • contato
  • twitter
  • facebook
  • orkut
Notícias relacionadas! Veja mais notícias »
  • twitter
  • facebook
  • google+
  • You Tube
  • Linkedin
  • Bradesco
  • Master Card
  • Visa
  • Itaú
  • Site seguro