Eletrocardiograma veterinário: Saiba porque essa técnica é imprescindível na cardiologia

  •   
  • 6
  •  
  •  
  •  
Eletrocardiograma Fundamental para diagnosticar cardiopatias em pets

Problemas cardíacos são uma das principais causas de morte em pequenos animais. Inegavelmente. Isso torna as cardiopatias fatais já que, em geral, os sintomas não são identificados de forma precoce sem auxílio do eletrocardiograma veterinário. Assim, quando esses sinais se tornam evidentes, provavelmente o estágio do paciente já está muito avançado e não há como tratar com sucesso.

Por ter sintomas iniciais brandos, geralmente, nem sempre os tutores percebem de forma antecipada. Por isso, há sempre uma  demora para identificar os problemas do coração em pequenos animais. Entretanto, algumas raças são mais suscetíveis a desenvolver cardiopatias assim como a  idade, que ainda é um dos fatores mais determinantes para o desenvolvimento. 

Devido a essa dificuldade no diagnóstico, tornam-se necessários os exames de diagnóstico por imagem. Na cardiologia veterinária, um dos exames mais comuns é o eletrocardiograma. Neste artigo você irá conhecer mais técnica, suas indicações e quando ele é indicado.

O que é eletrocardiograma veterinário?

O Eletrocardiograma veterinário, também conhecido pelas siglas ECG, é um exame não invasivo e fundamental para a cardiologia. Sem dúvidas, por muitas vezes, ele permite mostrar o que não está bem no coração do animal, permitindo cada vez mais diagnósticos precisos das cardiopatias.

Quando feito corretamente, o ECG, permite uma análise profunda das atividades cardíacas dos pequenos animais. Elas são captadas pelo equipamento e são registradas por meio de ondas, para que a avaliação dos dados colhidos seja realizada.

Com os avanços tecnológicos, há uma série de variações nos equipamentos para o exames de ECG. Atualmente, existem até equipamentos portáteis, que permitem a avaliação do pet sem que ele saia de casa.

Disponível, atualmente, na grande maioria dos hospitais, clínicas e centros de diagnóstico veterinários, o eletrocardiograma em cães e gatos permite uma análise profunda da atividade elétrica cardíaca dos pets que, captadas pelo equipamento, são registradas em formas de ondas – para que a avaliação dos dados colhidos possa ser feita.

Embora seja muito realizado em animais de pequeno porte – como no caso de cães e gatos tidos como bichinhos domésticos de estimação – o eletrocardiograma (também conhecido pela sigla ECG) também pode ser feito em bichos como cavalos, por exemplo; permitindo a avaliação de problemas cardíacos em animais de grande porte.

Como realizar o exame de eletrocardiograma veterinário?

Usado com frequência na medicina humana, o eletrocardiograma veterinário, segue um processo bastante similar ao realizado em pessoas. O procedimento do exame consiste basicamente, na colocação de eletrodos em partes específicas do animal, para a captação das atividades elétricas cardíacas do paciente.

Diferente de exames como ultrassonografia, raio-x, ressonância magnética e tomografia computadorizada, o eletrocardiograma veterinário não exige nenhuma preparação prévia do animal, como jejum ou tricotomia, por exemplo.  No entanto, é preciso que o cão ou gato esteja calmo, pois a agitação pode prejudicar na obtenção dos dados corretos. 

Assim, para a execução do exame é preciso posicionar os eletrodos no corpo do animal. Existem 8 regiões específicas para a captação da frequência cardíaca. Elas podem ser chamadas de derivações periféricas ou derivações eletrocardiográficas. 

A colocação exata torna possível investigar a atividade elétrica do coração, principalmente quando o operador é experiente e capacitado. 

Além da medição da frequência cardíaca normal, o exame de ECG veterinário também é bastante usado para fazer a monitoração dos batimentos cardíacos do animal quando é feita a utilização de drogas como a atropina, por exemplo – utilizada em muitos casos para avaliar as respostas do coração frente à diferentes estímulos.

Principais indicações do ECG veterinário

O principal intuito da realização do exame de eletrocardiograma em pets é a avaliação da frequência e ritmo cardíaco. O ECG também pode ser utilizado para análise de outros aspectos cardíacos do animal e ainda é indispensável para avaliação do paciente no período pré operatório.

As suspeitas de arritmias também fazem com que o exame seja solicitado pelo médico veterinário. Além da hipótese de arritmia, a solicitação do eletrocardiograma pode ser feita quando o paciente apresenta qualquer sintoma clínico, relacionado à uma possível cardiopatia, como por exemplo:

– Desconforto ou dificuldade para respirar

– Língua com aparência azul-arroxeada

– Cansaço com facilidade

– Sonolência constante

– Tosse do tipo engasgos

– Aumento do volume abdominal

É importante ficar atento à qualquer sinal de uma cardiopatia. Pois, isso possibilita o início imediato de um tratamento, com maiores chances de bem estar do animal ou até mesmo salvar sua vida.

Utilizar a técnica do eletrocardiograma veterinário é imprescindível para muitas vezes salvar a vida de seus pacientes. Quer mais informações de como esse exame pode te ajudar no diagnóstico? Então, veja essa dica que separamos para você:

Curso de Cardiologia em Pequenos Animais – Módulo Eletrocardiograma

Fonte: Cachorro e Gato e Meus Animais

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados