Cistite em gatos: Entenda essa doença muito comum entre os pets

  •   
  •   
  • 347
  •  
  •  
  •  
  •  

A cistite em gatos é um problema urinário bastante comum, que provoca muita dor e incômodo ao pet. Não apenas, a enfermidade pode desencadear outros distúrbios no sistema urinário do felino, causando graves complicações caso não seja tratada adequadamente.

Por ser uma inflamação na bexiga, é uma doença potencialmente perigosa, pois se não for identificada a tempo a cistite em gatos pode até causar uma obstrução da uretra causando a morte do animal. Por isso, ao reconhecimento dos primeiros sinais é preciso levar o felino ao médico veterinário para evitar maiores complicações.

Quer saber os sinais de alerta da enfermidade? Continue lendo que tratamentos sobre o assunto no próximo tópico!

 

Principais sinais da cistite em gatos

Além da dor, o animal passa a urinar em locais inapropriados. De fato, os sinais da doença são bastante característicos, dentre os principais podemos destacar:

– Diminuição da quantidade de urina
– Dificuldade e/ou ardência ao urinar
– Urina com sangue e/ou odores muito fortes

Em caso mais graves, os gatos acometidos pela enfermidade podem apresentar falha na pelagem da barriga. Já que, o animal lambe frequentemente a região abdominal, na tentativa de aliviar as dores na bexiga.

Quais fatores desencadeiam doença?

Em muitos casos, a cistite em gatos é um problema reincidente. Ou seja, quando mal tratada pode se tornar crônica e fazer com que o animal sofra com a enfermidade ocasionalmente.

Diferente da maioria dos animais, as bactérias não são as desencadeadoras da cistite em gatos. Assim sendo, ela pode ser influenciada por uma série de motivos. Por exemplo, obesidade, idade, doenças anteriores, alimentação incorreta, baixa ingestão de água, pouca frequência urinária ou até mesmo a permanência em ambientes que causem estresse ao animal.

Quando o gato está estressado, ansioso ou agressivo seu sistema endócrino, neurológico e de defesa do organismo sofrem alterações. Dessa forma, o animal fica predisposto ao desenvolvimento não só da cistite como outras doenças, nesses casos, o diagnóstico fica mais complicado. Porque, requer uma análise mais detalhada sobre o caso e o médico veterinário terá que averiguar cada sinal.

Diagnóstico e tratamento

Para o diagnóstico da cistite em gatos são utilizados análises laboratoriais de amostras da urina juntamente com o auxílio dos exames de imagem como ultrassom, para que sejam identificados os agentes causadores da doença.

Já o tratamento, depende muito do quadro que o animal apresenta. Em grande parte das vezes, o médico veterinário pode prescrever antibióticos, anti-inflamatórios ou analgésicos. Entretanto, há casos que a origem do problema é psicológica, nessas ocasiões o médico veterinário pode prescrever antidepressivos e ansiolíticos para a cura do animal.

Mesmo que não haja um método específico para prevenção da doença, adotar alguns hábitos pode diminuir o risco que o gato desenvolva a complicação. Sem dúvida, incentivar exercícios físicos, manter água e ração de boa qualidade à disposição do pet e estimular a micção, podem evitar a cistite em gatos.

E você, médico veterinário, já atendeu algum paciente com essa enfermidade? Conte para nós como foi nos comentários!

Você viu que nesses casos os exames laboratoriais e de imagens são fundamentais para o diagnóstico. Sem contar, que eles são uma ótima oportunidade para aumentar a quantidade dos seus atendimentos, médico veterinário.

Quer se especializar no assunto? Veja essas dicas de sucesso:

Curso de Ultrassonografia em Pequenos Animais

Curso de Realização e Interpretação dos Exames Laboratoriais: Hematologia e Bioquímica Clínica

 

Fontes: CachorroGato e Diário de um Pernambuco
  • 347
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  

Artigos Relacionados