Vale a pena se especializar em medicina felina? Conheça a área!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
medicina felina

O mercado da medicina felina vem crescendo graças ao aumento da procura por gatos para animais domésticos. Em alguns países, os fãs de gatos já superam o número de cachorros. Logo, com o aumento da procura, aumenta também a necessidade de profissionais especializados em felinos. 

Uma pesquisa da FEDIAF, Eurostat, mostrou que é mais comum para os tutores de gato ter mais de um animal de estimação do que para os tutores de cães. No Brasil, a população destes animais já é de 18 milhões. No entanto, os felinos têm características próprias e exigem cuidados diferentes por parte do profissional. Por isso, uma área dedicada aos gatos se tornou essencial.

Veja neste artigo como é essa área e quais as principais demandas do veterinário que atua na medicina felina. 

Como é área da medicina felina 

Os gatos são pacientes especiais e exigentes, necessitando mais paciência e mais tempo do médico veterinário. Eles requerem uma abordagem diferente: manipulação diferente, instalações ou equipamentos adaptados e conhecimentos técnicos específicos. 

O gato passou por um processo de domesticação muito diferente dos cachorros e por isso seu organismo se modificou menos. Uma dica para médicos veterinários que querem se capacitar é começar pelas diferenças do organismo felino. 

Os conhecimentos referentes à medicina felina tem se ampliado, ganhando ênfase principalmente em doenças características da espécie, como as infecciosas, urológicas e hepáticas. O médico especialista deve conhecer as características comportamentais, fisiológicas, metabólicas, nutricionais, farmacológicas e terapêuticas.

Por esta razão, tem se tornado mais comum clínicas e hospitais veterinários específicos, até mesmo com profissionais especializados em diferentes áreas como dermatologia, oftalmologia, entre outros. O atendimento domiciliar também está sendo mais procurado no mercado felino. 

Todavia, independente do setor de atuação, os médicos veterinários devem ter conhecimento direcionado, possibilitando diagnósticos mais certeiros e tratamentos mais eficazes. O especialista capacitado em felinos atua no diagnóstico, na prevenção de tratamento e doenças. 

Principais demandas no mercado felino

O médico veterinário que atua no cuidado direto com gatos costuma ter algumas demandas mais frequentes, tais como:

  • Vacinação;
  • Doenças do trato urinário;
  • Castração de fêmeas antes do primeiro cio;
  • Manter a vermifugação semestral em dia;
  • Leucemia felina (FeLV) e imunodeficiência felina (FIV), doenças facilmente transmitidas entre gatos, que podem ser silenciosas e não têm cura. 

Por que se capacitar para atender felinos?

Infelizmente uma parte dos profissionais ainda trata gatos como cachorros, demonstrando falta de capacitação em medicina felina. Um veterinário que sabe como lidar com um felino, por exemplo, vai procurar evitar movimentos bruscos e contenções desnecessárias, buscará criar um ambiente menos estressante e com menos ruídos, além de saber diagnosticar doenças mais raras que nem todos os clínicos conhecem. 

Por isso, é importante haver um domínio teórico-prático para atuar na rotina da clínica de felinos, proporcionando segurança tanto ao tutor quanto ao paciente. Além disso, o veterinário focado nestes animais também deve estar com conhecimento necessário para a introdução de medicamentos e até mesmo no manejo em casos de internamento.

Se você também enxerga uma grande oportunidade com o crescimento da medicina felina e compreende a necessidade de se manter atualizado diante dos avanços, o CPT Cursos Presenciais tem a maneira ideal de te ajudar. Clique aqui e conheça um curso com o que há de mais atual! 

Fontes: Cachorro Gato, Portal Vet,Pelos e Focinhos. 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados