Entenda o que avalia a Ultrassonografia hepática em cães

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
Ultrassonografia hepática em cães

Quando existe a suspeita de algum problema no fígado é indicado que o médico veterinário realize uma ultrassonografia hepática em cães. Além de importante para diagnosticar possíveis doenças, o método também é seguro, preciso e não invasivo. 

O fígado é um órgão essencial para os animais, por isso uma doença nesta região requer atenção. Cães podem ser acometidos por diversos problemas no órgão, apresentando alterações difusas, focais ou multifocais. 

Para se aprofundar no assunto e conhecer como a ultrassonografia se torna importante para avaliar doenças hepáticas em cães, te convido a continuar a leitura deste artigo. Tire suas dúvidas a partir de agora!

Doenças hepáticas comuns em cães

O fígado é a maior glândula do corpo e, além de desempenhar um papel fundamental em diversos processos biológicos, também é responsável por funções de armazenamento, imunológicas, hematológicas, secretórias, excretoras e de desintoxicação. 

Na maioria dos cães, o fígado se divide em seis lobos, denominados lobo quadrado, medial direito, medial esquerdo, lateral direito, lateral esquerdo e lobo caudado, o qual é composto pelos processos caudato e papilar. Visto que o órgão desempenha muitas funções, ele se torna vulnerável a uma grande variedade de insultos metabólicos, tóxicos, microbianos, circulatórios e neoplásicos.

Quando infecções e anomalias acontecem no órgão, elas são caracterizadas como doença hepática. Entre as mais comuns estão a cirrose, hepatites crônicas, tumores e encefalopatia hepática.

O Adenovírus canino tipo I, Leptospira interrogans, vírus da hepatite de células acidófilas canina, acúmulo de cobre, administração de drogas e reação imunomediada estão entre as possíveis causas de hepatite crônica e cirrose nos cães. Já nos tumores que acometem o fígado, as metástases são mais frequentes que as primárias. Entretanto, o tumor hepático primário mais comum em cães é o carcinoma hepatocelular.

De uma maneira geral, os principais sintomas de doenças hepáticas em cães são: perda de apetite, cansaço, perda de peso, diarreia ou vômitos, sede em excesso, alteração na cor da urina (alaranjada), alteração na cor das fezes (cinza pálida), arritmia e desânimo. 

Quais parâmetros avaliar na ultrassonografia hepática em cães?

Em geral, exames de imagem ajudam a descartar alguns processos e direcionar a investigação do diagnóstico e, por isso, vem sendo usado cada vez mais na medicina veterinária. No caso das doenças hepáticas é importante que ela esteja aliada a exames bioquímicos para fechar um diagnóstico preciso. 

A ultrassonografia hepática proporciona a avaliação da arquitetura interna, parênquima (ecotextura), ecogenicidade e avaliação das margens e contornos, além da vascularização. Por exemplo, quando o aumento da ecogenicidade do parênquima hepático é acompanhado por uma ecotextura heterogênea, normalmente a fibrose está presente. 

A ecogenicidade do fígado ainda pode estar difusamente alterada intercalando áreas hiperecogênicas e hipoecogênicas. Esse padrão foi associado às neoplasias, mas foi observado também nos casos de hepatite crônica. Ou seja, qualquer padrão de alteração ultrassonográfica difusa deve ser considerado um diagnóstico diferencial. 

Portanto, a ultrassonografia hepática em cães pode ser indicada em diversas situações, como em pacientes idosos, em pesquisa de tumores, em exame pré-cirúrgico, além, claro, na investigação de doenças hepáticas. Mas, somente um médico veterinário capacitado e que tenha tanto a teoria quanto a prática em exames de imagens do fígado, pode oferecer um diagnóstico e um tratamento correto em cães. 

Saiba como se tornar esse profissional com o completo Curso de Ultrassonografia em Pequenos Animais do CPT Cursos Presenciais!

Fontes: Sartor. Raquel, Mobile Vet, Cobasi, DrogaVet. 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados