Doenças bucais em cães: Confira as 3 principais e veja como evitá-las

  •   
  • 587
  •  
  •  
  •  
Doenças bucais em cães

Muitos tutores simplesmente ignoram ou desconhecem o fato que as doenças bucais em cães interferem diretamente em sua saúde. Algumas são como as que acometem os humanos, já outras são específicas aos animais. Mas, geralmente os motivos que levam o desenvolvimento dessas patologias é a falta de atenção e cuidado dos tutores com a boca dos pets.

O fato é que uma boa saúde oral contribui de forma incisiva para o aumento do conforto dos cães. Afinal, como já diz o ditado “a saúde começa pela boca”, e isso se aplica também aos pets. Pois, as afecções orais além de transtornos estéticos podem ocasionar outros distúrbios de uma forma geral.

Cerca de 80% dos cães com mais de cinco anos de idade apresentam algum tipo de afecção oral mas, muitas delas são silenciosas. Por isso, é preciso que o tutor fique atento caso o cão apresente algum sinal característico, tais como:

  • mau hálito
  • corrimento nasal
  • perda de dentes
  • espirro frequente
  • gengiva avermelhada
  • dificuldade em se alimentar

Como as doenças bucais em cães se desenvolvem?

As bactérias que fazem parte dos microrganismos orais normais necessitam de um espaço curto de tempo para se desenvolver. Elas levam cerca de 48 horas para isso. Durante esse intervalo elas se organizam e formam a placa bacteriana. Desse modo, se não houver nesse período uma higienização, a placa bacteriana adere ao dente. Em seguida, se inicia uma série de eventos que podem terminar em alguma afecção oral.

O tártaro e a infecção da boca contém diversas bactérias que, se não forem tratadas podem se espalhar pelo corpo e atingir outros órgãos com o tempo. Por exemplo, o coração, fígado, rins, trato intestinal e até as articulações podem ser afetadas em consequência de desordens orais.

Agora que você já sabe como as doenças bucais em cães se desenvolvem é hora de saber quais as principais. Abaixo, listamos cada uma delas, acompanhe:

#3 Principais problemas odontológicos em pets

#1 Lesões endodônticas

As lesões endodôntica são desencadeadas a partir da fratura dos dentes dos pets. Elas permitem que as bactérias entrem na parte interna do dente do animal, causando lesões no osso. Esses microorganismos podem não se limitar a boca do pet e se espalhar pelo corpo inteiro do animal, infeccionando outros órgãos como os rins.

Podemos destacar que um fator que potencializa o aparecimento dessa afecção oral é a falta de hábito dos tutores de verificar o estado geral dos dentes dos cães, fazendo com as fraturas não sejam percebidas.

#2 Gengivite em cães

A inflamação na gengiva, conhecida como gengivite tem como causa principal o acúmulo da placa bacteriana, que é formada quando um conjunto de bactérias são aderidas na superfície dos dentes. Visto que, o local preferido para tal agrupamento é o sulco gengival, a região entre a gengiva e o dente.

Além do mau hálito, os seus principais sinais incluem a gengiva vermelha inchada e sensível (que pode até mesmo sangrar), aparência alongada dos dentes. Cães que possuem uma dieta à base de alimentos úmidos ou com muito carboidratos são mais suscetíveis ao desenvolvimento excessivos de bactérias.

O processo da gengivite ocorre de forma gradual. Ou seja, aos poucos a estrutura da gengiva vai sendo destruída. Nesse sentido, se não for tratada pode evoluir para a doença periodontal. Um caso mais grave, que provoca a disseminação das bactérias dos dentes e atinge a circulação sanguínea. Confira mais sobre o assunto em seguida!

#3 Doença Periodontal

A doença periodontal não tem cura. Nela não só a região da gengiva é afetada, mas também os ligamentos que mantém os dentes e os ossos abaixo no lugar. Ela se desenvolve com a progressão da placa e da inflamação da gengiva e o tecido da boca do animal começa ser destruído.

Como consequência da doença ocorre a perda de dentes e o enfraquecimentos dos ossos que ocasionam fraturas na mandíbula e maxila. Quer saber mais sobre a doença periodontal? Então, você não pode deixar de conferir este artigo: Doença periodontal: Inimiga número 1 da saúde bucal dos pets.

Como prevenir as doenças bucais em cães?

A melhor maneira de realizar a prevenção das doenças bucais em cães é por meio da escovação dentária diária. Uma vez que, o simples ato de escovar os dentes promove a desestabilização da placa bacteriana e como consequência evita seu desenvolvimento.

Outra forma de prevenção é selecionar o alimento oferecido ao pet, dando preferência a alimentos saudáveis. Apesar de, alguns serem aliados no combate às doenças bucais em cães nada substitui a escovação. Ainda mais, é imprescindível a visita periódica do pet ao médico veterinário para a realização de uma limpeza profissional.

Agora que você, médico veterinário, sabe de tudo isso deve estar se perguntando sobre o mercado na área de odontologia em pequenos animais, não é mesmo? Bom, já podemos te adiantar que ele está super aquecido.

A cada vez mais, os tutores buscam por médicos veterinários que ofereçam serviços mais completos. Mas, e você está preparado para atender estes pacientes? Com toda certeza, com o curso de odontologia em pequenos animais você vai oferecer aos seus pacientes um atendimento diferenciado e especializado.

E vamos combinar, qual tutor que não vai querer isso para seu “filho de quatro patas”? Seja o profissional que o mercado procura! Clique na imagem abaixo e saiba mais:

Curso de Odontologia em Pequenos Animais

Fonte: Canal do Pet IG e ID med

  • 587
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  
Pequenos Animais

Atualizado em: 6 de agosto de 2019

Artigos Relacionados