Entenda como funciona a fase da recria de bovinos de corte!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
recria de bovinos de corte

A produção de bovinos é uma técnica que engloba três fases muito importantes para o bom funcionamento do processo: a cria, a recria e a engorda. Quando administradas de maneira correta, são responsáveis por trazer um grande retorno financeiro e qualitativo aos produtores. Nesse sentido, a fase da recria de bovinos de corte é a mais extensa do manejo e é a única que pode possuir uma variação no tempo de duração. Acontece entre a fase de cria e de engorda dos bovinos, e é extremamente importante, uma vez que reflete diretamente na rentabilidade dos animais da fazenda.

Por muitas vezes, esse processo não é feito da melhor forma e nem lhe é dada a devida atenção, sendo até mesmo descartada em alguns sistemas. Essa situação pode acabar por prejudicar o alcance dos objetivos estabelecidos e diminuir a lucratividade da fazenda. Se interessou pelo assunto? Leia mais a seguir! 

A fase de recria 

Esse processo de recria de bovinos de corte costuma durar, em média, dois anos e é nesse período que ocorre o manejo e desenvolvimento dos ossos e músculos do animal. Nesse tempo, a gestão também ocorre para que as fêmeas entrem em período reprodutivo mais cedo. Dessa forma, visando atingir uma maior lucro, é interessante aos pecuaristas que os bezerros ganhem muito peso no menor período de tempo possível. Caso essa fase não seja bem administrada, pode acabar por prejudicar o período de engorda dos animais.  

Cuidados necessários para a recria de bovinos de corte

 Existem alguns cuidados prévios e diários que devem ser tomados para que a fase de recria de bovinos de corte aconteça da maneira correta. O primeiro a se destacar é em relação à nutrição. É imprescindível que haja uma área de pasto que corresponda à demanda dos animais. Também, faz-se necessário fornecer uma suplementação alimentar, com o objetivo de complementar o que é fornecido pela ração e pela pastagem e evitar a perda de peso desses animais.

Outro cuidado que os pecuaristas e produtores devem ter é com parasitas. Os bovinos contaminados podem sofrer com perda de peso e até mesmo ter sua estética prejudicada. A fim de impedir que seus animais sejam acometidos por organismos indesejáveis, a administração de vermífugos e de suplementos que atuem com esse fim se mostra indispensável. 

Ainda sobre a saúde dos animais, é necessário manter as vacinas em dia, de acordo com as datas estabelecidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Desse modo, evita-se que doenças sejam transmitidas aos consumidores e a outros animais. Essa medida também se relaciona ao manejo sanitário da fazenda. Assim, o rebanho deve estar vacinado contra carbúnculo, febre aftosa, brucelose, entre outras doenças. 

Desafios da fase de recria de bovinos de corte

Além da atenção aos cuidados e necessidades dos animais da fazenda, o produtor precisa estar alerta e identificar alguns entraves que são comuns à fase de recria. Tem-se por exemplo, a questão da mudança de clima, que afeta diretamente a nutrição dos animais. É preciso destacar que, fora do período de seca, a temperatura elevada, a umidade relativa do ar e a luminosidade corroboram para que haja mais forragem disponível. Essa situação acaba por favorecer o ganho de peso dos bovinos. Contudo, no período de estiagem, é comum que o solo sofra com a perda de nutrientes. Assim, o sal mineral e o sal proteinado devem agir como suplementação alimentar a esses animais, garantido que as demandas nutricionais sejam devidamente supridas. 

Também, um outro desafio enfrentado é em relação à compra de bezerros para a fase de recria de bovinos de corte. Essa prática é realizada enquanto a fazenda ainda dispõe de animais na mesma etapa do manejo. Dessa forma, é necessário que haja um bom capital de giro, visando suprir quaisquer despesas. Além disso, o pecuarista também pode se deparar com uma baixa oferta de animais, quando comparada à demanda de sua produção. Assim, pode acabar por adquirir bezerros mais caros ou que apresentem qualidade genética inferior. 

Eficiência do rebanho

O desempenho da fazenda também pode estar diretamente relacionado à fase de recria. Para o sucesso dessa gestão e visando melhorar o desempenho dos animais, algumas estratégias devem ser adotadas. Um exemplo é manter o bezerro desmamado no mesmo pasto que estava, uma vez que o ambiente já lhe é familiar, fazendo a mudança apenas das fêmeas. Outra técnica aplicada é a de manter o bezerro em um cocho individual que é utilizado somente por ele. Assim, a dependência materna é amenizada e o desenvolvimento do animal é favorecido. Esse método é conhecido como Creep-feeding. 

Quanto às pastagens, é interessante que ofereçam folhagens em maior quantidade e com menos talos. Também devem apresentar qualidade nutricional elevada. Além disso, reforça-se a importância da suplementação alimentar, proteica ou energética, que acaba por elevar o consumo e o desempenho do rebanho.

É indiscutível que a fase de recria de bovinos de corte é de extrema importância para o manejo desses animais. Para que seja feita da melhor maneira possível, é necessário que o profissional esteja capacitado para auxiliar na sua realização e tenha conhecimento das técnicas utilizadas nessa fase, garantindo a preparação dos animais para fase de terminação e alcançando bons resultados. Gostaria de se especializar na área? Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Gado de Corte (Alimentos e Alimentação)!

Fontes:  Prodap, DSM, Blog Agromove, Copacol, Gestão Agropecuária.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados