O que fazer em caso de intoxicação em bovinos? Descubra!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
intoxicação em bovinos

A intoxicação em bovinos é uma das principais causas de prejuízos e perdas econômicas diretas e indiretas em rebanhos. Inclusive é comum altos índices de mortalidade, principalmente por ingestão de plantas tóxicas, em determinadas regiões.

Quem lida com esses animais deve saber avaliar os problemas que venham ocorrer no dia a dia, tomar decisões em situações emergenciais e reconhecer os principais sinais e sintomas, para evitar que o problema se agrave. 

Por isso, é fundamental ter como base o primeiro atendimento até a chegada do profissional ou o transporte do animal ao hospital.

Para te ajudar a entender melhor sobre esse assunto, neste artigo vamos explicar os principais tipos de intoxicação em bovinos, como agir caso perceba uma intoxicação e a importância de estar preparado para prestar os primeiros socorros. Confira!

Principais tipos de intoxicação em bovinos

A intoxicação em bovinos pode acontecer de diversas formas. Eles podem ser contaminados por bactérias (ex: Botulismo), parasitas e substâncias químicas encontradas em plantas. 

Veja a seguir dois dos principais tipos de intoxicação em bovinos:

Intoxicação por uréia ou amônia

A intoxicação por amônia é resultado do catabolismo de aminoácidos, ácidos nucléicos e de amônia endógena ou exógena da dieta. É esporádica, mesmo assim, mata cerca de 200 bovinos por mês no Brasil. Ela atinge principalmente animais de criação extensiva, que se alimentam de capim. 

Como no período seco o capim fica pobre em proteínas, é comum enriquecer a dieta com suplementos protéicos como a uréia. Isso porque ela pode proporcionar diversas vantagens para os ruminantes, porém, sua utilização inadequada ou em excesso pode gerar sérios danos à saúde animal.  

Na verdade, é preciso esclarecer que, o que causa a intoxicação é a amônia gerada rapidamente por meio da fermentação ruminal. Ou seja, é preciso muito cuidado ao misturar as dietas e também na quantidade de uréia oferecida para evitar esse tipo de problema. 

Os sintomas se iniciam geralmente de 20 a 60 minutos após a ingestão da ureia.  Ela pode apresentar quadro clínico drástico, rápido e levar bovinos à morte em até 30 minutos após a sua ingestão. 

Prevenção: O total de uréia não deve exceder 3% do concentrado ou 1% da matéria seca da ração. Além disso, é essencial adotar um esquema de adaptação gradual do animal à dietas com uréia até chegar a dose ideal.

O que fazer em caso de intoxicação por amônia 

Em caso de intoxicação por amônia o tratamento deve ser imediato. Nos primeiros socorros, uma boa alternativa é a mistura de soro fisiológico e diurético que hidrata o animal e elimina a toxicidade do sangue.

Essa solução precisa ser injetada diretamente no sangue assim que os sinais forem notados, caso contrário o animal pode morrer em pouco tempo.

Também é possível dar ao animal vinagre ou ácido acético para baixar o pH, diminuir a hidrólise da ureia e reduzir a absorção de amônia pelo sangue. Além de água gelada em grandes quantidades para diminuir a temperatura. 

Feito isso, o ideal é encaminhar o animal o mais rápido possível para o profissional realizar um rápido lavado ruminal e tomar as demais providências.

Intoxicação por plantas

Atualmente são descritas mais de 50 espécies tóxicas para ruminantes, contudo as causadoras de grandes perdas econômicas são relativamente poucas. As principais perdas são: diminuição dos índices reprodutivos, redução da produtividade, doenças transitórias, morte dos animais e custos com medidas profiláticas e de controle. 

Geralmente a intoxicação por plantas está associada a fome, causada por superlotação dos pastos, escassez de alimentos devido a fatores climáticos, jejum longos durante transportes de longa distância ou ainda pela falta de controle de plantas tóxicas em pastagens. 

Prevenção: Como os ativos da plantas agem rapidamente no organismo, a cura na maioria das vezes é muito difícil. Por isso, o ideal é investir na prevenção, realizando principalmente o controle eficiente das plantas tóxicas, evitando a escassez de pastagens ou investindo em suplementação nas épocas de escassez para evitar que os animais procurem por este tipo de alimento.

O que fazer em caso de intoxicação por plantas tóxicas

O procedimento de socorro vai depender do tipo de planta ingerida, contudo, não existem tratamentos específicos e eficazes, que sejam capazes de reverter os efeitos tóxicos causados pela ingestão dessas plantas.

A primeira medida deve ser colocar o animal em repouso onde não há presença da planta. Para facilitar o diagnóstico e o tratamento, quando possível, é importante identificar o vegetal e guardar uma amostra. Assim também fica mais fácil evitar que outros se intoxiquem.

Dependendo da planta o tratamento pode ser feito com alguns tipos de soro, hidratação parenteral, anti-histamínico, aplicação de pomadas, purgantes, corticoide, antibióticos, anti-histamínicos, óxido de zinco entre outro.

Importância de estar preparado para prestar os primeiros socorros

Os primeiros socorros em casos de intoxicação em bovinos tem como principal propósito prestar um atendimento rápido para que a vida do animal seja preservada e mantida até que o atendimento adequado possa ser realizado.  

O recomendado é identificar o agente causador da intoxicação e solicitar atendimento especializado o mais rápido possível. Porém, na ausência de um profissional qualificado, qualquer indivíduo com noções de primeiros socorros pode ser essencial para salvar a vida de um animal. 

Por isso, é extremamente importante o interesse em buscar conhecimento sobre este assunto. 

Se você é produtor de gado ou trabalha no ramo de criação de bovinos, precisa estar sempre preparado para agir em situações emergenciais com bovinos a campo. No curso de Primeiros Socorros em Bovinos, do CPT Cursos Presenciais, você encontra informações atualizadas sobre os problemas mais frequentes que ocorrem na criação de bovinos e aprende de forma prática a lidar com eles. 

Com essa capacitação você vai entender as principais causas, sintomas e soluções de emergências relacionadas aos bovinos. E o mais importante, aprenderá como proceder corretamente na prevenção. Quer saber mais? Clique aqui.

Fontes:

 Coimma, UFRGS, USP, Cursos CPT, Boi Saúde.  

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados