Veja como a ultrassonografia é aliada na oftalmologia em cães

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Os serviços de oftalmologia em cães estão tendo cada vez mais demanda em consultórios e clínicas veterinárias. Isso porque, com a maior expectativa de vida dos animais, a tendência é que alguns problemas de saúde, incluindo na visão, possam surgir. Principalmente em algumas raças específicas como o pug, bulldog francês e inglês e Shi Tzu que, devido ao focinho achatado são  mais propensos a desenvolver tais patologias.

O grande desafio no caso dos cães é que, ao contrário dos humanos, os quais problemas oftálmicos não são identificados rapidamente.

Nesse sentido, a ultrassonografia veterinária é uma grande aliada ao diagnóstico tendo em vista que auxilia na rápida identificação de doenças, de forma indolor e não avisa. Com isso, as chances de tratamento o ou estagnação da condição são bem maiores. 

Neste artigo vamos entender um pouco mais sobre como o diagnóstico por imagem pode ser um diferencial nos casos de oftalmologia em cães. Confira! 

Aspectos da oftalmologia em cães

oftalmologia em cães

A oftalmologia é uma especialidade que está em crescente expansão na medicina veterinária. Além disso, é responsável pelo diagnóstico e tratamento das doenças no olho. E mais, assim como os humanos, os animais também precisam ser submetidos a consultas periódicas que possibilitem avaliar as condições oftalmológicas.  

As doenças oftálmicas em cães são muito comuns, sobretudo quando os animais se encontram na idade idosa. No entanto, por não apresentarem sintomas evidentes, acabam sendo diagnosticadas tardiamente. E isso pode levar à cegueira permanente.

O olho é um órgão único que é constituído por tecidos sensíveis, nobres e especializados. E, apesar da visão não ser o sentido mais utilizado pelos cães, o atendimento rápido é essencial para que ele não perca a capacidade de enxergar por completo. 

Principais doenças oftálmicas em cães

Em alguns casos, o animal perde a visão devido a problemas relacionados ao avanço da idade. No entanto, alguma oftalmopatias, conhecidas por acometer humanos, são bem comuns nos pequenos animais.

As doenças oculares mais comuns em cães são: 

  • Glaucoma: tem como principal característica o aumento da pressão ocular. Essa doença leva a degeneração de estruturas nervosas. Assim, o animal vai perdendo progressivamente a visão. Os animais  costumam coçar os olhos com frequência, e podem apresentar tremor nas pálpebras.
  • Catarata: é o resultado de alterações nas lentes dos olhos, que ficam esbranquiçadas ao invés de cristalinas. Acomete animais de diversas idades e podem surgir em consequência da idade avançada ou mesmo por conta de fatores hereditários.
  • Olho seco:  a ceratoconjuntivite seca, popularmente conhecida como “olho seco” ocorre quando a lágrima produzida é insuficiente ou apresenta características inadequadas.
  • Ceratite: é uma inflamação na córnea que em alguns casos pode estar associada a lesões, traumas, alterações nos cílios e pálpebras. Raças que possuem olhos mais expostos têm maiores chances de apresentar a doença.

Diagnóstico com auxílio da ultrassonografia veterinária

A ultrassonografia veterinária é uma alternativa ao diagnóstico tradicional de problemas de origem oftálmica. Afinal, com a tecnologia disponível nos equipamentos e ultrassom e nos tradutores é possível avaliar importantes estruturas intraoculares. 

As informações obtidas a partir desse exame são essenciais para diagnosticar uma série de doenças e então, prosseguir com o tratamento mais adequado. 

Com isso, as principais recomendações do ultrassonografia na oftalmologia em cães estão os seguintes aspectos: 

  • Conteúdo intraocular;
  • Opacidades do meio intraocular;
  • Diagnóstico de massas intraoculares e orbitárias;
  • Biometria das estruturas intraoculares e orbitárias;
  • Determinação do comprimento axial (para cálculos de lentes intraoculares).

Assim, o ultrassom veterinário consegue avaliar estruturas intraoculares no momento em que os meios transparentes do olho encontram-se opacos.

Essa é uma técnica não invasiva e deve ser feita com com o auxílio de anestésico e tranquilizantes. Alguns dos principais benefícios da adoção dessa técnica são: 

  • Possui baixo custo;
  • Diagnóstico preciso e rápido; 
  • Não utiliza radiação ionizante no animal;
  • Utiliza ondas de alta frequência (15 a 20 mhz);
  • Procedimento fácil de ser realizado (após aprendizagem da técnica).

Sintomas de alterações oftálmicas

Na oftalmologia em cães, quanto antes for o diagnóstico das alterações, maiores as chances de tratamento. Por isso é preciso ter atenção aos principais sinais da ocorrência de doenças oculares, que na maioria das vezes são:

  • Olhos avermelhados;
  • Lacrimejamento em excesso;
  • Secreção e coceiras;
  • Quedas frequentes;
  • Visão embaçada;
  • Olhos com aspecto seco;
  • Prurido nos olhos;
  • Sensibilidade exagerada à luz.

De maneira geral, sabemos que a oftalmologia em cães tem muito a ganhar com o uso da ultrassonografia veterinária. Por essa razão, conhecer o uso desse equipamento é essencial para quem quer atuar com qualidade e precisão nessa área. 

E você, está preparado para fazer ultrassonografia ocular em cães? Com o Curso de Ultrassonografia em pequenos animais do CPT Cursos Presenciais você conhecerá os princípios dessa técnica e sairá apto para realizar diagnósticos precisos e não invasivos! 

Fonte: Revista Veterinária e Blog do Mundo Veterinário

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados