Vai levar o pet no carnaval? #7 Dicas para conciliar folia e cuidados

  •   
  •   
  • 395
  •  
  •  
  •  
  •  

A contagem regressiva para feriado mais agitado do ano já começou e muitos tutores costumam incluir o pet no carnaval. Há quem prefira aproveitar os dias de folga para viajar e descansar. Mas, tem sempre aqueles foliões que curtem a festa! Se você não vai deixar de lado seu “melhor amigo” precisa tomar alguns cuidados, para não acontecer nenhum tipo de acidente.

Os animais são tratados como membros da família. Assim, muitos tutores pensam em levá-los para todos os lugares. Por exemplo, passeio no shopping e idas ao parque. Ainda mais, nesse feriadão outros vão levar os animais para brincar nos blocos pet friendly ou como companhia durante as viagens. Porém, para que a festa termine bem, é preciso ficar de olho para que levar o pet no carnaval não o exponha a risco.

Quer saber o que fazer com os animais de estimação durante este período? Principalmente, quais os principais cuidados que não podem ser esquecidos? Então, confira as dicas para garantir uma diversão segura e saudável para o cachorro!

#7 Dicas para quem vai levar o pet no carnaval

Para evitar que os cães se machuquem e que a diversão seja saudável é importante conhecer algumas dicas que ajudarão os pets no carnaval. Então, se você vai “colocar seu bloco na rua” na companhia de seu animal de estimação veja algumas dicas:

1# Pegue leve na fantasia

Fantasiar e enfeitar os pet no carnaval é muito fofo e divertido, mas evite excessos. Ou seja, nada de embrulhar o animal numa fantasia super bonita. Ao usar roupas e apetrechos verifique se eles não são muito quentes e se impede de trocar o calor com o ambiente. Utilize tecidos leves e que sejam confortáveis para o animal. Afinal, é verão na maior parte do Brasil e o calor costuma ser forte.

#2 Vacina

Elas são o método de proteção mais importante para os animais. Pois, elas evitam que ao sair na rua os cães contraiam doenças perigosas como a cinomose. Então, como a interação entre pessoas, animais e ambientes desconhecidos são intensos nesse período, estar com a vacinação em dia é extremamente importante. Assim como, o controle contra pulgas e carrapatos.

#3 Hidratação

Não esqueça de levar água fresca para oferecer ao pet, mesmo que ele aparente não estar com sede estimule a ingestão dela e faça pausas para evitar que o animal passe mal com o calor. Afinal, excesso de calor e falta de água podem levá-lo ao um quadro de hipertermia.

#4 Atenção com a temperatura do chão

Evite sair com o cachorro nas horas mais quentes do dia. Isto é, entre as 10h e 16h da tarde, quando o sol está muito forte e o asfalto quente. Se o chão estiver com alta temperatura pode provocar queimaduras no coxins (almofadinhas das patas) e causar sofrimento aos pets.

#5 Identificação do pet no carnaval

Por ser um ambiente de muito movimento, é importante uma placa de identificação presa na coleira ou no peitoral contendo o nome e o telefone de contato dos tutores.

#6 Não esqueça dos acessórios obrigatórios

Para evitar que a plaquinha de identificação seja utilizada, garanta que a coleira ou a guia estejam bem presas. Mas, sem esquecer do conforto do pet, pois quando mal colocados estes itens podem apertá-lo.

#7 Cuidado com som alto

Os cães têm uma audição extremamente apurada e sensível. Por isso, mesmo que o som não esteja tão alto para nós, eles podem ficar incomodados ou se assustados com o barulho alto provocado pela folia nas ruas. Então, evite que o animal fique próximo às caixas de som.

Sabendo de tudo isso, você deve estar se perguntando o que fazer caso uma emergência ocorra com o pet no carnaval, não é mesmo? Veja sobre o assunto em seguida!

O que fazer caso uma emergência aconteça?

O organismo de cada animal responde de um modo diferente. Ou seja, a hora “H” para alguns animais podem ser mais curtas do que para outros. Então, é importantíssimo estar preparado para situações emergenciais.

A primeira informação importante é que caso o cachorro sofra algum acidente, de maneira alguma, tente medicá-lo sem a devida orientação do médico veterinário. Caso um incidente ocorra com o animal leve-o imediatamente ao veterinário. Isto pode fazer a diferença na preservação de sua vida. Já que, em casos mais graves cada segundo é extremamente valioso.

Quando o assunto é emergências e pronto atendimentos em pequenos animais sempre há uma surpresa. Dessa forma, é essencial que os profissionais que atuam nessa área sejam altamente capacitado. Pois, um erro pode ser determinante na piora ou melhora do animal atendido.

Você, médico veterinário, está apto a atuar com segurança em situações emergenciais? Quanto mais preparado você estiver para tomar decisões objetivas e realizar manobras assertivas, maiores são as chances de ter aquela maravilhosa sensação de dever cumprido.

Quer salvar mais pacientes? Veja essa dica:

Curso de Emergência e Pronto atendimento em pequenos animais
  • 395
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Pequenos Animais

Atualizado em: 16 de maio de 2019

Artigos Relacionados