Redução da idade ao abate do rebanho: vale a pena?

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
Redução da idade ao abate

Um questionamento comum entre pecuaristas é se a redução da idade ao abate é um fator importante para a propriedade. Com o crescimento do setor de produção de carne e a demanda pela maciez do produto, a elevação dos esquemas de produtividade podem ser lucrativos e trazer bons resultados para a pecuária de corte.

A precocidade do abate pode trazer 10% de recompensa ao produtor. Contudo, é necessário saber quais são as etapas para implementar a redução e como isso será vantajoso. Confira os detalhes neste artigo.

Condições para a redução da idade ao abate

A redução da idade ao abate não é apenas uma escolha do pecuarista responsável pelo manejo, mas sim pelas condições do rebanho. Isso significa que os animais precisam ser avaliados para saber se enquadram nas exigências estabelecidos pelo setor. 

Confira alguns dos critérios para a redução da idade ao abate relacionados, sobretudo, à alimentação e que guiam as práticas do mercado:

  • com dois anos, o animal só deve ser encaminhado para o frigorífico com, minimamente, 460 kg;
  • ter entre 3 e 6 mm de capa de gordura, o que garante preservação e sucosidade à carne;

Atenção ao manejo  

Nutrição

É importante salientar que a recria é um processo que necessita de atenção para aproveitar a melhor temporada, chamada de “época das águas”, para ter uma arroba barata, assim como deve-se prezar pela terminação mais intensiva, ou seja, manejo de confinamento ou, até mesmo, semi-confinamento. Organizar a monta ou o período de inseminação artificial e ter cuidados com a alimentação são essenciais para esse procedimento. Logo, precisa-se balancear a alimentação entre concentrado e volumoso e garantir a suplementação adequada para os animais.

A nutrição uterina, que ocorre antes mesmo do nascimento do animal, precisa ser equilibrada. Assim, implementa-se um protocolo nutricional para a vaca durante sua gestação, o que consequentemente auxiliará no melhor desenvolvimento fetal.

Portanto, é importante fazer os cálculos, pois a alimentação é um processo diretamente ligado à precocidade do abate, porém exige investimento em produtos de qualidade para o rebanho. 

Outros fatores importantes

Outro fator que precisa ser considerado na redução da idade ao abate é o melhoramento genético juntamente aos manejos sanitário, nutricional e de rebanho. A propriedade que deseja implementar a redução da idade ao abate necessita de acompanhamento veterinário para colocar em prática novas tecnologias para potencializar os ganhos genéticos e manter todos os cuidados sanitários e preventivos com os animais.

Indica-se, ainda, o acompanhamento do rebanho para que as novilhas, desde as primíparas, possam entrar no esquema reprodutivo. Tudo isso, deve ser feito com assistência profissional de modo a garantir o bem-estar de todos os animais. 

Portanto, a combinação dos fatores apresentados podem resultar em respostas satisfatórias, aumentar a lucratividade do rebanho e a rotatividade do pasto. 

Mas, para alcançar tais resultados, cuidar do manejo nutricional é dos pilares fundamentais. Se você ainda tem dúvidas sobre o assunto ou quer se capacitar na área, conheça o Curso de Manejo Nutricional de Gado de Corte (Alimentos e Alimentação) e aprenda, de forma prática, as técnicas modernas de alimentação para conseguir elevada eficiência na produção animal e obter grandes rendimentos. A capacitação profissional é primordial para crescer no mercado de gado de corte. 

Fontes: Revista Agropecuária; Giro do Boi; Embrapa; Assessoria Agropecuária; Giro do Boi.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados