Entenda sobre o diagnóstico de trauma ósseo em cães!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
trauma ósseo em cães

A ortopedia veterinária é uma das especialidades mais procuradas nos hospitais veterinários, entre as causas mais comuns está o trauma ósseo em cães. Porém, a área ainda possui muita carência de profissionais aptos a diagnosticar e realizar procedimentos cirúrgicos. 

É fato que os cães adoram correr, pular e brincar em lugares com pouca segurança e muitas vezes acabam com sérios problemas ortopédicos que deixam os tutores assustados. A boa notícia é que com um diagnóstico rápido e seguro é possível minimizar os danos e na  maioria das vezes o animal pode retornar normalmente a suas atividades. 

Pensando nisso, preparamos este post com informações sobre o trauma ósseo, suas principais causas e os principais métodos de diagnóstico. Continue lendo e veja também uma dica para você aprender na prática as principais técnicas cirúrgicas realizadas na ortopedia em hospitais veterinários. Confira:

O que é um trauma ósseo em cães

O trauma ósseo é uma lesão interna ou externa, resultado de uma agressão mecânica que atua do exterior sobre os ossos. Ele pode ser direto ou indireto.

O direto é quando o trauma atinge diretamente o osso fraturado. Já quando ele atinge um osso e esta energia é transmitida através de uma ou mais articulações, lesionando outro osso a distância, acontece o trauma indireto.

Há diversos tipos de lesões ortopédicas que podem ser causadas por traumas, como as fraturas, luxações, contusões ou torções. Sendo que apenas as fraturas atingem os ossos.

As fraturas são mecanismos do trauma no qual o osso é quebrado, podendo acontecer em qualquer parte dos ossos ou nas articulações. 

A luxação ocorre nas articulações, como se fosse um desalinhamento ou desencaixe articular. Essas costumam ser mais graves que as fraturas e geralmente exigem intervenção cirúrgica.

O entorse também acontece nas articulações. É um tipo de torção sem a luxação, consequência de um trauma indireto.

Por fim, a contusão é um mecanismo de impacto. Esse tipo de lesão é causada por trauma direto, como quedas, pancadas ou chutes, sem deixar feridas na pele ou fraturas. Na maioria das vezes ela não costuma ser grave, deixando apenas hematomas ou edema.

Principais causas

As causas de trauma ósseo em cães são variadas, entre as principais estão:

  • Acidentes de trânsito (atropelamento);
  • Lutas (brigas com outros cães);
  • Mordidas;
  • Quedas, principalmente em superfícies duras;
  • Saltos de pequenas alturas como sofá, cama ou até mesmo do colo do tutor;
  • Acidentes domésticos como quedas de objetos pesados sobre o animal ou pisadelas;
  • Maus tratos.

A desnutrição também pode causar traumas, já que a falta de nutrientes deixa os ossos mais fracos.

Métodos de Diagnóstico

Para diagnosticar um trauma ósseo em cães o ideal é que o médico veterinário realize um exame ortopédico completo. O primeiro passo é a coleta de informações por meio da anamnese, e a avaliação da caminhada.

Na conversa com o tutor é muito importante perguntar onde, como e quando aconteceu, qual membro está afetado e todos os detalhes possíveis do trauma. Se for uma briga com mordidas, por exemplo, a primeira impressão pode enganar. Acontece que muitas vezes nessa situação o animal apresenta poucas lesões cutâneas, mas em nível subcutâneo ou muscular pode estar acumulando líquido inflamatório.

Também é preciso se informar sobre o histórico de quedas ou fugas, se o animal está apresentando dificuldades para sentar, deitar ou levantar, se está com o temperamento alterado. Além disso, perguntar se o tutor observou algum edema ou creptação e se já fez uso de algum medicamento.

Esses e outros questionamentos podem inclusive ser feitos durante a avaliação da caminhada. É preciso começar com uma caminhada leve para observar claudicações, alívio de peso, tremores ou fraqueza. 

Depois vale intensificar o ritmo e fazer o animal subir e descer escadas ou rampas, assim como sentar e levantar para avaliar outros tipos de alterações. Durante esses exercícios o animal vai dar pistas valiosas para o médico veterinário.

Diagnóstico  por imagem

Em casos de politraumatismo, o tempo é vital e o exame clínico e diagnóstico por imagem, como o Raio-X e a Ultrassonografia, fazem toda a diferença para estabelecer o melhor tratamento. 

A Ultrassonografia é um exame muito comum e indicado para a avaliação dos ossos e das suas estruturas associadas. Inclusive além do diagnóstico, pode ser indicado para prevenção, tratamento e acompanhamento de diversas doenças e procedimentos clínicos. Isso porque não utiliza radiação, é seguro, acessível, não invasivo e fornece imagens nítidas em tempo real. 

Contudo, antes de realizar esses exames os sinais clínicos precisam ser devidamente estabilizados. Lembrando que em caso de fraturas expostas, é fundamental avaliar a integridade da pele e dos tecidos moles.

Após sofrer qualquer trauma ósseo, mesmo que aparentemente o cão esteja bem, é muito importante realizar exames adequados, incluindo os diagnósticos com imagem para detectar ou excluir uma lesão. Só assim será possível determinar o melhor tratamento com agilidade e proporcionar o bem-estar do animal.

Treinamento na área

Se você deseja garantir seu diferencial nessa área totalmente promissora, é preciso investir na sua formação. Conheça o Curso de Cirurgias Ortopédicas em Pequenos Animais do CPT Cursos Presenciais. O objetivo principal é ensinar e aprimorar técnicas cirúrgicas de ortopedia  que ocorrem na rotina em clínica cirúrgica de pequenos animais e são fundamentais para um bom atendimento. Clique aqui e veja mais informações.

Fonte:

Vet Smart, Shop Veterinário, Orto Canis 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados