Anestesia em pequenos animais: Você sabe qual é a melhor?

  •   
  • 968
  •  
  •  
  •  

A anestesia em pequenos animais é utilizada em todo procedimento cirúrgico. Desde uma limpeza dentária, castração ou cirurgia ortopédica, por exemplo, precisam ser realizados com o animal anestesiado. É a anestesia que vai garantir que o paciente não sinta dor, além de deixá-lo inconsciente durante todo o procedimento. Assim, como em humanos, nem todos os animais recebem o mesmo tipo de anestesia. Pois, ela é variável de acordo com a idade, tipo de intervenção e duração.

Para te explicar melhor, a anestesia nada mais é do que um fármaco com a função de suprir por um tempo determinado a dor do paciente. Então, é justamente por isso que a área da anestesiologia é uma das áreas mais difíceis e com maiores importância tanto na medicina humana quanto na veterinária.

Isto é, para que a anestesia seja tranquila e sem complicações ao paciente é imprescindível um médico veterinário anestesiologista capacitado para escolher o melhor medicamento e a dosagem correta a serem utilizados naquela situação.

Você, médico veterinário, já deve saber que a anestesia em pequenos animais pode ser feita tanto por via inalatória, quanto injetável, não é mesmo? Ainda mais, ela pode ser local ou geral, mas você quer saber qual é a melhor?  Então, confira esse artigo que preparamos para tirar essa dúvida da sua cabeça!

Tipos de anestesias em pequenos animais

Anestesia em pequenos animais

Existem vários tipos de anestesias que são mais indicadas para cada situação. Porém, a anestesiologia é dividida em dois principais planos anestésicos, sendo elas a anestesia local e a geral. Estas podem ser inalatória ou injetável.

Anestesia geral

É usado quando é necessária a perda total da consciência do paciente. Além disso, nesse tipo de anestesia o animal tem suprimido temporariamente a percepção total da dor. Ela é bastante utilizada para castração, cirurgias ortopédicas e amputação de membros.

Anestesia local

Os fármacos utilizados neste procedimento têm a vantagem de promover a perda da sensibilidade dolorosa sem a perda da consciência do animal, devido ao bloqueio dos impulsos nervosos do local a ser operado. Este tipo de anestesia é constantemente utilizada em casos de procedimentos menos invasivos.

Anestesia inalatória

É a mais segura por não precisar ser metabolizada para agir, pois faz efeito por meio da inalação dos medicamentos. O anestesista, com auxílio de equipamentos, tem total controle do estado do animal, como o paciente é entubado é possível aumentar ou diminuir a quantidade de anestésico durante a cirurgia.
Por proporcionar maior segurança, acaba sendo mais escolhida por médicos veterinários. Principalmente, em casos de operações de animais:

  • Obesos
  • Idosos
  • Com algum tipo de cardiopatia
  • Detenham de histórico médico que indique a necessidade da anestesia inalatória

Anestesia injetável

Pode ser aplicada por via intramuscular ou intravenosa. Existem várias opções de medicamentos que podem ser aplicados na anestesia injetável. Mas, os fármacos devem ser avaliados por um anestesiologista que irá avaliar o estado do animal. Nesse caso, é levado em consideração a idade, obesidade e possíveis problemas de saúde para indicar o medicamento de acordo.

Nesse procedimento, o anestésico é suspenso após o término da cirurgia e então se inicia o processo de recuperação da anestesia. Isto é, dependendo do tipo do fármaco utilizado e condição do paciente, a recobra da consciência pode levar alguns minutos ou até horas. Alguns animais podem despertar agitados, com alterações na pressão arterial ou com vômitos. Por isso, deve permanecer sob os cuidados do médico veterinário até que se diminuam os efeitos.

Que a anestesia veterinária exige muito treinamento e estudo você já sabe, não é mesmo? Então, para te ajudar a mergulhar de cabeça no assunto confira informações preciosas nesse e-book que foi criado pensando em pessoas como você.

Agora que você, médico veterinário, já sabe os tipos de anestesias em pequenos animais deve estar querendo saber qual é a melhor, certo? Então, acompanhe o próximo tópico!

Inalatória ou injetável: qual é a melhor anestesia?

Para determinar qual a melhor anestesia, isto deve ser avaliado pelo médico veterinário. Ou seja, o profissional deve realizar exames para detectar se o paciente tem alguma patologia, levar em consideração a idade, função cardíaca, além da avaliação do comportamento do animal. Assim, é possível ter um perfil do estado clínico do paciente para pode decidir qual é o tipo de anestesia mais indicado, se é a inalatória ou injetável.
A escolha da anestesia depende diretamente da complexidade do caso e da resistência do animal. Dessa forma, o médico veterinário pode até optar em adotar mais de um medicamento anestésico. Mas, algumas anestesias podem ser contra-indicadas para pacientes com dificuldade respiratórias e animais mais velhos. Por isso, o melhor anestésico vai depender de cada situação.
Tudo isso, é avaliado de acordo com a preparação da anestesia, que está ligadas aos exames pré-operatório. É sobre isso que trataremos em seguida, confira!

Qual é o segredo para obter bons resultados no procedimento?

Para que você, médico veterinário, obtenha bons resultados na anestesia em pequenos animais é necessário realizar uma avaliação minuciosa no período pré-operatório. Depois de toda essa análise, o preparo do paciente seja adequado e os riscos de complicações no período pós operatório serão ainda menores.

Além disso, os animais têm características individuais e próprias. Por isso, cabe também aos profissionais realizarem, a anestesia balanceada adequada e ajustada a cada paciente de acordo com os exames pré-operatórios.

Outro ponto importante na anestesia em pequeno animais é a medicação pré-anestésica, pois ela apresenta diversas vantagens ao procedimento como:

  • Diminui o estresse
  • Facilita a contenção do paciente
  • Potencializa os fármacos indutores anestésicos
  • Permite uma indução e recuperação mais suaves
  • Diminui as secreções de vias aéreas e a salivação

Para a medicação pré-anestésica também é importante que se leve em consideração a condição geral e fisiológica do paciente. Pois esses dados devem ser sempre relacionados ao procedimento cirúrgico no qual o paciente será submetido.

Dificuldades na anestesia

Pacientes obesos, filhotes, idosos, ou com alguma patologia que dificulte ainda mais a anestesia apresentam particularidades anatômicas específicas, que devem ser levadas em conta pelo médico veterinário anestesista. Em função disso, o profissional deve estar bem preparado para contornar as dificuldades que podem surgir no procedimento.

Para evitar incidentes anestésicos, existem alguns pontos que devem ser levados em consideração como realizar a avaliação pré-anestésica o mais minuciosa possível, incluindo exames necessários para minimizar os riscos.

É importante lembrar que risco anestésico sempre existe. É justamente por essa razão que o médico veterinário precisa estar apto a enfrentar uma situação de emergência durante o procedimento. Como por exemplo, uma queda de pressão brusca, consequentemente a queda no sistema cardiovascular, que pode até levar o animal a uma parada cardiorrespiratória.

A importância do pré-operatório

Para obter resultados satisfatórios na administração da anestesia é preciso deve realizar uma avaliação detalhada durante o período do pré-operatório. Assim, você não expõe seu paciente a maiores riscos e complicações durante o procedimento e no pós-operatório. 

A medicação pré-anestésica têm inúmeras vantagens como:

  • diminui as secreções de vias aéreas e a salivação;
  • permite uma indução e recuperação mais suaves;
  • diminui o estresse;
  • potencializa os fármacos indutores anestésicos;
  • facilita a contenção do paciente.

Lembrando que para todas essas etapas é de extrema importância levar em consideração a saúde dos animais.

Riscos anestésicos e cuidados pós-cirúrgico

Os riscos decorrentes da anestesia estão presentes e fazem parte de todo o processo. Portanto, o profissional deve estar bem preparado e qualificado para poder contornar as dificuldades que eventualmente surjam durante a intervenção cirúrgica. Principalmente aqueles que possuem fatores de risco.

Como está o mercado na área?

Não há dúvidas de que  é de extrema importância que o médico veterinário esteja apto para atuar durante uma situação de emergência. Além disso, o mercado para médicos veterinários está em crescimento constante e o número de profissionais aumenta a cada dia.

Os profissionais dessa área ultrapassam 120 mil ativos por todo país. E a área de pequenos animais é que mais cresce.

De acordo com o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) o mercado está recebendo cerca de 5 mil recém-formados anualmente. Sem contar que a especialização em anestesiologia veterinária vem se expandindo a cada dia mais.

Entretanto, a demanda de profissionais capacitados é maior do que o número disponíveis no mercado. Você, médico veterinário, conhece a fundo como agir em um procedimento anestésico? Para aumentar seus conhecimentos e se tornar um profissional de sucesso, confira essa dica:

Fontes: Cães e Gatos, Tudo sobre cachorros

  • 968
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados