Cães e gatos também podem sofrer com doenças cardíacas

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

As doenças cardíacas também afetam cães e gatos e cuidados devem ser tomados visando a melhor qualidade de vida dos animais. A manifestação e a frequência dos problemas são influenciados por fatores como raça e idade, em média, aos nove anos, podendo surgir antes disso, ainda na barriga da mãe ou no primeiro mês de vida.

As doenças cardíacas afetam um a cada dez cães, em gatos essa proporção é menor. Nos cães cardíacos há uma degeneração da válvula mitral, estrutura que separa as câmaras do coração, que enfraquece podendo permitir que o sangue volte sem querer para os pulmões, ocasionando um edema. Parasitas como o verme Dirofilaria immitis, transmitido pela picada de mosquitos dos gêneros Culex e Aedes, também acarretam doenças cardíacas em cães.

Entre os felinos a cardiomiopatia hipertrófica é a mais frequente, o gato apresenta dificuldade repentina em respirar, o problema é mais comum em gatos de raças asiáticas.

Os sintomas comuns em animais que riscos cardíacos são o cansaço onde o animal fica abatido, quieto, perdendo o apetite e consequente emagrecimento; o animal bebe mais água do que o normal, tendo em vista que o corpo retém o líquido pela doença e tosse acompanhada de catarro, típica nos cães doentes que também sentem dificuldades ao respirar.

Para garantir a saúde e bem estar do animal é recomendável que o leve frequentemente ao médico veterinário.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 27 de março de 2013

Artigos Relacionados