Entenda sobre os principais tipos da castração em cães

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A castração em cães ainda é um tema muito polêmico e que gera dúvidas e medos. No entanto, é um procedimento rápido, simples e capaz de trazer diversos benefícios para o animal.

Atualmente, existem variadas técnicas para castrar, inclusive métodos pouquíssimos invasivos como a técnica de gancho. Porém, somente um profissional qualificado é capaz de decidir qual delas é a mais indicada para a saúde e bem-estar do animal. 

Para te ajudar a entender melhor, fizemos este artigo para você conhecer os principais benefícios e os tipos de castrações mais indicadas. Lendo até o final, você também vai aprender como é o pós-operatório e o que deve fazer para ajudar na recuperação do cão. Confira!

Métodos de cirurgias

castração em cães

É importante dizer que existem diferenças no processo de castração de cães e cadelas. 

Para as fêmeas ela é preventiva, já que serve para evitar a procriação e algumas doenças. Já para os machos, é mais usada para resolver problemas que já existem, ou seja, é uma medida curativa.

As diferenças continuam quando analisamos a complexidade e o tempo. Nos cães a cirurgia costuma ser simples e mais rápida. Por isso, alguns profissionais preferem utilizar os termos castrar (retirar os testículos)  para machos e esterilizar (remover útero e ovário) para fêmeas. 

No entanto, a cirurgia pode ser classificada em quatro tipos, sendo separados por sexo.

Veja:

Machos:

Orquiectomia: procedimento utilizado para retirar os dois testículos. É o mais comum, e indicado para resolver problemas de comportamento.

Vasectomia: Cirurgia para bloquear a passagem de espermatozóide. 

Fêmeas:

Ovariohisterectomia: procedimento que remove da fêmea os ovários e o útero. É a cirurgia mais utilizada em cadelas, pois previne diversas problemas de saúde, como a piometra e impede a gravidez.

Ovariectomia: cirurgia utilizada para retirar apenas os ovários. É mais rara, mas também é utilizada principalmente para impedir a procriação. 

Antes de qualquer desses procedimentos, o animal precisa realizar exames laboratoriais, cardíacos e clínicos para garantir que está em boas condições de saúde e apto a passar pela cirurgia. 

Tipos de castração em cães

Dito isso, podemos ainda classificar quanto aos tipos de castração em cães que são mais utilizados.

Método convencional

Podemos citar o método convencional, a ovariohisterectomia (OSH) é realizada por meio de uma linha mediana ventral demanda uma incisão de 10 a 15 cm. No entanto, devido ao tamanho da incisão, muitos veterinários já estão adotando a técnica do gancho como alternativa para reallização da OSH.

Técnica do gancho

Nesse caso, realiza-se a miniceliotomia (1 a 3 cm) com o auxílio com gancho de Snook para apreensão do corno uterino. Por isso, esse tipo de intervenção ficou conhecida como castração com a técnica do gancho.  Neste tipo de castração, a incisão com gancho é feita de modo semelhante à técnica convencional, contudo inicia-se cerca de um centímetro caudal a cicatriz umbilical, enquanto em gatas deve ser realizada no ponto central entre o umbigo e púbis a fim de facilitar o acesso ao corpo uterino.

Em machos a castração com a técnica do gancho é realizada removendo-se o cordão espermático. 

A castração com a técnica do gancho tem sido muito utilizada devido à redução do tempo cirúrgico, menor risco anestésico e recuperação muito mais rápida.

Incisão nos flancos

Outro método de castração é por meio do acesso ao flanco. Desse modo, a OSH é realizada quando a glândula mamária está aumentada , ou quando o animal é agitado ou feroz e será pouco monitorado no período pós-operatório. No entanto, não deve ser realizada quando o animal apresentar piometra ou em casos de cesarianas. A castração pelo flanco é realizada a partir de uma incisão de 2 a 3 cm caudoventral ao rim, na qual os ovários e o corno uterino são removidos com o auxílio do gancho. 

Outra forma de castração que está começando a se desenvolver e
é a cirurgia videoassistida, sendo que a ovariohisterectomia e ovariectomia
laparoscópica são mais realizadas na rotina de pequenos animais.

Pós-operatório de cirurgia de castração 

Após a cirurgia de castração em cães é preciso tomar alguns cuidados especiais para evitar complicações e garantir uma boa recuperação. O primeiro é impedir que o animal lamba, mecha ou morda o local dos pontos da incisão, o que pode causar infecções ou seu rompimento. 

Roupas

Por isso, o animal precisa usar um colar elizabetano (cone ao redor da cabeça) ou roupa cirúrgica para garantir um bom resultado de seu restabelecimento.

Repouso

O tutor também precisa ter muita atenção, pois os animais se recuperam com muito mais facilidade que os humanos. Sendo assim, mesmo que pareçam dispostos, é necessário reduzir as atividades físicas, principalmente nos cinco primeiros dias para evitar o rompimento da sutura.

É importante que o profissional oriente o tutor para que evite que o animal faça esforços excessivos, corra, pule, suba escadas ou faça qualquer outro tipo de estripulia. Você também pode restringir o local que ele vai ficar e manter o ambiente calmo. Já as caminhadas podem continuar normalmente.

Medicação

Os médicos veterinários também podem receitar remédios para amenizar a dor ou impedir inflamações. Por isso, o tutor precisa dar continuar nos horários indicados e ficar atento às quantidades. Alguns profissionais preferem utilizar medicamentos de longa duração para tirar a responsabilidade dos donos.

No dia da castração em cães é normal que o animal não queira comer, pois ele recebe soro para impedir desidratação e suprir suas necessidades básicas. Nos dias seguintes, caso o médico não exija mudanças, a alimentação pode continuar como de costume.

Vantagens de castrar animais

O processo de castração possui diversas vantagens. Veja algumas delas: 

  • Impede a reprodução indesejada do animal;
  • Ajuda a controlar o nível de abandono de cães; 
  • Evita o cio e uso de anticoncepcionais para cadelas;
  • Auxilia na prevenção ao câncer de mama em cadelas;
  • Acaba com o risco de infecções no útero como a piometra e hemometra;
  • Diminui os riscos de tumores relacionados ao sistema reprodutor;
  • Impede a chance de gravidez psicológica;
  • Melhora o comportamento dos cães;
  • Resolve problema de próstata e de testículos;
  • Diminui a necessidade de marcar território;
  • Aumenta a expectativa de vida dos animais.

Por mais que seja um procedimento seguro, toda cirurgia envolve riscos. Por isso, a decisão de castrar um cão deve ser tomada com muita calma, carinho e atenção. O ideal é que o médico veterinário seja qualificado para tirar todas suas dúvidas, realizar os exames prévios e garantir a escolha do melhor procedimento. 

Quer saber mais? Que tal absorver informações importantíssimas sem perceber? Veja o conteúdo que preparamos pra você com visual descontraído, que permite uma leitura rápida e fácil. Baixe esse infográfico e descubra por que castrar com a técnica do Gancho.

Se você quer se especializar em uma das técnicas mais utilizadas por médicos veterinários de todo Brasil, confira essa dica:

>> Curso Prático de Castração com Técnica do Gancho

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados