Ciclo estral em vacas: Primeiro passo para eficiência reprodutiva do rebanho

  •   
  •   
  • 15
  •  
  •  
  •  
  •  

Entender o ciclo estral em vacas, que é quando a fêmea está apta e receptiva sexualmente, é fundamental para a garantia do sucesso nos programas de reprodução do rebanho bovino.

Quando não há fecundação, o tempo médio de duração entre os dois cios pode variar fisiologicamente de 14 a 24 dias, sendo menor nas novilhas do que nas vacas com maior idade. Dentro do ciclo estral em vacas, existem duas fases: folicular, e a luteínica. Veja mais sobre elas em seguida.

Fases do ciclo estral em vacas

Fase folicular: Período de desenvolvimento folicular, que pode ser dividido entre proestro e estro. O proestro tem a duração de dois a três dias e é caracterizado pelo baixo nível de progesterona, desenvolvimento folicular e o aumento dos estradiol no sangue, que após uma determinada concentração estimula a manifestação do cio e a liberação massiva do LH, dando início a segunda fase.

Estro: Nesta etapa, o elevado nível de estradiol, além de induzir na manifestação do cio, é responsável pela dilatação da cérvice, síntese, secreção do muco vaginal e o transporte dos espermatozóides no trato reprodutivo feminino.

O processo do ciclo estral em vacas é regulado, basicamente pelos hormônios GnRH, FSH, LH, estradiol e progesterona. Ao passo que, cada um tem uma importante função dentro do processo que a vaca apresenta algumas características peculiares. Quer saber quais são? Confira no próximo tópico

Quais os sinais de uma vaca em estro?

Alguns sinais denunciam que a fêmea está apta para a monta ou para serem aplicadas as biotecnologias reprodutivas, dentre eles podemos destacar:

– Mugidos

– Inquietação

– Cauda erguida

– Micção frequente

– Redução do apetite

– Baixa produção de leite

– Mucosa vaginal intensificada

– Agrupamento em torno do rufião ou touro

Todas essas características estão também presentes no proestro. Por isso, o principal sinal de uma vaca em estro é que ela aceita ser montada. Após, saber de tudo isso, você produtor, deve estar se perguntando qual o momento ideal para a monta ou inseminação artificial, não é mesmo? Veja sobre o assunto em seguida.

Infográfico - Responsável Técnico (RT) Veterinário, conheça melhor esta excelente profissão.

Momento ideal da inseminação artificial ou monta

Na criação de bovinos, a identificação do cio deve ser uma tarefa prioritária na sua propriedade, produtor rural. Dessa forma, as fêmeas devem ser observadas no mínimo duas vezes por dia, no início da manhã e no final da tarde.

O momento ideal para que a fêmea bovina seja inseminada ou coberta é ao final do estro. Assim, vacas observadas em estro (aceitando a monta) pela manhã devem ser inseminadas na tarde do mesmo dia e os animais em estro a tarde devem ser inseminados no início da manhã do dia seguinte. Mas, é importante ressaltar que grande parte das fêmeas, cerca de 70% entra em entro durante a noite, dificultando a observação.

Esse é um dos principais fatores que impedem de conquistar um bom desempenho reprodutivo. Porém, já existe uma biotecnologia que foi desenvolvida para inseminar um grande número sem a necessidade de observação do ciclo estral em vacas, o que contorna a principal falha da inseminação artificial. Quer conhecê-la? Continue lendo esse artigo!

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Bovinos

A inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF), fundamenta-se na sincronia dos períodos férteis das fêmeas bovinas. A fim de, inseminar o maior números de animais em horários agendados com alto índice de concepção.

Para que a sincronia dos cios aconteça são utilizados fármacos e hormônios, mas que não prejudicam os ciclos anteriores. Isto é, são substâncias bem semelhantes das que já participam do processo fisiológico do aparelho reprodutivo.

A grande vantagem da IATF é a redução de intervalos entre os partos. Ou seja, essa diminuição significa menor tempo ocioso da vaca na fazenda. Assim, ela produz um bezerro por ano e permanece seca o mínimo possível entre as duas lactações.

Quer saber mais sobre essa técnica? Dê só uma olhadinha nesse artigo: Inseminação Artificial em Bovinos: Tudo que você precisa saber do assunto

E você, produtor rural, quer aumentar a eficiência reprodutiva? Aprenda na prática a IATF e produza mais bezerros para aumentar a sua lucratividade. Veja essa dica de sucesso:

Curso de Inseminação Artificial e Estratégias de IATF em Bovinos

 

Fontes: Cartilha Embrapa, Embrapa Gado de Corte e Revista Veterinária 
  • 15
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  

Artigos Relacionados