Problemas com carrapatos em bovinos? 3 dicas infalíveis para combatê-los!

  •   
  •   
  • 430
  •  
  •  
  •  
  •  

O controle dos carrapatos em bovinos sempre foi uma das atividade mais rotineiras e aparentemente simples nas propriedades rurais. Mas, para que essas medidas sejam eficientes e econômicas é necessários uma série de informações sobre estes parasitas, os animais afetados e a escolha do melhor carrapaticida para a seja determinado do procedimento ideal de combate.

O Rhipicephalus (Boophilus), conhecido popularmente como carrapato de bovinos, é um parasita que tem o bovino como seu principal hospedeiro, eles se alimentam de seu sangue e quando infectados transmitem hematozoários, podendo causar a famosa babesiose. É um dos principais problemas do produtor rural. Visto que, o Brasil é um país tropical e as altas temperaturas ao longo do ano todo na maioria das regiões favorecem sua ocorrência.

Diante de tudo isso, é preciso que você, produtor rural, fique atento ao seu combate.

Quer saber um pouco mais sobre o assunto? Então, acompanhe o que preparamos para você!

Prejuízos que os carrapatos em bovinos ocasionam

carrapatos em bovinos

Mesmo sendo um problema conhecidíssimo de todos que trabalham com a bovinocultura, você sabia que os carrapatos em bovinos são responsáveis por perdas de mais de 3 bilhões de dólares anualmente? Certamente, esse prejuízo está associado com:

  • custos extras com medicamentos para o tratamento;
  • construção de banheiros para aspersão de carrapaticidas;
  • alta mortalidade dos animais.

Além disso, os prejuízos não mensurados podem ser maiores. Já que, o parasita pode ser uma porta de entrada para enfermidades ainda mais graves, como a tristeza parasitária bovina.

Vale lembrar que a presença do carrapato no rebanho ainda limita a produtividade do animal, impacta na produção de carne e leite, ocasiona a perda de peso e ainda desvaloriza o couro do animal.

Você deseja realizar um controle eficaz dos carrapatos em bovinos? Então, precisa conhecer o ciclo de vida destes parasitas. Pois, ele a chave para fazer o controle estratégico correto no rebanho. Acompanhe conosco o próximo tópico e fique por dentro do assunto!

Ciclo de vida do carrapato

Basicamente, o ciclo de vida do carrapato é dividido em dois períodos:

Parasitária: O desenvolvimento do parasita no bovino, seu hospedeiro, ocorre em cerca de 21 dias e se subdivide nas fases de larva, ninfa e metaninfa, que não é vulnerável aos carrapaticidas, mesmo sendo injetáveis. Pois, está protegido por uma camada dupla e não suga o sangue.

Vida livre: Ocorre assim quando a fêmea vai para o solo e cerca de 3 dias após a queda ela já estará apta a começar a postura de aproximadamente 3.000 ovos, que podem durar até 4 semanas. Isto é, dependendo da umidade e temperatura do ambiente. Então, os ovos começam a eclodir e a partir de uma semana eles já estão preparados para se fixarem nos bovinos e continuarem seu desenvolvimento, iniciando a fase parasitária.

Conseguiu entender o ciclo de vida desse parasita? A melhor maneira para combater os carrapatos em bovinos é por meio desse conhecimento, sua relação com o rebanho e o meio ambiente. Além, é claro de conhecer os instrumentos disponíveis para um controle eficaz. Por exemplo, produtos carrapaticidas que podem ser utilizados por pulverização, imersão ou aspersão, injetáveis ou produtos “pour on” (que já estão prontos para o uso).

No entanto, é importante salientar que como há uma grande variedade de raças bovinas existentes nas propriedades e uma variação climática considerável no país, existem diversas particularidades que determinam a vulnerabilidade do rebanho diante aos carrapatos. Mas, de maneira geral é recomendado o início do tratamento no final do inverno até o início da primavera.

Agora que você conhece o ciclo de vida do carrapato, veja quais são as nossas dicas e confira onde você, produtor rural, está acertando e quais os pontos que podem ser melhorados. Vamos conhecê-las?

#3 Dicas para combater os carrapatos em bovinos

Para eliminar os carrapatos o ideal é adotar um programa estratégico combinado. Basicamente, as estratégias são pautadas em 3 pilares, confira:

#1 Escolha a melhor opção

Escolher o carrapaticida correto é essencial para a eliminação dos carrapatos. Pois, quando são utilizados produtos errados os parasitas podem criar a famosa resistência. Que nada mais é do que a aplicações erradas ou por excesso de produtos, na busca do produtor rural pelo resultado mais rápido.

É importante lembrar que a escolha da melhor opção deve ser feita sempre em conjunto com o médico veterinário. É esse profissional que prestará o acompanhamento e indicará o produto adequado para o tipo da infestação.

#2 Aplique da maneira correta

Não adianta escolher o melhor carrapaticida se não utilizá-lo da forma correta. Então, é fundamental que a aplicação do produto seja bem feita. Por exemplo, a pulverização que é a forma mais utilizada nas fazendas, se não for conduzida sem erros na aplicação não adiantará seguir as recomendações dos intervalos de aplicação. Os erros mais comuns que os produtores rurais cometem na aplicação são:

  • não conter os animais no momento da aplicação;
  • aplicar o produto nas horas mais quentes do dia;
  • deixar de utilizar os equipamentos de proteção individual.

#3 Elimine o ciclo

Assim como nas outras parasitoses, é fato que cerca de 95% dos carrapatos se encontram nas pastagens e apenas 5% está diretamente presente nos bovinos. Por isso, o combate eficiente deve ser focado na diminuição populacional presente no pasto.

Outro ponto importantíssimo que não podemos deixar de destacar é a utilização indiscriminada. Seja pela falta de prescrição do médico veterinário ou pelo uso incorreto recomendado pelo fabricante do carrapaticida. Isto, pode resultar na presença de resíduos no leite, carne e meio ambiente.

Associando-se estas três medidas, é possível manter a população de carrapatos sob controle, reduzindo-se os prejuízos acarretados por este parasita.

Fontes: Grupo Apoiar, AgroLink e Embrapa

  • 430
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Bovinos

Atualizado em: 20 de maio de 2019

Artigos Relacionados