Doença respiratória bovina: o que é e como prevenir

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
Doença respiratória bovina

Também reconhecida pela sigla DRB, a doença respiratória bovina é um problema que atinge o sistema respiratório, sobretudo, de bezerros nas épocas de inverno e clima seco. Sua evolução pode causar infecções pulmonares que resultam em pneumonia e bronquite.

Se não tratada, a DRB pode evoluir para casos graves que podem gerar consequências respiratórias e até causar a morte do animal. A maior proporção é em bezerro em período de amamentação e depois da ablactação. Continue a leitura deste texto e saiba como identificar.

Efeitos da doença respiratória bovina no rebanho

Primeiramente, os patógenos responsáveis pela infecção dos animais são vírus e bactérias ou, ainda, pode ser causada por algum problema imunológico, características genéticas que induzem o desenvolvimento do quadro ou mesmo os anos de vida. Entre os agentes infecciosos, destacam-se Mannheimia haemolytica, Pasteurella multocida, Histophilus somni e Mycoplasma spp.

Contudo, as mudanças climáticas e questões ambientais associadas às alterações no sistema de defesa podem ocasionar o desenvolvimento da doença respiratória em bovinos. De tal forma, as consequências são enormes, tanto para o gado leiteiro quanto de corte. Isso acaba por gerar perdas e despesas. Então, é fundamental conhecer métodos profiláticos e diminuir o estresse causado durante o manejo do rebanho.

Segundo o Jornal Dia de Campo, quando o animal é criado solto no campo, a DRB acontece com mudanças no clima e nas condições ambientais. Nesse caso, atingem vacas leiteiras e bezerros em maior proporção. Já em animais criados em confinamento, os principais acometidos pelo problema são bezerros nas três semanas iniciais de vida. 

Sinais clínicos e tratamentos

Reconhecer os sinais clínicos da doença respiratória bovina é decisivo para um diagnóstico rápido e aplicação de tratamentos eficazes. 

  • Febre acima de 40°C
  • Tosse
  • Respiração dificultosa e ofegante
  • Depressão
  • Presença de secreções no nariz e olhos
  • Perda de apetite

É crucial que profissionais da área, técnicos, pecuaristas, zootecnistas e médicos veterinários estejam atentos aos indícios apresentados pelo rebanho. Além disso, se capacitar torna-se fundamental para realizar um atendimento com rigor e exatidão.

Para tratar o gado, muitas vezes, é indicado uso de fármacos para desinflamação e que tenham ação antibiótica. Pode ser necessário combinar o tratamento com uso de soros e medicamentos para redução da febre.

Formas de prevenir

Uma maneira eficaz para prevenção da doença respiratória bovina é fazer ações de manejo do rebanho de modo cuidadoso, sem provocar estresse. Não deixe que momentos desconfortantes e dolorosos atinjam os bezerros para não comprometer o sistema imune, responsável por reagir à entrada de microorganismo. Outro ponto é separar os animais em grupos por faixa etária.

A alimentação de qualidade e balanceada é central para que a saúde seja resguardada. Também dar ao bezerro o colostro nos primeiros momentos de vida é ideal para o desenvolvimento do sistema imunológico.

É primordial que a higiene do local onde fica o gado seja mantida e, em casos de contaminação, isolar o animal do rebanho. Manter a ventilação e eliminar condições que favoreçam o aparecimento de problemas são gestos necessários para a saúde animal.

Portanto, o diagnóstico preciso de doença respiratória bovina é fundamental para que, desde os primeiros sinais clínicos, as decisões corretas sejam tomadas e a saúde restabelecida.

Aproveite e faça o Curso de Primeiros Socorros em Bovinos para saber como proceder em momentos urgentes e que necessitam tomar ações emergenciais. Aprenda na prática, reconheça os sinais clínicos e aja de forma correta.

Fontes: Revista Agropecuária; Jornal Dia de Campo; Agroline.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados