Gestão de gado de corte: gerenciamento de fazendas, investimento e administração

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
gestão de gado de corte

Com o crescimento das exportações do setor no Brasil, torna-se imprescindível uma gestão de gado de corte produtiva e lucrativa. Para se ter uma ideia, a Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abeic) divulgou que a receita anual do país é de R$ 50 bilhões, além de empregar mais de 7 milhões de pessoas. 

Para que sua propriedade também possa obter sucesso na bovinocultura de corte, o investimento em técnicas modernas para gerenciamento são fundamentais. Contudo, isso vai além do uso de maquinários modernos. Continue a leitura deste artigo e saiba mais detalhes sobre como fazer a gestão de corte, planejar cada etapa com cuidado, fazer os cálculos para a produção e como auferir ganhos.

Como gerenciar a propriedade?

A primeira ação é tratar a fazenda como uma empresa, isto é, toda a atividade produtiva precisa de planejamento, organização, direção e controle. A gestão de gado de corte envolve decisões pensadas estrategicamente. Para isso, um método interessante para ser aplicado a administração é o Ciclo PDCA.

Ciclo PDCA

Já ouviu falar desse método? Trata-se de uma ferramenta para ajudar na tomada de decisão. A primeira etapa é planejar de forma a entender o contexto da propriedade. Saber como os negócios estão caminhando financeiramente, quantas pessoas estão empregadas e as condições físicas da fazenda fazem parte desse início. Ainda, deve-se traçar objetivos e estratégias para alcançá-los, criando um plano de ação, no qual estejam estabelecidos quais serão os investimentos necessários e os valores que serão gastos.

O segundo estágio é desenvolver, ou seja, colocar o esquema projetado em prática, seguindo cada etapa do processo e modificando sempre que for necessário. Em seguida, é o momento de checar os indicadores financeiros e zootécnicos. 

O último passo para alcançar os objetivos é agir. Para tanto, deve-se ter investimentos e buscas por melhorias para solucionar problemas. É importante identificar os resultados obtidos para saber o que será repetido em outros momentos e o que deve ser modificado e evitado nos processos.

O ciclo PDCA para gestão de gado de corte envolve atenção do responsável pela propriedade ao longo de todo o desenvolvimento das atividades. Ajustes, mudanças e correções poderão ser empreendidas para se ter um bom produto. 

Como calcular custos de produção na gestão de gado de corte?

O pecuarista necessita organizar e realizar todos os cálculos da produção na gestão de corte. Contudo, é importante diferenciar os valores envolvidos. Os custos variáveis podem elevar ou reduzir conforme a produtividade e incluem gastos com médicos veterinários, tratamentos de saúde do rebanho, alimentação, etc. Já os custos fixos, aqueles envolvidos na manutenção cotidiana da propriedade, reúnem as contas básicas, pagamento de mão de obras, etc. 

O empresário pode fazer suas contas com uso de planilhas ou de programas de computador que permitem o preenchimento dos dados e sua organização. Contudo, é importante frisar três categorias de custos. O Custo Operacional Efetivo (COE) trata-se dos gastos para a produção da fazenda, além de que podem ser variáveis. Já o Custo Operacional Total (COT) é um cálculo que envolve gastos indiretos. O Custo Total (CT), por sua vez, é o somatório.

As vantagens desse processo de cálculos englobam a possibilidade de investigar a lucratividade das atividades da propriedade, diminuir os gastos fixos, poder organizar as etapas e decidir de forma inteligente.

Vale destacar que a alimentação do rebanho exige atenção, dado que representa os maiores gastos. Por isso, investir em manejo nutricional adequado é fundamental. 

Retorno dos investimentos

Para conhecer o retorno da aplicação do capital, se foi lucrativo ou não, os cálculos das margens são ideais nesse processo. A margem bruta aponta a rentabilidade a partir da razão entre lucro bruto e a receita líquida. A margem líquida indica a lucratividade por meio da relação da porcentagem de lucro líquido e a receita total. 

Na gestão de gado de corte, todas as operações precisam ser executadas com assiduidade com o intuito de saber o que a propriedade está ganhando e perdendo. Assim, ajustes e planejamentos são realizados com cuidado. 

Indicadores

Os pecuaristas devem se especializar nos conhecimentos zootécnicos, pois são dados necessários sobre seu rebanho, como taxas de natalidade, mortalidade e lotação, períodos entre os partos, rendimento de carcaça, etc. Conhecer esses dados juntamente com a especialização proporciona uma análise com rigor.

Colocando na prática

Todos os parceiros da fazenda devem ser pessoas capacitadas e dispostas a aprender sobre a bovinocultura. Além disso, deve-se sempre ouvir sugestões, críticas, dúvidas e acolher os funcionários.

Estudar o mercado de gestão de gado corte frequentemente permite com que você saiba quais estratégias traçar, assim como conhecer as elevações e diminuições nas cotações do setor. Fazer parcerias em seu negócio é crucial para alavancar suas decisões de venda e de produção. Por fim, questões ambientais, econômicas e políticas unem-se nesse processo de administração, pois são fatores relacionados ao seu planejamento.  Você pode se aprofundar um pouco mais no assunto baixando o nosso Guia Técnico sobre o assunto.

Investir em conhecimentos sobre gestão de gado de corte é essencial para modernizar a produção bovina e alcançar maior lucratividade. O Curso de Administração Técnica e Econômica da Produção de Gado de Corte oferece aulas práticas para administrar a propriedade e saber tomar as decisões corretas para ter maior rentabilidade.

Fontes: My Farm; Aegro.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados