Inseminação Artificial em Bovinos: como torná-la aliada da eficiência reprodutiva?

  •   
  • 4
  •  
  •  
  •  
Inseminação Artificial em Bovinos

A Inseminação Artificial em bovinos (IA) consiste em depositar o sêmen, puro ou diluído, no útero da fêmea em condições que permitam os espermatozoides encontrar o óvulo e fecundá-lo. Basicamente, a técnica tenta aproveitar ao máximo os cios da matriz e faz com que as crias tenham maior potencial produtivo, por conta do uso de sêmen de reprodutores melhorados.

A introdução do sêmen no trato genital da fêmea é o último estágio, antes disso existe um conjunto de eventos que acontecem como a colheita do sêmen, análise e processamento em laboratório, manutenção por períodos variáveis em condições extracorpóreas.

Certamente, podemos classificá-la como uma ferramenta extremamente eficaz para o melhoramento genético e aumento da eficiência reprodutiva dos rebanhos bovinos, tanto de corte como de leite.

E você, já conhece todas as vantagens e os cuidados necessários para obter sucesso na aplicação da inseminação em vacas? Para continuarmos esse assunto, vamos iniciar com os motivos que, com certeza, farão você seja adepto dela.

Vantagens da Inseminação Artificial em Bovinos

Inicialmente, o objetivo da IA era a erradicação de doenças infecciosas transmitidas pelo touro durante a monta natural. Porém, atualmente ela tem muitas outras vantagens entre elas podemos destacar:

  • aprimora o controle zootécnico;
  • acelera o cruzamento genético;
  • utilização de touros mesmo após sua morte;
  • minimiza a perda de espermatozoides;
  • uso de touros incapacitados para monta natural;
  • aumento de números de descendentes de um reprodutor;
  • padronização do rebanho de acordo com as características desejáveis pelo produtor.

A inseminação artificial em bovinos é um procedimento que requer muita precisão. Entretanto, para obter sucesso no procedimento é necessário alguns cuidados, é sobre isso que trataremos no próximo tópico.

Quais os cuidados necessários durante a inseminação?

Embora sua aplicação seja simples, a inseminação em vacas, exige alguns cuidados que garantem sua eficiência. Primeiramente, podemos evidenciar a verificação correta do cio das fêmeas.

Para sua identificação é recomendável submeter as fêmeas bovinas a monta e selecionar as que aceitarem. Após esse reconhecimento, o ideal é iniciar os procedimentos de inseminação com o mesmo intervalo após o cio.

Outro ponto que você não pode ignorar é que vacas com problemas de saúde, recém paridas ou que apresentam alguma anormalidade, especialmente no tempo dos intervalos de cio, não devem ser submetidas a inseminação artificial.

Sem contar que a higiene dos animais, manuseio dos botijões de acondicionamento, descongelamento correto do do sêmen, limpeza do local da inseminação, bem como a esterilização dos aparelhos utilizados na técnica são essenciais para obter o nascimento do produto.

Além disso, vale salientar que é preciso garantir que o sêmen utilizado é de boa qualidade e está nas condições adequadas de armazenamento. Com isso há uma maior garantia de que o material resultará em um embrião no futuro.

Já conseguiu entender a inseminação artificial em bovinos? Embora seja fácil, ela tem muitas falhas de identificação do cio. Por isso, foi desenvolvida uma outra técnica para contornar seu erro principal. É sobre elas que abordaremos em seguida.

Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Bovinos

A Inseminação Artificial por Tempo Fixo (IATF), foi desenvolvida para inseminar um grande número de animais sem a necessidade de observação do ciclo estral, o que contorna a principal falha da inseminação artificial.

A técnica fundamenta-se na sincronia dos períodos férteis das fêmeas bovinas, para inseminar o maior número em horários agendados com uma boa taxa de concepção.

Essa diminuição dos intervalos entre os partos é um grande diferencial, pois significa menor tempo ocioso da vaca na fazenda. Assim, ela produz um bezerro por ano e permanece seca o mínimo possível entre as duas lactações.

Para que aconteça a sincronia dos cios são utilizados hormônios e fármacos que não prejudicam a saúde do rebanho. Porque, são substâncias semelhantes ou iguais as que participam do processo fisiológico do aparelho reprodutivo.

Os resultados prometidos por essa técnica não são convidativos? Mas, só é possível obtê-los se você seguir algumas recomendações. Falaremos sobre elas no próximo item.

Como alcançar bons resultados com a IATF?

Para atingir os resultados esperados com esta biotécnica é necessário seguir alguns protocolos, como:

  • ter um controle sanitário eficaz;
  • cuidados com o pós parto das fêmeas para que o animal se recupere e tenha rapidamente uma nova prenhez;
  • realizar o manejo nutricional eficaz com quantidades e qualidade corretas de nutrientes suficiente para que o animal alcance um bom desempenho reprodutivo;
  • possuir um controle rigoroso de fertilidade, descartando animais inférteis ou sub-férteis. Dessa forma, haverá uma melhora significativa no desempenho do rebanho.

Quer saber como ter um controle maior da fertilidade de seu rebanho e evitar prejuízos? Confira esse artigo aqui: Ultrassonografia na reprodução bovina: Tudo que você precisa saber

Mercado na área

O Brasil, atualmente, possui mais de 220 milhões de cabeça de gado e esse número não para de crescer. Inegavelmente, com todo esse rebanho há uma elevada demanda de especialistas no assunto e serviços para o setor.

Como os profissionais de inseminação artificial em bovinos são bem remunerados, o segmento é muito concorrido. Então, somente os que se capacitam se destacam na reprodução bovina.

Se você deseja ter sucesso profissional e rentabilidade com a reprodução bovina invista em qualificação. Confira nossas opções de cursos que fornecem um treinamento completo na área:

Curso de Inseminação Artificial e Estratégias de IATF em Bovinos

Curso de Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Bovinos (IATF Avançado)

Fontes: Royal Máquinas e CPT Cursos 

  • 4
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados