Manejo nutricional de bovinos: como garantir bons resultados na produção?

  •   
  • 1
  •  
  •  
  •  
manejo nutricional

O manejo nutricional é um dos principais pilares da pecuária. Afinal, a produtividade entra pela boca do rebanho. Quando os bovinos são alimentados somente com forragem, não conseguem ingerir quantidades suficientes de energia, proteínas e minerais para suprir a demanda nutricional tanto para a produção de leite quanto para ganho de peso.

O pecuarista que almeja obter uma boa eficiência produtiva precisa saber que o manejo nutricional do seu rebanho bovino deve ser fundamentado em conhecimentos técnicos e aprofundados sobre nutrição animal. Isto é, nada de “achismos” ou apostas. É preciso elaborar estratégias para melhorar o manejo nutricional dos animais, com base em dados, conseguindo assim, aumentar sua lucratividade.

O fato é que quando as boas práticas do manejo nutricional são aplicadas, é possível alcançar os objetivos com o gado e até reduzir seus custos operacionais! Isso porque os gastos com alimentação podem representar até 70% dos custos totais.

Tudo isso é possível seguindo algumas dicas que vão além da escolha correta de alimentos. Confira!

Manejo Nutricional de Bovinos

Exigências nutricionais

Entender as exigências nutricionais das diferentes categorias de bovinos, pode fazer muita diferença nos índices produtivos e econômicos da pecuária. Por isso, um manejo nutricional eficiente exige que as dietas sejam adequadas. São estratégias alimentares e econômicas que quando bem combinadas, podem resultar em máxima nutrição a baixo custo.

Em primeiro lugar, é preciso ter em mente as exigências gerais do bovino. Basicamente são de água, minerais, proteínas, energias, vitaminas e alguns nutrientes como as fibras. Destaque para as fibras que são fundamentais para o bom funcionamento do sistema digestório.

Atenção especial também deve ser dada a água, já que ela é essencial ao animal. É importante que esteja sempre fresca, limpa e disponível para os bovinos.

Formulação de dietas

Atualmente é possível encontrar também algumas tabelas sobre as exigências diárias para cada tipo de criação e até mesmo fórmulas para estimação do consumo de alimentos. No Brasil, as mais usadas são produzidas pelo National Research Council (NRC) dos Estados Unidos da América.  

No entanto, para evitar erros na formulação da dieta e garantir uma boa nutrição aos bovinos, o mais indicado é se capacitar na área ou contar com a ajuda de profissionais que possam executar esse manejo com segurança.

Além disso, outro passo indispensável para a formulação de dietas para bovinos é conhecer quais as fontes de alimento estão a disposição e a composição nutricional de cada uma delas. 

Os ingredientes da dieta vão variar de acordo com o tipo de produção, categoria, estação do ano, condições do ambiente e demais peculiaridades já vistas anteriormente. Porém, o ideal é fazer uma combinação de volumosos, concentrados, sal mineral e muita água.

Além do cuidado na escolha dos alimentos, a proporção deles também é muito relevante. O desajuste na quantidade de alimentos ofertado entre um dia e outro pode levar a problemas metabólicos, problemas de saúde e no desempenho dos animais.

Como melhorar o manejo nutricional?

A seguir, veja algumas dicas práticas que vão além do manejo nutricional mas que podem otimizar os resultados.

Execute ações de bem-estar animal

Atualmente, muito tem se falado sobre o bem-estar animal. Nesse sentido, os clientes cada vez mais têm priorizado sistemas de produção que contemplem o conforto proporcionado ao animal em todas as fases de sua vida.

 Assim, o conforto dos animais exerce impacto direto no seu rendimento produtivo e, também, na visibilidade da propriedade perante a sociedade.

Dessa forma, o bem-estar dos animais deve ser entendido e explorado a partir do que é conhecido como as “cinco liberdades”, que são: livres de fome, sede e desnutrição; livres de desconforto; de dor, lesões e doenças; de medo e livres para expressão normal de seu comportamento animal.

Nesse sentido, implantar um programa de bem-estar animal é essencial para o programa de manejo nutricional.

Adapte fisicamente sua fazenda

Assim como o bem-estar animal, que tem como um dos seus pilares o conforto animal, a estrutura física da fazenda também é importante para garantir uma alimentação adequada.

É preciso investir em instalações, como currais, adequadas aos animais, de preferência que possua sombra e cochos para comida e água em alturas para a correta ingestão dos nutrientes. Além disso, verifique sempre a segurança da estrutura física a fim de evitar acidentes.

Treine sua equipe

O impacto financeiro da equipe de colaboradores não se deve apenas aos desembolsos para arcar com salários. Todo manejo que depende de recursos humanos irá interferir em resultados futuros. Portanto, no entendimento da fazenda como uma empresa, proprietários e funcionários devem buscar por um mesmo propósito: o sucesso na pecuária, seja de leite ou corte.

Dessa maneira, é necessário capacitar regularmente a mão de obra para que cada um dos colaboradores entenda que suas funções exercem grande influência no êxito de todo sistema de produção.

Mais do que isso, investir em treinamentos específicos do pessoal faz com que possam desempenhar o seu papel com mais qualidade, aumentando as possibilidades de lucro.

Mantenha a vacinação do rebanho em dia

Muitas doenças podem ser evitadas se os animais forem vacinados. Dessa forma, é importantíssimo que você, produtor, esteja sempre atento aos programas de vacinação de sua região. Por isso, quando você mantém a vacinação em dia está garantindo a saúde dos animais.

Alimentação de qualidade

Quando você trabalha com rações e suplementos de alta qualidade, é possível reunir diversos nutrientes em um só produto. Isto é, facilita para que você não tenha que ministrar diferentes dietas ao longo do dia, reduz custos e fica mais fácil também de analisar os resultados esperados.

Agora que você já sabe que a alimentação é fundamental para a saúde do rebanho, sabe como fazer a formulação de uma dieta ideal?

Como realizar a formulação de uma ração ideal?

A primeira coisa para se ter em mente é que não existe uma dieta ideal e única. Então, para cada situação específica haverá algumas soluções que podem ser eleitas como a mais correta, de acordo com o objetivo do produtor. Ou seja, a formulação de dietas para os bovinos deve ser totalmente personalizadas levando em conta as características dos animais e dos alimentos utilizados.

Uma ração balanceada é a quantidade ideal de alimento capaz de promover ao animal diversos nutrientes, em uma proporção compatível com determinado nível de produção diária. Assim, a formulação de uma ração implica em:

  • exigências de cada animal;
  • custo/benefício esperado;
  • características nutricionais dos alimentos.

Uma ração está balanceada quando todos os nutrientes requeridos estão presentes no alimento ingerido no período de 24 horas, de forma equilibrada e constante. Mas, quando uma ração não está adequada, o bovino irá ingerir alguns nutrientes em excesso e outros em quantidades insuficientes.

É importante que você fique atento ao assunto! Já que, o desbalanceamento constante pode causar consequências drásticas e, se não corrigidos, pode causar morte súbita do animal.

A formulação de uma boa dieta evita tanto a queda no desempenho do animal como o desperdício de nutrientes. Assim, torna os sistemas economicamente viáveis. Quer se aprofundar sobre o assunto? Então, temos outra dica de sucesso para você:

>> Curso de Formulação de Dietas e Rações para Bovinos

Fontes: Nutratta e Embrapa

  • 1
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados