Manejo sanitário na criação de frango de corte – Fundamental para o sucesso da produção avícola

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

 

Do ponto de vista zootécnico como do sanitário, a avicultura de corte brasileira é considerada a melhor do mundo, pois tem índices de produtividade de até 64 gramas de ganho diário.

A soma de vários fatores contribuíram para este sucesso, entre a iniciativa privada, órgãos públicos, de Pesquisa Técnicas competentes, matéria-prima, clima e, sobretudo a área empresarial que sempre investiu e acreditou na avicultura, principalmente no sistema de parceria entre produtores e agroindústria, permitindo desta maneira, que o consumo de carne de frango pelos brasileiros ultrapasse os 37 kg per capita, com oferta de produto de alta qualidade proteica.

O setor da avicultura brasileira exporta para mais de 150 países, gerando e garantindo mais de 4 milhões de empregos. A avicultura brasileira, com seu enorme potencial de produção, depende muito da Sanidade Avícola, pois a grande extensão do território nacional exige controle permanente da sanidade e principalmente medidas de biosseguridade.

Alguns cuidados básicos de manejo sanitário são fundamentais no estágio atual da produção de frango de corte:

Vazio sanitário: mínimo de 10 dias entre a saída de um lote e a entrada de outro, com a granja limpa e desinfetada, isto é, retirada do esterco de forma rápida, varredura do piso e lavagem com água para retirada de sujeira impregnada nos equipamentos. Escolha de um desinfetante eficiente, considerando o princípio ativo, diluição e método de aplicação.
Forração do piso do galpão: utilizar material que possa absorver a umidade das fezes das aves. Promover o isolamento térmico do piso, evitando a perda de calor das aves, principalmente na fase inicial. Os mais utilizados são serragem ou maravalha, casca de arroz, casca de amendoim, casca de café, dentre outros.

Pintos de 01 dia com boa qualidade: é muito importante a boa qualidade dos pintos de 01 dia, a procedência destes pintos, a idade da reprodutora, imunidade passiva, a hidratação destes pintos e principalmente alojar pintos livres de micoplasmas e salmonelas.

Programa de vacina: é fundamental a escolha de um bom programa vacinal. De acordo com a região, a água é de fundamental importância para a produção avícola, assim sendo, a cloração em torno de 4 ppm é necessário.

Ambiente: o composto térmico das aves é também importante para a saúde da ave, pois alterações bruscas de temperatura contribuem para estressar as aves e, consequentemente, afetar a imunidade, podendo provocar doenças, contribuindo para piora do desempenho zootécnico. Assim sendo, a boa manutenção dos equipamentos de aquecimento, cortinas e ventiladores é importante na produção avícola com os desafios sanitários.  É importante fazer exames de monitoria sorológica para Bronquite, Gumboro e Newcastle. As principais vacinas utilizadas são: Marek, Bronquite e Gumboro no 1º dia ainda no incubatório e à nível de campo. Faz-se reforço para Doença de Gumboro entre o 8º dia e o 14º dia e Newcastle aos 10º dia. É importante também fazer exames sorológicos, quando necessário, ao final, isto é, quando da saída do lote.
Cloração da água: o frango bebe duas vezes mais do que come. E, para comer, ele precisa beber.

São fundamentais para o sucesso da produção avícola um bom programa sanitário, biosseguridade, qualidade de pintos de 01 dia, manejo e nutrição adequada.

Antônio Guilherme Machado de Castro é pesquisador do Instituto Biológico em Descalvado, São Paulo. Ave World

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 8 de outubro de 2018

Artigos Relacionados