Paraná: aves demandam mais milho

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A animação dos produtores de frango e representantes do setor avícola do estado foi descrita ontem em números no V Encontro Técnico Unifrango, em Maringá. Apesar da crise internacional, no acumulado entre janeiro e outubro deste ano, os abates chegaram a 1,04 bilhão de cabeças, pouco acima da marca de 1,02 bilhão atingida no mesmo período do ano passado, o ano dos recordes para a avicultura. “A expectativa para 2010 é de crescimento entre 10% e 15 %”, diz o presidente do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiviapar), Domingos Martins. O quadro indica aumento no consumo de milho em ração. A redução no plantio do cereal – que deve ser de 23,7% no Paraná, para 1 milhão de hectares, conforme a Expedição Safra RPC – não preocupa a avicultura. O milho perde área mas ganha produtividade, disse o economista Paulo Molinari, palestrante do encontro. Os avicultores não acreditam em redução nas vendas internas, muito menos numa possível redução nas exportações de frango. O Paraná é líder em exportação – embarcou mais de 750 mil dos 2,9 milhões de toneladas de frango remetidos ao exterior até outubro – e já arrecadou mais de US$ 1 bilhão com as vendas externas neste ano. O criador de frangos Júlio César Baptista de Souza, de Mandaguaçu, Noroeste do estado, mostra-se otimista. “A demanda é muito grande. Além de ser a carne mais barata é a mais saudável”, defendeu. O setor considera que a demanda mundial tende a aumentar e que mercados como Europa e Japão devem comprar mais produto brasileiro.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 8 de outubro de 2018

Artigos Relacionados