Plantas tóxicas para bovinos ainda continuam te trazendo prejuízos? Faça isso!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A ingestão de plantas tóxicas para bovinos é uma das causas mais importantes de perda de animais no Brasil. Sem dúvidas, elas têm preocupado diversos pecuaristas, pois seus princípios ativos podem interferir diretamente no sistema nervoso e no coração dos animais, podendo levá-los a um quadro de insuficiência cardíaca aguda.

Diversas perdas econômicas, diretas ou indiretas, estão relacionadas ao problema. Principalmente, a diminuição de índices eficiência reprodutiva e produtiva (carne e leite), produção, custos com medidas profiláticas e de controle, sem contar na morte do animal.

Outros custos também acabam pesando no bolso do produtor rural. Como por exemplo: despesas para compra de animais de reposição, medidas para o controle das plantas tóxicas nas pastagens, alteração no programa de pastejo e a redução no valor da terra.

Na área da pecuária, uma planta é considerada tóxica quando é ingerida e causa danos para a saúde do animal. E pelo fato de serem animais curiosos, os bovinos estão sujeitos à consumi-las. Quer saber mais sobre as plantas tóxicas para bovinos e como evitar seu consumo pelos animais? Então, continue com a gente! 

Plantas tóxicas para bovinos mais comuns nas pastagens

Plantas tóxicas para bovinos

É bastante comum a ocorrência de intoxicação de bovinos pelo consumo de plantas nocivas. Nesse sentido, é preciso que você, produtor rural, fique atento! Pois, uma simples pastagem pode acarretar diversos transtornos. As principais plantas que causam intoxicação em bovinos são:

  • Samambaia do Campo;
  • Mascagnia, a Coerana ou Cipó Prata; 
  • Erva de rato, popularmente conhecida como Cafézinho;
  • Asclepia, cujo nome popular é Paininha ou Oficial de Sala;
  • Tetrapterys, também chamada de Cipó Ferro ou Cipó Rruão.

O que fazer ao encontrá-las?

Ao encontrar plantas tóxicas é importante que o produtor tome algumas medidas:

  1. Retire imediatamente o rebanho da área e isole o local;
  2. Trate os animais que possam ter consumido as plantas;
  3. Faça a erradicação das plantas.

Sinais do consumo de plantas tóxicas para bovinos

O comportamento tóxico das plantas são diferentes, pois fatores como: clima, solo, estágio vegetativo e parte da planta, influenciam muito. As indicações de intoxicação são variáveis de acordo com a planta ingerida. Entretanto, alguns indícios principais podem ajudar a notar o problema:

  • anemia;
  • fraqueza;
  • letargia;
  • tremores;
  • quedas súbitas;
  • mugidos extremos.

Quando ocorre o consumo prolongado de plantas tóxicas para bovinos, os distúrbios notados são problemas hepáticos e gastrointestinais.

Consumo necessário para causar a intoxicação

Como você já viu, a quantidade de plantas que são necessária para causar a intoxicação nos bovinos são variáveis entre si. Isto é, algumas podem causar efeito nocivo quando certa quantidade é ingerida dentro de um curto espaço de tempo. Só que, a maioria das plantas é ingerida diariamente pelos animais, que apresentam o problema quando a quantidade tóxica já tenha sido completada.

De acordo com o tempo ao princípio tóxico, a intoxicação pode se manifestar de duas formas:

  1. Aguda: ingestão acidental da planta tóxica em um tempo curto;
  2. Crônica: consumo continuado, sendo proposital ou acidental de espécies vegetais, responsáveis por distúrbios graves.

Diagnóstico das intoxicações causadas por plantas 

Diagnosticar a intoxicação de bovinos por plantas tóxicas exige o conhecimento técnico de todas as lesões causada por elas, constatação dos sinais clínicos apresentados pelos animais e sua evolução. E mais, a análise de dados epidemiológico são de grande importância. Só para exemplificar, a presença da planta, toxicidade, condições da ingestão e época de ocorrência.

Para um diagnóstico correto é indispensável que o produtor procure a orientação técnica de um médico veterinário, que vai analisar o animal clinicamente. Em alguns casos, o estudo bioquímico sanguíneo também podem ser utilizados como um diferencial para a confirmação da intoxicação.

É importante destacar que grande parte das doenças causada por plantas tóxicas para bovinos não possuem um tratamento curativo. Ou seja, é necessário adotar medidas que previnam o acontecimento do problema, confira as principais no próximo tópico!

Como prevenir a perda do rebanho pelo consumo de plantas tóxicas

Algumas medidas simples podem deixar seu rebanho livre da intoxicação por plantas tóxicas. Dentre as principais, podemos destacar:

  • Priorize o bem estar do animal;
  • Limite o pasto apenas a áreas seguras;
  • Mantenha seu rebanho bem alimentado;
  • Garanta o combate às plantas invasoras.

Mesmo que pareçam medidas óbvias, muitos pecuaristas não as colocam em prática e continuam a ter prejuízos com o problema. Sem dúvida, eliminar as plantas invasoras e proporcionar aos animais um manejo correto diminui a possibilidade de ingestão de plantas tóxicas devido à fome.

Sem contar que vários problemas com seu rebanho bovino podem ser evitados de maneira simples e rápida, caso você esteja preparado! Por exemplo, as primeiras ações após um acidente são cruciais para salvar a vida do animal, impedir complicações de lesões e evitar gastos desnecessários.

Muitos criadores ainda tem grandes prejuízos por não ter em sua propriedade alguém que atue da forma correta em casos de emergência. Você está preparado? Podemos te ajudar! É só clicar no link abaixo e aprender na prática tudo que você precisa saber para agir em situações emergenciais.

Curso de Primeiros Socorros em Bovinos

Fontes: Revista Agropecuária, Grupo Cultivar e Boi Saúde

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados