Produção foi planejada para preços mais altos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A acentuada baixa do preço das commodities "vem num momento delicado", afirma Cesário Ramalho, presidente da Sociedade Rural Brasileira, ao se referir à proximidade do plantio da nova safra de verão. "Se esse recuo persistir, arrisca inviabilizar a agricultura", diz. Segundo a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), a safra 2007/2008 chegou ao recorde de 143,7 milhões de toneladas, 9,1% maior em relação à temporada anterior. A meta do governo é que a próximo ano agrícola alcance 150 milhões de toneladas, aumento de 4,4%. Para Carlo Lovatelli, presidente da Abag (Associação Brasileira de Agribusiness) e diretor do grupo Bunge, o recuo das cotações é pontual. Mesmo que as cotações não retomem os patamares recordes de alguns meses atrás, tendem a permanecer elevadas. A surpresa com a intensidade da queda das cotações das commodities abre espaço para que os agricultores trabalhem "de forma defensiva", embora os fundamentos do mercado ainda sejam altistas – os estoques permanecem baixos apesar das previsões otimistas para a safra americana.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 8 de outubro de 2018

Artigos Relacionados