Saiba como realizar o exame oral em cães e gatos

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
exame oral em cães e gatos

A realização periódica de um exame oral em cães e gatos é fundamental para a saúde bucal desses animais. Uma vez acometidos por afecções nessa região, podem sofrer desconfortos que interferem negativamente em sua qualidade de vida. Caso as doenças não sejam diagnosticadas e tratadas a tempo, podem comprometer as estruturas da boca e do periodonto. Assim, é importante que médicos veterinários e estudantes que se interessam pela área estejam preparados para a realização dessa avaliação. 

Se interessou pelo assunto? Continue a leitura e saiba mais sobre o exame oral em cães e gatos! 

O exame oral

Algumas doenças e anormalidades são facilmente reconhecidas, tais como perdas ou fraturas dentárias e hemorragias. Contudo, algumas desordens necessitam de uma avaliação criteriosa e detalhada da região bucal dos animais para serem diagnosticadas e, posteriormente, tratadas. Assim, é possível perceber que realizar o exame oral em cães e gatos é imprescindível para a saúde e qualidade de vida desses animais. 

Com esse exame, é possível observar acúmulos de placas bacterianas e tártaro, além de diagnosticar quadros de gengivite e de periodontite. 

Etapas da avaliação oral 

A primeira etapa do exame oral em cães e gatos é a anamnese, onde o profissional avalia o estado geral do paciente e obtém informações importantes a seu respeito. Nessa consulta, o médico veterinário deverá analisar o histórico do paciente e perguntar aos tutores por quaisquer anormalidades observadas, como perda de peso, vômitos ou diarréia. 

Além disso, é necessário que os profissionais estejam atentos a sinais clínicos que podem indicar a ocorrência de alguma doença nessa região, como a doença periodontal. Dentre esses, pode-se destacar a halitose, falta de apetite, salivação em excesso e a movimentação irregular da mandíbula. 

Feita a anamnese, a segunda etapa do exame oral em cães e gatos é o exame físico. Assim, o médico responsável pela avaliação deverá analisar a situação de órgãos internos (em vista da possibilidade de aplicação de anestesia) e submeter o paciente a exames complementares, como hemogramas, radiografias e eletrocardiogramas. 

Em seguida, procede-se com a avaliação da cavidade oral do paciente. Assim, animais de comportamento ameno não requerem anestesias para essa etapa do exame oral em cães e gatos. Contudo, pacientes agressivos podem necessitar de algum tipo de sedação. Nessa etapa, cabe ao médico veterinário analisar lábios, língua, dentes, tonsilas e palato, além de observar algum tipo de sensibilidade na cabeça do animal ou em relação à abertura da boca. 

Doença periodontal 

A doença periodontal é frequentemente observada nos pacientes. É um tipo de afecção que pode ser diagnosticada com a realização do exame oral em cães e gatos e merece atenção dos tutores, já que pode causar muito desconforto aos animais. 

O periodonto é o nome dado às estruturas que suportam os dentes, oferecendo-lhes proteção. Nesse conjunto, destacam-se a gengiva, ligamento periodontal, ossos e fibras de sustentação. A periodontite é a inflamação dessa região. 

Nesse sentido, a doença periodontal é causada pelo acúmulo de bactérias nos dentes, se alastrando até as outras estruturas dessa área, levando a inflamações e infecções. Caso essa afecção não seja tratada o quanto antes, poderá desenvolver um quadro de perda dos dentes ou até fraturas mandibulares. 

Na maioria dos casos, o primeiro sinal clínico dessa doença que pode ser observado pelos tutores é a halitose. Dessa forma, é necessário que estejam atentos a outras anormalidades, tais como sangramentos, vermelhidão da gengiva, úlceras ou edemas e desconfortos para comer. 

Em estágios iniciais, o tratamento da periodontite se dá através da remoção do tártaro e da placa bacteriana acumulada. Contudo, em quadros mais avançados, como os de fraturas ou de comprometimento total do periodonto, é comum a realização de intervenções cirúrgicas. A escolha do tratamento deve ser feita por um profissional competente e que domine os conhecimentos da área da periodontia.  

Além de tratar o animal acometido, é importante que a periodontite seja prevenida. Assim, é necessário promover a escovação correta dos dentes e fornecer uma alimentação adequada aos animais. Também é essencial proporcionar o exame oral em cães e gatos com frequência. 

A periodontia veterinária

A área da periodontia se dispõe a estudar e tratar de anormalidades que acometem as estruturas que suportam os dentes, e é de extrema importância para promover a saúde dos animais. Esse campo da odontologia veterinária merece sua devida atenção e requer profissionais capacitados para atender os pacientes. 

A doença periodontal acomete pequenos animais com frequência. Assim, é necessário que os médicos veterinários especializados nessa área saibam diagnosticar as afecções e realizar o melhor tratamento para cada situação, evitando o avanço do quadro.  

Além da realização periódica do exame oral em cães e gatos, é necessário que o profissional da área esteja capacitado para que o diagnóstico, tratamento e prevenção sejam feitos da maneira correta. Dessa forma, é possível promover a saúde bucal dos pacientes, elevando sua qualidade de vida.

Gostaria de se especializar nesse campo? Conheça o Curso de Periodontia em Pequenos Animais! 

Fontes: CPT Cursos Presenciais, Hospital Escolar Veterinário, MedVep

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  
Pequenos Animais

Atualizado em: 10 de maio de 2021

Artigos Relacionados