Seminários debatem produção integrada adotada na União Européia

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A produção integrada e a valorização de produtos agropecuários na União Européia serão temas de dois seminários programados para o mês de agosto, em Brasília. Técnicos, produtores, lideranças e interessados no assunto podem participar das discussões, que acontecerão, no dia 1º, às 10h, na Embrapa Sede, e, no dia 8, também às 10h, no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). As palestras proferidas pelo coordenador de Produção Integrada da Cadeia Agrícola do Departamento de Sistemas de Produção e Sustentabilidade do Mapa (Depros/SDC), José Rozalvo Andrigueto, descreverão a proposta de unificação das normas de Produção Integrada, a valorização e a certificação de produtos agropecuários na União Européia. Andrigueto é pós-doutorado pela Universidade de Lérida (Espanha) e desenvolveu o estudo da “Implementação e Transferência de Tecnologias Aplicadas na Produção Integrada e Acompanhamento de Unificação de Processos em Países da União Européia”. Produção Integrada – A produção integrada iniciou-se no Brasil em 1998, na Embrapa. Regulamentada em 2001, está em execução nos estados em parceria público-privada com 500 instituições. Coordenada pelo Mapa, reflete a busca por sistemas produtivos que sigam os critérios da sustentabilidade, ou seja, “uma produção socialmente justa, com respeito ao meio ambiente e estímulo à geração de emprego e renda”. Os produtos originados desse sistema adquirem maior credibilidade no mercado, já que têm normas mais rigorosas de produção, resultando em aumento da qualidade e segurança do alimento. No Brasil, o Mapa já aprovou normas técnicas de produção integrada para 18 tipos diferentes de frutas. Estão em andamento projetos que incluem 42 produtos agropecuários. A adesão dos produtores ao sistema é voluntária. (Cristiane Araujo)

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 28 de julho de 2008

Artigos Relacionados