Como alcançar o sucesso na técnica de Transferência de Embriões em Bovinos? Veja 10 passos!

  •   
  • 136
  •  
  •  
  •  
Transferência de Embriões em Bovinos

A transferência de embriões em bovinos tem sido uma importante ferramenta para o melhoramento genético. É por isso também que vem ganhando cada vez mais relevância e espaço no mercado mundial. Basicamente, a técnica consiste na multiplicação do material genético de fêmeas de alto valor, de forma rápida do que o convencional. Além disso, ela facilita o transporte e comercialização de material genético por meio de embriões congelados.

A TE, como é comumente chamada, possibilita a coleta e a transferência de embriões de fêmeas doadoras (animal com maior valor genético) para as receptoras ( chamadas de barrigas de aluguel). Dessa forma, uma fêmea que naturalmente produziria apenas um bezerro ao ano, tem a possibilidade de aumentar sua produção em mais de 10 produtos anuais, sem a necessidade de gestação e parto.

A transferência de embriões, juntamente com as demais biotécnicas são as grandes responsáveis pela aceleração o melhoramento genético em bovinos. Mas, você sabia que para ter sucesso com ela é necessário seguir alguns passos fundamentais? Não é segredo mas, sim, técnica, o necessário para alcançar o tão almejado sucesso com a TE. Ou seja, alguns parâmetros devem ser observados para a elaboração de um programa eficiente e adequado!

Neste artigo vamos te mostrar alguns principais para se compreender melhor a transferência de embriões em bovinos. Então, vamos lá!

O que é Transferência de Embriões em Bovinos?

De modo resumido, a TE bovina é uma biotecnologia que busca obter mais descendentes de animais de alto potencial genético.

A TE acontece a partir de etapas. Assim, após eleger uma fêmea bovina superior, chamada de doadora, ela é submetida a tratamento hormonal específico para produzir vários óvulos, ao invés de apenas um, como seria no processo natural. Já as vacas receptoras são avaliadas quanto ao seu estado reprodutivo e, apenas aquelas consideradas aptas, recebem os embriões.

Do ponto de vista técnico, esta biotecnologia se fundamenta na estimulação por intermédio de hormônios exógenos os ovários de uma vaca geneticamente superior (doadora), para induzir múltiplas ovulações. Por fim, a doadora é inseminada e 7 dias após o processo, os embriões são retirados, selecionados sob microscópio e transferidos às fêmeas receptoras. Afinal, são elas as responsáveis por levar a gestação até o seu término.

Sem dúvidas, a transferência de embriões em bovinos possibilita, em um curto espaço de tempo, o aumento da expressão de características raciais mais importantes do plantel. Além disso, ainda é uma excelente forma de se obter um maior número de descendentes dos animais superiores a um custo mais baixo. Se comparado a uma aquisição do animal já adulto.

Como é realizada?

Para fazer a transferência de embriões em bovinos, o primeiro passo é provocar, por meio de aplicação de hormônios específicos, uma superovulação em uma vaca.

Desse modo, ao invés de liberar apenas um ovócito (óvulo), que seria o processo natural, ela libera vários. A aplicação hormonal é feita de 8 a 12 dias após o estro e por 4 dias seguidos. No terceiro dia, aplica-se o hormônio para induzir o cio, que ocorre após dois dias.

O passo seguinte é inseminar artificialmente a fêmea e, sete dias depois, faz-se uma lavagem uterina para recolher os óvulos já fertilizados. Em laboratório, os embriões viáveis são identificados e separados.

Assim, podem ser congelados ou transferidos imediatamente para o útero de “mães de aluguel”. É importante ressaltar que elas devem estar com o ciclo estral sincronizado com a vaca doadora.

Essa biotécnica pode aplicada com coletas cada 60 dias podendo, nas quais são obtidos em torno de 6 embriões viáveis por coleta, em média, sendo a taxa de concepção em torno de 50-60% do embriões implantados.

Vantagens da TE

O uso dessa biotecnologia tem diversas vantagens, dentre as principais podemos citar:

  • possibilidade de gerar mais bezerros anualmente;
  • seleção e aprimoramento genético dos filhotes gerados;
  • multiplicação do material genético de fêmeas de alto valor;
  • comercialização de material genético por meio de embriões congelados;
  • obtenção de descendentes mesmo quando a doadora estiver morta, a partir da criopreservação.
  • aumento das características mais importantes para a produtividade e para a melhoria da caracterização racial do plantel.

Principais passos para alcançar o sucesso na transferência de embriões em bovinos

A demanda potencial do Brasil por rebanho geneticamente superior é muito grande. E, para supri-la, é necessário que haja cada vez mais médicos veterinários capacitados para tal. Sendo assim, o aprendizado da técnica de TE em bovinos por meio de um treinamento prático, de forma bem orientada, torna-se essencial para que o profissional amplie seus conhecimentos técnicos para sua inserção em um mercado profissional restrito e de alta valorização.

Aqui você vai conhecer quais são s principais etapas da transferência de embriões em bovinos! Confira

1. Instalações

A estrutura básica consiste em um curral para o contenção e manejo dos animais. Ele precisa ser seguro e permitir a realização dos procedimentos de avaliação, coleta e transferência. Também é preciso ter laboratório disponível para manipulação dos embriões e garantir que apenas os saudáveis sejam implantados na receptora.

2. Seleção de Doadoras

As doadoras devem ser aqueles animais de maior valor genético e aquelas cujas características sejam interessantes para o rebanho. Isso porque os custos envolvidos na transferência de embriões em bovinos e só se justifica se o produto possuir boa linhagem. Além disso, o animal deve possuir um ciclo estral regular, para que seja sincronizado com a receptora e, também deve estar em adequado estado nutricional.

3. Seleção de Receptoras

Já as receptoras devem ter um porte compatível com a raça do embrião a ser transferido para garantir uma gestação normal, sem complicações. Esses animais também devem ter ciclo estral regular e ter o escore compatível com uma gestação saudável. E mais, é essencial que estas fêmeas selecionadas sejam boas produtoras, dóceis com a cria e aptas para amamentar o tempo adequado.

4. Protocolo Hormonal

Considerado como uns dos aspectos primordiais, esse protocolo está relacionado à sincronização do ciclo estral da vaca. É esse protocolo que vai gerar a superovulação, possibilitando que a fêmea seja capaz de produzir mais de um embrião.

Mas, caso ocorra algum problema, tratamentos hormonais podem ser indicados para controlar o crescimento folicular e o momento da ovulação.

5. Seleção de Touros e Inseminação

Os touros são selecionados por maior valor genético, de acordo com as características pleiteadas. Esses animais devem passar pela realização do exame andrológico. Afinal, é ele que vai garantir a aptidão do animal para participar do processo.

Seja por monta natural ou inseminação artificial, o sêmen deve ser de boa qualidade para garantir a eficácia da biotécnica.

6. Coleta de Embriões

A coleta de embriões é feita entre o 7° e o 8° dia após a primeira inseminação das doadoras. Isto é, por meio de uma lavagem interna do útero com uma solução apropriada. O líquido é introduzido na cérvix e sugado com os embriões que serão imediatamente analisados e transferidos para a receptora ou submetidos ao congelamento.

7. Avaliação do Embrião

A qualidade dos embriões é avaliada sob estereomicroscópio, obedecendo à classificação e os critérios adequados. Então, os embriões que apresentarem anomalias morfológicas deverão ser descartados.

8. Inovulação de Embriões

É o processo no qual a receptora recebe o embrião viável coletado da doadora. Sendo o método não-cirúrgico mais aplicado por ser rápido e prático.

9. Criopreservação de Embriões

A criopreservação, ou congelamento, do embrião passa pelas etapas de resfriamento, congelamento, armazenamento. Todas com o foco na suspensão e manutenção do potencial por um período de tempo prolongado.

10.  Controle zootécnico

Por fim,o controle zootécnico é fundamental e está relacionado nas anotações que são realizadas ao decorrer do processo. O registro dos dados durante as etapas da TE deve ter o foco em detalhes como:

  • idade do animal;
  • tempo após o parto;
  • escore corporal.

Agora que você já sabe resumidamente os principais pontos para o sucesso na Transferência de Embriões em Bovinos! Que tal dar se aprofundar no assunto e garantir um conhecimento de alto nível para atuar com segurança e eficiência?

Curso de Transferência de Embriões em Bovinos

Fonte: Apostila CPT Cursos Presenciais e Blog do Mundo Veterinário

  • 136
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados