Veja como a ultrassonografia é uma grande aliadada da cardiologia veterinária!

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A cardiologia veterinária é uma área que identifica e trata alterações nos músculos do coração, vasos sanguíneos e artérias. Possui  grande demanda por profissionais especializados mas necessita conhecimento específico e tecnologias avançadas de diagnóstico. Como o ultrassom veterinário. 

O diagnóstico ultrassonográfico de cardiopatias é essencial para a rápida identificação de problemas que poderiam ser fatais em pequenos animais. Especialmente quando há o efeito doppler. Afinal, o uso do recurso, que não é novidade na veterinária, tem auxiliado a observar os batimentos cardíacos, velocidade e direção do fluxo sanguíneo e vascularização de áreas afetadas. 

Neste artigo, vamos entender melhor o que é a cardiologia veterinária, as principais doenças e como o ultrassom veterinário com doppler pode auxiliar no diagnóstico. 

Principais demandas da cardiologia veterinária

Cardiologia veterinária

A medida que aumenta a expectativa de vida de cães e gatos, cresce o risco desses animais contraírem doenças relacionadas ao coração. Além disso, fatores genéticos e hereditários são, também, grandes responsáveis pela ocorrência de problemas cardíacos. Por isso, existem algumas raças que são mais propensas a esse tipo de patologia. 

As principais doenças tratadas pela cardiologia veterinária serão descritas a seguir. Confira! 

1. Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC)

A Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC) é uma das doenças mais graves do coração. Essa patologia causa um bombeamento de sangue insuficiente,  causando a descompensação do coração. Com isso, a ICC causa um acúmulo de sangue nos vasos, o que irá dificultar o fluxo normal. 

Como consequência, gera formação de edema em algumas regiões do corpo, como nas pernas do animal, por exemplo. Se ocorrer nos pulmões, gera sinais como cansaço e tosse. Além disso, pode levar a complicações como a ascite, caracterizada pelo acúmulo de líquido na cavidade abdominal. 

2. Cardiomiopatias dilatada e hipertrófica

É um problema cardíaco que afeta tanto gatos, como cães, especialmente as raças maiores. Essa patologia se caracteriza pelo enfraquecimento do músculo cardíaco, causado pelo seu afinamento. Com isso, a contração normal é prejudicada. 

Uma das complicações dessa doença é a insuficiência cardíaca congestiva. Nos gatos, é mais comum a cardiomiopatia hipertrófica. 

3. Valvulopatias

A valvulopatia é uma doença mais comum em cães. Ela é popularmente conhecida como “sopro no coração” e se caracteriza por uma falha nas válvulas. Com isso, há um descontrole na passagem de sangue, levando a insuficiência cardíaca. É mais comum em animais de menor porte. 

4. Dirofilariose

A dirofilariose é provocada por um verme que se aloja no coração. Ele dificulta a passagem de sangue, o que compromete o funcionamento do coração em cães e gatos. Esse problema é transmitido por uma picada de mosquito e é mais comum em animais que vivem próximos ao mar e áreas de risco. 

Principais sinais de doenças cardíacas

 Na cardiologia veterinária, o diagnóstico precoce é essencial, caso contrário a vida do paciente poderá estar em risco. 

Na maioria dos casos, esses problemas são silenciosos, principalmente nos gatos. Portanto, é fundamental observar a presença de alguns sinais frequentes nos pequenos animais, tais como: 

  • Cansaço fácil;
  • Dificuldade respiratória;
  • Prostração e apatia;
  • Acúmulo de líquido nos membros e abdômen;
  • Língua arroxeada;
  • Desmaios frequentes;
  • Tosse seca;

Quando o veterinário recebe pacientes nas condições acima descritas, é preciso analisar o histórico do animal e realizar a auscultação cardiorrespiratória, e aferição do pulso. Além disso, podem ser utilizadas radiografias do tórax e, principalmente, a ultrassonografia do coração utilizando o recurso do doppler.

Ultrassonografia na cardiologia veterinária

O efeito doppler é um complemento a ultrassonografia, já que auxilia na determinação do sentido e da velocidade do fluxo sanguíneo. Dessa maneira, quando é utilizado para realizar diagnósticos relacionados a cardiopatias, ele fornece informações com alto grau de exatidão em relação a vascularização e sobre o funcionamento do coração. 

Mais do que isso, equipamentos de ultrassom veterinário que possuem o doppler são eficazes pois permitem fazer o  mapeamento do fluxo sanguíneo a partir do uso de cores e identificar se algo não tiver indo bem.

Portanto, para ter bons resultados na cardiologia veterinária e conseguir entregar diagnósticos precisos aos tutores é imprescindível ter conhecimento profundo em ultrassonografia veterinária e efeito doppler. 

Quer saber como se capacitar na área? Conheça o Curso Avançado de Ultrassonografia em Pequenos animais. 

Fonte: Vet Quality  e Blog do Mundo Veterinário

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados