Ultrassonografia na reprodução equina: entenda as aplicações e sua relevância

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
Ultrassonografia na reprodução equina

O sucesso na criação de equinos está diretamente ligado ao manejo reprodutivo bem planejado, assim como ao investimento em tecnologias. Dentre esses recursos, não há dúvidas de que a ultrassonografia na reprodução equina tem papel essencial na eficiência produtiva, afinal, auxilia tanto em diagnósticos diversos como no melhoramento genético. 

Mais do que isso, com essa técnica o médico veterinário consegue realizar parte do exame andrológico nos garanhões, exames ginecológicos nas fêmeas, acompanhar e monitorar a evolução do ciclo estral, as condições do útero, o desenvolvimento embrionário, o tempo de gestação e a existência de anomalias no feto entre outros. 

Veja a seguir os principais usos da ultrassonografia na reprodução equina! 

Diagnóstico gestacional

O diagnóstico gestacional é uma das principais aplicações da ultrassonografia na reprodução equina. Mesmo que a propriedade ainda não implante um programa de reprodução sofisticado, é essencial saber se haverá gestação ou não para fazer o manejo correto dos animais. Éguas prenhes devem ter uma alimentação específica e, em alguns casos, serem retiradas de atividades mais pesadas. 

A ultrassonografia possibilita detectar a gestação por volta de 19 dias, devido a alterações no fluxo sanguíneo e os primeiros indícios da formação do embrião. No entanto, com aproximadamente dias é o momento ideal para o diagnóstico gestacional, devido a maior precisão da imagem. Nesse momento também já vai ser possível  constatar o número de fetos e ainda confirmar a viabilidade fetal. Esse é o método de diagnóstico que melhor possibilita a identificação precoce da gestação, gerando economia de tempo e custos. 

A ultrassonografia gestacional também permite:

  • Estimar a viabilidade embrionária;
  • Identificar gestações gemelares;
  • Avaliar a idade gestacional;
  • Detectar problemas associados à mortalidade embrionária;
  • Quantificar o número de fetos;
  • Acompanhar o desenvolvimento e anatomia fetal e consequentemente algumas anormalidades;
  • Realizar a sexagem fetal;
  • Correlacionar a idade gestacional com a eficiência reprodutiva e os aspectos morfológicos;
  • Monitorar a saúde da mãe e do feto;

Exame andrológico 

Outra aplicação importante da ultrassonografia na reprodução equina é no exame andrológico. Esta é uma etapa fundamental para avaliar as condições clínicas gerais e reprodutivas dos garanhões e assegurar maior eficiência. É por isso também que ele pode ser muito útil para analisar a fertilidade e o potencial reprodutivo do animal, evitar surpresas com problemas de subfertilidade ou infertilidade. Além de aumentar o desempenho do garanhão ao diagnosticar e tratar doenças e anormalidades, melhorando a eficiência reprodutiva do plantel.

O exame andrológico deve ser realizado antes de iniciar a estação de monta já que é uma etapa fundamental na seleção dos reprodutores e no acompanhamento de seu desempenho reprodutivo. Também é muito usado antes da comercialização e da coleta de sêmen para os processos de reprodução assistida. 

Ele possui diversas etapas, começando pela identificação do animal e do proprietário, e os exames geral, físico e específicos. Na etapa final, a ultrassonografia é extremamente útil para avaliar a situação das estruturas internas e externas do sistema genital do cavalo e no diagnóstico de muitas condições patológicas como:

  • Granuloma espermático;
  • Epididimites;
  • Criptorquidismo;
  • Varicocele;
  • Estruturas císticas do epidídimo;
  • Aumento da espessura da túnica vaginal;
  • Neoplasias testiculares. 

Avaliação ovariana, folicular e uterina

Com a ultrassonografia é possível realizar análises precisas dos folículos e do útero, o que é essencial em procedimentos como a inseminação artificial, a transferência de embriões ou a cobertura natural. 

Durante o ciclo estral, o monitoramento da ecotextura uterina, por exemplo, pode ser muito útil para aumentar a eficiência do manejo reprodutivo da égua. Visto que, em cada fase folicular ou momentos do ciclo estral, a dinâmica da ecotextura uterina muda em virtude dos níveis de esteróides ovarianos predominantes.

O acompanhamento dos folículos pela ultrassonografia acontece com a observação da estrutura que pode variar de forma dependendo do seu desenvolvimento. Essas alterações de forma e também de diâmetro folicular são importantes sinais utilizados para estimar o momento mais próximo da ovulação. Assim como, determinar o princípio da atividade sexual e o momento ideal para o início de tratamentos superovulatórios e indutores de ovulação, e o momento mais apropriado para a realização de coberturas de éguas doadoras de embriões.

Transferência de Embriões

A Transferência de Embriões (TE) em equinos é uma biotécnica reprodutiva que vem ganhando cada vez mais destaque em decorrência de suas diversas vantagens. Graças a ela, é possível, por exemplo, otimizar a eficiência reprodutiva e obter o melhoramento genético animal, o que beneficia o crescimento mundial da equinocultura. 

No cenário mundial, o Brasil ocupa lugar de destaque na aplicação de transferência de embriões. A TE consiste na retirada de um ou mais embriões de uma égua doadora para posteriormente transferi-lo (os) para uma égua receptora previamente sincronizada. Para gerar múltiplos embriões em uma mesma fêmea, é utilizado um protocolo para a superovulação e, em seguida, é realizada a inseminação (artificial ou natural). Depois da confirmação da formação dos embriões, eles são coletados e transferidos para a receptora. 

Contudo, para obter um potro saudável, forte e com melhor desenvolvimento e performance, o médico veterinário deve dar atenção a todas as etapas dessa técnica. O exame ultrassonográfico é muito importante para isso, a começar  pelo período de pré e pós-cobertura de doadoras de embriões e a avaliação de receptoras no momento da inovulação. 

Além disso, é uma técnica auxiliar para detectar qualquer tipo de alteração no sistema reprodutivo, assim como para predizer o início da ciclicidade e determinar o momento ideal para a cobertura de doadoras de embriões, avaliar o potencial da receptora para a manutenção da gestação e realizar o acompanhamento gestacional.

Sendo assim, é possível perceber que a ultrassonografia é de vital importância para o êxito de um programa de transferência de embriões. 

Outras aplicações da ultrassonografia na reprodução equina:

Além de todos os benefícios e utilidades da ultrassonografia veterinária na reprodução equina já citados, a técnica também é útil para:

  • Realizar a aspiração folicular;
  • Auxiliar na Fertilização in vitro e demais biotecnologias reprodutivas;
  • Avaliar o trato reprodutivo de forma rápida;
  • Avaliar o momento exato da ovulação e evitar o desgaste desnecessário do garanhão;
  • Auxiliar para o diagnóstico de distúrbios na hemodinâmica do sistema reprodutivo.

Depois de entender as principais aplicações da ultrassonografia na reprodução equina é importante ter em mente também que para obter sucesso em todos esses procedimentos é essencial conhecer a anatomia do animal e do manuseio do equipamento. 

Para te ajudar nessa questão, conheça o Curso de Ultrassonografia e Palpação Retal em Equinos do CPT Cursos Presenciais!

Fonte: Shop Veterinário

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados