Quando vale a pena fazer a ultrassonografia testicular em equinos?

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
ultrassonografia testicular em equinos

Uma grande aliada para diagnosticar alterações que afetam a produção e a qualidade das células espermáticas nos cavalos é a ultrassonografia testicular em equinos. Identificar patologias, tais como as injúrias vasculares, de maneira rápida é fundamental para evitar  danos irreversíveis à reprodução.

Conhecimentos como modalidade do aparelho, anatomia do sistema reprodutor masculino, entre outros, são necessários para a realização do exame de imagem. Se você é médico veterinário ou estudante com interesse em reprodução equina, continue a leitura deste artigo e se aprofunde na área! 

Anatomia do testículo do garanhão

O primeiro passo para interpretar um exame ultrassonográfico é conhecer a anatomia dos órgãos reprodutivos do garanhão. O  sistema  reprodutor  do macho  é  formado  pelos  testículos  e  epidídimos, pelo  pênis, uretra   associada,   músculo   isquiocavernoso,   bulboesponjoso,   retrator   do   pênis   e   pelas glândulas acessórias: glândulas vesiculares, próstata, bulbouretrais e ampolas.

O  testículo  é  envolto  por  uma  cápsula  de  tecido  conjuntivo  denso,  a  túnica  albugínea, formada  principalmente  por  fibras  de  colágeno e que emite  septos  em direção  ao  parênquima  testicular  fornecendo  sustentação  e  dividindo  o  órgão  em  lóbulos, onde  são  alojados  os  túbulos  seminíferos. 

Os  testículos  situam-se  fora  da  cavidade  abdominal  e  são  envolvidos  por  uma  bolsa,  chamada de escroto. Este é dividido em quatro camadas: pele, túnica dartus, fáscia escrotal e túnica vaginal parietal. 

Tão importante quanto a anatomia do testículo para a ultrassonografia é a anatomia vascular da região. A artéria  testicular  se  origina  da  aorta  abdominal  e  se  alonga  para  acompanhar  a migração   do   testículo   para   o   escroto. Já a  veia  central tem início  no  centro  da  região  caudal  do  testículo,  segue  crânio-dorsalmente  e,  após  atravessar  a túnica  albugínea,  emite  ramificações  que  formam  o  plexo  pampiniforme,  sendo  responsável por drenar o sangue dos testículos. 

Importância da ultrassonografia na avaliação dos testículos no cavalo

O exame ultrassonográfico é uma ferramenta eficaz no diagnóstico precoce de diferentes patologias e no aparelho reprodutor equino sua atuação não é diferente. Alguma das principais alterações indetectáveis aos exames andrológicos convencionais, mas que com o exame de imagem é possível diagnosticar são: granuloma espermático, epididimites, criptorquidismo, varicocele, estruturas císticas do epidídimo, aumento da espessura da túnica vaginal e neoplasias testiculares. 

A ultrassonografia testicular em equinos normalmente é realizada com o animal em estação e contido. O examinador deve se posicionar lateralmente ao animal, empurrando o testículo contralateral dorsalmente. Após manter o testículo na posição ventral do escroto o transdutor é colocado na posição vertical iniciando o escaneamento da região cranial para a região caudal. 

Duas modalidades podem ser aplicadas na hora de fazer a ultrassonografia testicular em equinos. A em escala cinza ou modo B fornece uma análise estrutural do órgão e é aplicada em estudos da anatomia, ecogenicidade, textura e mensuração do volume testicular. 

Já o modo doppler propicia  informações  da  vasculatura  de  vários  órgãos, sendo uma  técnica  capaz  de  amplificar  a  capacidade  de  diagnóstico  e  de monitoramento no âmbito da andrologia equina. Ambas as técnicas podem ser usadas juntas, já que o modo B pode servir  como  plano  de  fundo  para  a  representação  colorida  do  fluxo sanguíneo do testículo.

Tenha melhores resultados com a reprodução equina

Diagnosticar alterações no sistema reprodutor equino com rapidez e precisão é o primeiro passo para ter bons resultados na reprodução. Além de descobrir afecções, a ultrassonografia possibilita o acompanhamento de tratamentos, a fim de melhorar  resultados  terapêuticos  e  proporcionar  melhor  previsão  de fertilidade  aos  garanhões. 

Sem dúvidas a avaliação da imagem é uma parte fundamental no exame andrológico. A biotécnica, que é essencial para garantir eficiência reprodutiva do animal, é auxiliada pelo ultrassom na hora de avaliar a perfusão testicular, que está intimamente ligada com o bom funcionamento dos testículos e epidídimos.

Se você deseja saber como selecionar os animais corretos e realizar todas as etapas que que garantem o sucesso da reprodução equina, conheça o Curso de Exame Andrológico em Equinos – manipulação, avaliação e criopreservação de sêmen. O CPT Cursos Presenciais é referência em capacitar estudantes da medicina veterinária e veterinários formados, oferecendo conhecimento teórico aliado ao treinamento prático para a realização das técnicas! 

Fontes: Rev. Bras. Reprod. Anim., Belo Horizonte, v.41, n.1, p.157-168, jan./mar. 2017, Silva  DF,  Monteiro  GA, Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.72, n.4, p.1137-1144, 2020.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados