Como fazer a vermifugação em equinos: importância, período e modos de realizar

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
vermifugação em equinos

O manejo da vermifugação em equinos é uma medida sanitária fundamental para evitar a proliferação de doenças parasitárias. Tais problemas interferem no desempenho das atividades e pode trazer consequências graves para a saúde animal.

Em geral, os veterinários e tratadores devem observar alterações comportamentais que sinalizam quadros parasitológicos. Entre elas, destacam-se redução do apetite, pelagem sem brilho e com arrepios, prurido na região anal, cólicas, diarreias com presença de sangue ou não, machucados nas peles e desidratação. 

A evolução do quadro pode levar o animal à morte. Por isso, continue neste texto para entender a importância da vermifugação em equinos, quando e como realizá-la.

Importância

Na equinocultura, cuidar da saúde dos animais é medida primordial para evitar graves problemas e baixos rendimentos. Existem três níveis de verminoses que indicam a gravidade para o plantel:

  • nível 1 – baixo risco: enquadra cavalos criados em cocheiras ou baias com pouco contato no ambiente.
  • nível 2 – médio risco: sistema de criação em cocheiras e baias juntamente ao contato com capim fresco.
  • nível 3 – alto risco: cavalos criados soltos em pastagens.

Quando realizar?

Em potros, a aplicação do produto precisa ser realizada com 60 dias de vida e seguir com repetição de dois em dois ou três em três meses. Cavalos adultos precisam de vermifugação a cada três ou quatro meses. Vale destacar que a escolha pelo período de vermifugação em equinos é feita por escolha do veterinário.

O nível 1 indica que o uso dos medicamentos é três vezes no ano, no mínimo. Já o nível 2, por envolver certo contato com o meio ambiente, recomenda-se pelo menos quatro vezes no ano. E o nível 3 exige vermifugação bimestral diante do perigo da ingestão de capim e água contaminada.

O médico veterinário deve prescrever exames laboratoriais das fezes. Isso ajuda na identificação do melhor princípio ativo para combate ao verme. 

Como realizar?

Seguir as orientações veterinárias é imprescindível para a correta execução do protocolo o. Além disso, é uma etapa traumática para a flora bacteriana do cavalo, o que interfere diretamente na absorção nutricional. Por isso, exige precisão.

Cabe ressaltar que a vermifugação em equinos necessita de mudança da medicação para que não haja resistência na eliminação dos parasitas. Assim, o tratamento torna-se eficaz.

Com exame de fezes, é possível acompanhar o prognóstico do paciente. Ainda, é preciso manter a higienização dos currais e estábulos. A limpeza dos cochos e comedouros deve ser constantemente aplicada a fim de eliminar sujeiras e proliferação de germes. 

Deve-se unir também o manejo nutricional equilibrado, com fornecimento de produtos de qualidade e água em abundância, e a vacinação correta.

A vermifugação em equinos é um método preventivo e de tratamento contra doenças que podem prejudicar os animais. Contudo, muitas vezes, a infestação por vermes é tão grande que os animais precisam de atendimentos de emergência, como é o caso da cólica. 

Seguir os protocolos necessários evita que o cavalo sofra com a infestação de parasitas e tenha mais qualidade de vida. No Curso de Primeiros Socorros em Equinos, além de aprender a agir com prontidão em situações de urgência você também vai saber quais as melhores práticas de vermifugação.

Fontes: Engormix; Univitta; Cavalus; Ouro Fino Saúde Animal; Ouro Fino Saúde Animal; Cavalus.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados