O que é Claudicação em equinos e quais os impactos negativos?

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
claudicação em equinos

Popularmente conhecida como manqueira, a claudicação em equinos é um dos maiores problemas vivenciados por esses animais. É, também, um dos principais motivos de atendimento em clínicas de ortopedia veterinária.

Primeiramente, a claudicação indica um distúrbio estrutural ou funcional em um ou mais membros dos equinos, geralmente nos anteriores, e costuma causar muito desconforto e dor. As causas são diversas e, portanto, o diagnóstico exige conhecimentos específicos que somente um profissional qualificado é capaz de executar. 

Sabendo da relevância desse tema, preparamos esse artigo para você conhecer as principais causas, formas de diagnóstico e os tratamentos mais recomendados. Confira nossas dicas! Com o diagnóstico preciso, você garante a saúde e o bem-estar do animal e ainda aumenta as chances de um tratamento eficiente. 

Principais causas

 De modo geral, a claudicação pode ser causada por diversos fatores ou pela combinação de todos eles. Também varia de acordo com o tipo de atividade desenvolvida pelo animal, por isso, é mais comum em atletas. Desse modo, as principais causas são:

  • Traumas
  • Anomalias congênitas ou adquiridas
  • Infecções
  • Distúrbios metabólicos
  • Problemas circulatórios ou nervosos
  • Excesso de treinamento

Impactos Negativos

  • Manqueira
  • Queda no rendimento físico
  • Menor desempenho
  • Dor
  • Incômodo
  • Má qualidade de vida

Tipos de Claudicação de equinos

Vale destacar que existem muitos tipos de claudicação em equinos. Elas são divididas de acordo com o grau de atuação ou desenvolvimento do distúrbio. Aqui vamos classificá-las em quatro tipos:

Claudicação do membro de apoio

Em primeiro lugar, a claudicação do membro de apoio se manifesta quando o animal está suportando peso na pata ou quando o equino coloca a pata no chão. Então, as lesões na pata, ossos, articulações, ligamentos colaterais e nos nervos motores são observadas.

Claudicação do membro em suspensão

Esse tipo de claudicação em equinos é observada quando o membro está em movimento. Assim, as causas são: alterações patológicas envolvendo a cápsula articulares, músculos, tendões, bainhas tendíneas ou bolas.  

Claudicação mista

A claudicação mista pode ser vista quando o membro está em movimento ou está suportando o peso. Ela pode compreender qualquer combinação de estruturas afetadas do membro em suspensão ou na claudicação do membro de apoio. 

Claudicação complementar

Por fim, na claudicação complementar, a dor em um membro resulta em distribuição de peso desigual em outro membro, ou outros membros. Desse modo, pode provocar uma nova claudicação em um membro que estava sadio. 

Quais as formas de diagnóstico?

O diagnóstico da claudicação exige conhecimentos técnicos específicos, já que possui diversas causas e tipos. O profissional também precisa ter um amplo conhecimento da anatomia e da fisiologia da movimentação dos membros do equino para realizar uma boa análise.

A anamnese é a primeira etapa da avaliação dos equinos. Esta técnica consiste em conversar com o proprietário do animal para coletar informações relevantes sobre o início dos sintomas, hábitos do animal e seu comportamento.

O segundo passo para identificar o problema é por meio da observação  da postura e locomoção do animal. Esse exame visual também é fundamental avaliar o comportamento e a escala de dor do equino. 

Além disso, outro fator que deve ser levado em consideração é a andadura natural do cavalo, considerando o passo, trote, salto e galope para saber como o animal se locomove em condições naturais.

Antes de realizar um exame meticuloso, também é preciso coletar informações sobre o animal, analisar o tipo de atividade que ele costuma ser submetido e flexionar os membros e articulações do animal para observar os focos inflamatórios.

Durante o atendimento, o profissional necessita localizar o foco da dor e realizar exames mais detalhados fazendo uso de equipamentos modernos, como ultrassonografia por imagem, que auxiliam na precisão do diagnóstico.

Qual o tratamento mais recomendado?

Para obter melhores resultados e a cura, o tratamento  deve ser indicado por um profissional da área. Ele só pode ser iniciado após o diagnóstico completo. Com isso, o veterinário pode indicar o tratamento ideal e analgésicos para aliviar o sofrimento.

Para minimizar a dor, é indicado massagear o local ou realizar compressas frias ou quentes, a depender das lesões. Ligas de descanso também podem ser aplicadas. 

A partir da observação dos sintomas da claudicação em equinos e do diagnóstico obtido, o tratamento pode ser realizado a partir de dois aspectos:

  • sintomático: a partir dos sintomas são oferecidos analgésicos para alívio da dor;
  • específico: tratamento indicado para cada tipo de manqueira, de acordo com o resultado do diagnóstico.

Como Prevenir?

Investindo na prevenção é possível evitar a claudicação em equinos. Veja algumas medidas simples que podem fazer toda a diferença:

  • investir em ferrageamento de qualidade
  • observar a postura do animal
  • evitar ganho de peso excessivo
  • investir em uma dieta equilibrada
  • fazer a preparação física adequada 
  • dividir a carga ou peso carregada
  • realizar os trabalhos em pisos adequados e confortáveis
  • realizar seleção genética para reduzir a incidência de patologias.

A claudicação em equinos pode ser evitada, mas, quando acontece um profissional deve ser solicitado para evitar problemas maiores e garantir o bem-estar do animal.

Quer saber mais sobre esse assunto? Então você vai gostar do Curso de Diagnóstico de Claudicação em Equinos. Nele você vai aprender na prática todos os protocolos de tratamento, realização do exame e diagnóstico das claudicações de forma objetiva e dinâmica. Não perca tempo, faça já sua inscrição.

Curso de Diagnóstico de Claudicação em Equinos

Fonte: Revista Científica Eletrônica de Medicina Veterinária

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados