Coccidiose Bovina: entenda mais sobre doença que pode atrasar o crescimento do seu bezerro

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A coccidiose bovina, é uma doença parasitária causada por protozoários do gênero Eimeria sp., que se desenvolve com maior facilidade em ambientes úmidos e favorecida pela grande lotação. Também conhecida como curso negro, a enfermidade acontece com frequência no campo e atinge os animais mais jovens do rebanho (até 1 ano de idade). Além disso, causa alterações gastrointestinais e se não for cuidada com rapidez e eficiência até pode provocar a morte do animal.

Todo produtor rural sabe que cuidar dos bezerros é essencial para obter sucesso tanto na pecuária de leite quanto na de corte. Por isso, é importante ficar alerta pois o parasita causador da coccidiose está distribuído por todo país e no ambiente fica localizado onde os bezerros são criados. Por exemplo, no capim, solo e principalmente na água.

Por causar grandes prejuízos financeiros, com gastos com tratamento, mão de obra e manejo, a coccidiose bovina é de grande interesse. Pois, os bezerros atingidos diminuem a absorção dos nutrientes, produção e desenvolvimento. Então, se quiser conhecer um pouco mais dessa enfermidade, leia este blog post agora mesmo!

Como a coccidiose bovina acontece?

Um estudos realizado, mostrou que a coccidiose está presente em 100% das fazendas! É isso mesmo que você leu. Mas, um fator importante para sua proliferação é a característica climática da região, pois ela pode favorecer as condições ideais para a sua multiplicação. Ou seja, é importante que você produtor rural conheça como a doença acontece.

Após a entrada da Eimeria no organismo do animal, ela inicia o seu ciclo parasitário. Basicamente, ela chega ao intestino e inicia o processo de multiplicação dentro das células intestinais. Como ocorre de forma rápida, as células não aguentam e acabam se rompendo, ocasionando diversas lesões. E mais, ao eclodir ocorre a liberação de outros parasitos que estavam ali, para fazer o mesmo processo em outras células.

Alguns fatores predispõem os bezerros a coccidiose, são eles:

  • estresse;
  • desnutrição;
  • desagrupamento;
  • desmama incorreta.

A coccidiose em bovinos, pode se apresentar na forma clínica ou subclínica.

Clínica: caracterizada pela ocorrência de diarreias que podem ser de intensidades variáveis, com a presença ou não de sangue.

Subclínica: é a causadora de maiores danos à produção, justamente pelo fato do animal apresentar sinais mais brandos. Os animais atingidos por este tipo, demonstram apenas uma queda no consumo de alimentos e conversão alimentar. Sendo assim, o produtor deixa de perceber a enfermidade claramente.

Principais sinais

Os principais sinais clínicos da coccidiose bovina são:

  • anemia;
  • desidratação;
  • perda de peso;
  • falta de apetite;
  • diarreia de coloração escura.

O excesso de água dentro do intestino, ocasiona o sinal mais característico da doença é a diarreia. O sangue se mistura ao conteúdo intestinal, deixando as fezes mais escurecidas de aspecto “grudento” na cauda do animal. Por isso, a coccidiose bovina é popularmente conhecida como diarreia negra.

Mas, o que você, produtor rural deve se preocupar mesmo é quando o animal se recupera. Já que, os danos causados pela doença podem ser irreversíveis. Dessa forma, os animais sobreviventes à infecção precisam de mais tempo para atingir o peso.

Ambiente: de vilão a aliado para a prevenção da coccidiose bovina

Quando o assunto é a coccidiose, o ambiente pode ser um fator de sucesso ou insucesso no controle. Como não é possível a total erradicação da doença, algumas medidas de manejo podem auxiliar na diminuição dos surtos da enfermidade, confira:

  • manter o ambiente limpo;
  • evitar a umidade excessiva;
  • separar os animais por faixa etária;
  • impedir a alta densidade de animais no confinamento;
  • deixar o ambiente limpo, sem o acúmulo de matéria orgânica;
  • realizar exames de fezes periódicos para o controle da doença

Além de tudo isso, é necessário que você, produtor rural zele pelos cuidados dos bezerros recém nascidos, forneça o colostro e cure o umbigo adequadamente. Por outro lado, outro ponto que não podemos deixar de destacar é o aumento da imunidade do bezerro e a utilização (com a prescrição do médico veterinário) de medicamentos preventivos.

Para você que atua na bovinocultura, quer cuidar mais ainda de sua criação e principalmente não quer mais perder nenhum animal do seu rebanho, confira essa dica:

Curso de Primeiros Socorros em Bovinos

Fontes: Rural Pecuária, JA. Saúde Animal e Ouro Fino Saúde Animal

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Bovinos

Atualizado em: 16 de julho de 2019

Artigos Relacionados