5 motivos pelos quais você não deve ignorar a desmama precoce em bezerros na pecuária de corte

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A desmama precoce, consiste na separação do bezerro e da mãe mais cedo do que o normal, em torno de 90 dias. É uma prática de manejo utilizada para aumentar os índices reprodutivos dos rebanhos, por meio da redução da exigência energética do animal em situações de excesso de carga e de vacas com uma baixa condição corporal.

Ela é uma alternativa também para o aumento de peso dos bezerros. Pois, quando acontece a interrupção total ou temporária do fornecimento do leite aos bezerros, o rúmen se desenvolve mais rapidamente, se comparado aos animais ainda em fase de aleitamento. Diante disso, alguns pecuarista acreditam e investem cada vez mais na desmama precoce.

Que tal um guia gratuito que vai te ajudar a melhorar seus resultados e aumentar (muito) seu lucro com gado de corte? Clique no botão abaixo e confira:

Guia Gratuito - Gado de Corte

Após o nascimento da cria, a vaca entra em balanço energético negativo. E no período de amamentação as exigências nutricionais são grandes. Então, antecipar a desmama ajuda a diminuir essa demanda, os intervalos entre os partos e ainda antecipa os ganhos na atividade reprodutiva.

E, você, produtor rural, ficou interessado em conhecer um pouco mais sobre o assunto e aplicar a desmama precoce em seu rebanho? Neste conteúdo contém algumas dicas de como implantar essa metodologia em sua fazenda, vamos lá?

Critérios essenciais para a realização da desmama precoce

Desmama precoce na pecuária de corte

A base para se fazer um bom desmame dos animais é o consumo de alimentos sólidos, mais especificamente concentrados. Além disso, o peso do animal também é um dos critérios para realização do procedimento. Animais que iniciam o consumo de alimentos sólidos mais cedo podem ser desmamados mais precocemente do que aqueles cujo o consumo ainda é muito baixo.

Outro ponto que não podemos deixar de destacar é a suplementação pré desmama. Pois, ela estimula o desenvolvimento do rúmen, incentivando o bezerro a procurar outros alimentos que não sejam o leite. Assim, o animal ganha mais nutrientes e expressa todo seu potencial genético. Para tal suplementação deve ser criada uma estrutura de confinamento com creep-feeding.

Basicamente, o creep-feeding é um local de acesso exclusivos dos bezerros para a alimentação que garantem:

  • Padronização dos lotes dos bezerros;
  • Diminuição do stress após a desmama;
  • Possibilidade da vaca retornar ao cio mais rápido;
  • Tornar os bezerros menos dependentes das vacas;
  • Melhor adaptação aos programas de confinamento;
  • Aumento da taxa de peso dos bezerros ao desmame.

Após o período de adaptação, os bezerros passarão a consumir os concentrados de maneira constante. Mas, é importante respeitar a adequação dos animais, pois quando são submetidos a cortes drásticos da amamentação há um impacto muito grande em seu desempenho, em virtude de não estarem com o rúmen completamente desenvolvido.

Cuidado com o estresse da desmama

Normalmente, a desmama acontece em uma fase crítica de transição de imunidade dos bezerros, tornando esse animal mais propenso ao desenvolvimento de doenças, como a diarreia. Nessa fase, a imunidade passiva (transmitida pela ingestão do colostro materno) está em queda, e ao mesmo tempo que a imunidade ativa (própria do bezerro) ainda não se desenvolveu. Ou seja, o animal ainda não tem uma janela imunológica capaz de defendê-lo. Por isso, é importante evitar fatores maiores de estresse que atuem junto com a desmama precoce.

Diante disso, é altamente recomendável que não se realize outras práticas de manejo nesse período. Por exemplo, troca de dieta, vacina ou a descorna. Ainda mais, os bezerros desmamados devem permanecer no local em que estão habituados, isto favorece a adequação da ingestão dos nutrientes pelo animal.

As crias representam o futuro do sistema, pois são elas a garantia de reposição e continuidade do rebanho. Sendo assim, cuidados durante toda a fase da criação de bezerros são fundamentais para o melhoramento genético e o alcance máximo do desempenho desses animais, com menor custo e melhor retorno para você, produtor.

O desmame precoce não favorece apenas o bezerro, mas também ajuda no desempenho da vaca. Este tipo de manejo pode ser utilizados em:

  • Vacas de descarte;
  • Com escore corporal baixo;
  • Animais com a primeira cria;
  • Que pariram no final da estação de parição;
  • Em condição de pastagem de baixa qualidade.

#5 Benefícios da desmama precoce

A técnica traz como vantagem a redução do período de dieta líquida. Ou seja, diminui o tempo gasto com mão de obra para o fornecimento de leite dos bezerros aos bezerros, fora que o leite é mais caro que os alimentos sólidos. Então, minimiza ainda mais os custos de produção.

Ainda podemos destacar alguns benefícios:

#1 Sustentabilidade do sistema de cria

#2 Aumenta os índices reprodutivos da propriedade

#3 Maior taxa de prenhez

#4 Possibilidade de abater as vacas de descarte antes do período da seca

#5 Melhoria da qualidade do bezerro, em função da estratégia de manejo adotada antes e após a desmama precoce

Ainda tem mais! Na desmama precoce há uma redução de custos com alimentação. Já que, as vacas que não produzem leite consome menores quantidades de forragem, se comparadas às que estão em período de lactação. Após ler tudo isso, você, produtor rural, deve estar pensando como colocar em prática o desmame precoce, não é? Fique de olho nas dicas do próximo tópico!

Dicas para desmamar os bezerros

Você já conseguiu entender que o desmame de bezerros é uma ótima opção para impulsionar a produtividade de sua propriedade rural?. Então, confira abaixo como proceder:

  • Desmame o bezerro com no mínimo 90 quilos;
  • Planeje o desmame para a época de melhor pastagem;
  • Não esqueça de aplicar em sua propriedade o creep-feeding.

Seguindo essas recomendações, com certeza, sua fazenda será tão lucrativa quanto uma empresa. Se você ainda tem dúvidas sobre o que fazer e, principalmente, não fazer em sua criação de gado de corte? Então, é só clicar na imagem abaixo para saber todas as informações:

Fontes: Compre Rural, Embrapa, Rehagro e Revista Veterinária

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados