Aspectos essenciais da estação de monta equina que você precisa saber

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
estação de monta equina

A estação de monta equina é o período no qual as éguas manifestam o seu comportamento sexual. Como são animais poliéstricos estacionais que dependem da maior duração do fotoperíodo para se reproduzir, o que corresponde a primavera e verão. 

Um dos grandes desafios de profissionais que atuam com reprodução é aproveitar vem esse período, afinal, cada égua que não emprenha pode ter um ano reprodutivo inteiro perdido. 

É por isso que preparamos um artigo com as principais informações e aspectos que devem ser considerados durante a estação de monta equina. Confira! 

Identificação do ciclo estral das éguas durante a estação de monta

O ciclo estral em éguas é o período de que se estende de uma ovulação até a outra, já que esse animal é poliéstrico, ou seja, apresenta repetidos cios na mesma estação de monta. Cada uma dessas ovulações prepara o animal para receber o sêmen do garanhão e dar prosseguimento à concepção e, em seguida manter a gestação.   

A estação de monta equina acontece sempre entre os meses de agosto e fevereiro pois as éguas demandam mais luminosidade para manifestar o cio. Isso acontece pois a maior incidência de luz inibe a glândula pineal de produzir melatonina, hormônio que regula a fisiologia corporal como relógio biológico, sono e reprodução. Enquanto que no inverno a atividade hormonal se torna bastante reduzida, o que é conhecido como anestro sazonal.

De modo geral, o ciclo estral se divide em: proestro, estro, metaestro e diestro, sendo que o estro é o momento ideal para fazer a inseminação. Para saber mais sobre esse assunto, leia este artigo.

De toda forma, o animal demonstra alguns sinais de que está no período de estro, como: 

  • Olhos brilhantes
  • Cauda levantada
  • Relincha a procura de macho
  • Maior frequência de urina
  • Movimento do clitóris
  • Vulva inchada

Exame andrológico nos garanhões

Assim como monitorar o ciclo estral da égua, realizar o exame andrológico do garanhão é essencial para ter uma estação de monta produtiva. Afinal, com essa avaliação, apenas os animais aptos a se reproduzir serão submetidos à monta ou coleta de sêmen. Para realizar ess exame , deve-se observar os seguintes aspectos: 

  • condição física;
  • estrutura do sistema locomotor;
  • histórico de saúde;
  • fatores hereditários;
  • saúde dos órgãos genitais;
  • qualidade do sêmen.

Exame ginecológico nas fêmeas 

Inegavelmente, para ter uma estação de monta bem-sucedida, fazer o exame ginecológico nas éguas é essencial. Nesse exame, devem ser levados em conta aspectos morfológicos dos órgãos genitais, ou seja, se o trato reprodutivo está saudável e adequado para receber a gestação. Nessa etapa, são avaliados: útero, ovidutos, ovários, vulva e cérvix. 

Essas estruturas podem ser avaliadas a partir da combinação dos exames de palpação retal e ultrassonografia. Além disso, é importante observar outros aspectos físicos e entender se aquela fêmea está ou não apta a monta. 

Manejo reprodutivo

Aqui no Brasil há uma crescente necessidade de aproveitar melhor o potencial genético de animais superiores e obter mais eficiência na reprodução durante a estação de monta. 

Nesse sentido, o manejo reprodutivo de equinos torna-se relevante pois com ele é possível selecionar os melhores animais. Dessa forma, garante a produção de um maior número de descendentes, sem colocar a sua saúde em risco. Mais do que isso, o manejo reprodutivo de equinos é importante para: 

  • Controle sanitário de doenças; 
  • entender como aplicar biotécnicas reprodutivas; 
  • selecionar os melhores animais para a reprodução; 
  • garantir o retorno da fêmea ao estro em um tempo menor entre os partos; 
  • obter mais potros em um menor período de tempo. 

Assim como esses aspectos, o manejo alimentar e nutricional deve ocupar papel de destaque na preparação para a estação de monta. Isso porque uma nutrição balanceada vai auxiliar no desenvolvimento ósseo que refletem diretamente em aprumos mais eficientes, reduz a incidência de cólicas e atuam diretamente na produção de hormônios reprodutivos. 

Biotécnicas reprodutivas para obter eficiência

Durante a estação de monta equina, esperar que o salto natural sem o auxílio de nenhuma biotécnica traga resultados excelentes pode não ser o melhor caminho. Isso porque a monta natural enfrenta alguns obstáculos que podem ser melhor controlados a partir de aplicação de biotécnicas, cujo objetivo d deve ser fazer o melhoramento genético do plantel e reduzir o tempo entre as gestações de forma segura. Além de garantir maiores chances de que a égua fique prenhe no período. 

Além disso, acompanhar a gestação, fazer a sexagem e monitorar a saúde dos animais como um todo também devem ser uma preocupação frequente. 

Nesse sentido, as biotécnicas reprodutivas mais utilizadas para garantir eficiência são: 

  • Transferência de embriões;
  • Inseminação artificial; 
  • Congelamento de sêmen;
  • Aspiração Folicular. 

Seleção de animais de alto padrão

Não há dúvidas de que, assim como todos os fatores listados até aqui, a seleção de animais geneticamente superiores é o que vai determinar o sucesso do programa de melhoramento. Assim como, obter a eficiência nos programas de estação de monta equina. 

É preciso escolher animais que possuam as características desejáveis ao criador, assim como características que estejam de acordo com a função que será desempenhada. De modo geral, os principais aspectos observados são: 

  • Genética superior; 
  • Livres de anomalias congênitas; 
  • Bom histórico de fertilidade; 
  • Trato reprodutivo saudável e compatível com biotécnicas; 
  • Bom escore corporal; 
  • Sem risco de doenças infecto-contagiosas. 

Diagnóstico precoce de gestação

Depois de adotadas todas as medidas citadas, é hora de se preocupar com o resultado da estação de monta equina. Ou seja, é preciso fazer o diagnóstico de gestação o quanto antes para determinar se uma égua deve ou não retornar para o programa de reprodução. 

Caso a gestação dê positivo, o animal será encaminhado para um manejo especial de éguas prenhes. do contrário, será submetida novamente à monta ou a inseminação artificial

O diagnóstico gestacional precoce pode ser feito com a ultrassonografia básica, em modo B, a partir de aproximadamente 29 dias de fecundação. Já com o modo doppler, é possível observar o surgimento da vesícula embrionária a partir de 19 dias. 

Quanto antes o criador e o profissional responsável souberem desse dado, melhor pois representa redução de custos e tempo. 

Todos os aspectos desse artigo são essenciais para o sucesso de uma estação de monta equina. No entanto, para entender melhor cada um desses aspectos é fundamental que o médico veterinário responsável tenha amplo conhecimento em anatomia, manejo e biotécnicas reprodutivas. 

Quer saber onde encontrar esse conhecimento? Confira essa dica: 

CENVA Pós-graduação em Reprodução de Equinos

Fonte: Blog do Shop Veterinário

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados