Inseminação em Éguas: a Biotecnologia do “Sucesso” e suas Vantagens (Aqui listamos 9 delas pra você)

  •   
  •   
  • 1.6K
  •  
  •  
  •  
  •  

A inseminação em éguas, atualmente é uma das biotecnologias mais utilizadas na reprodução equina. E, cada vez mais têm ganhado destaque quando o assunto é o melhoramento genético do animal. Basicamente, a técnica consiste na deposição do sêmen do garanhão, previamente colhido, avaliado e processado, no trato reprodutivo da fêmea.

Ela tem ajudado no maior desenvolvimento na equinocultura por meio do ganho na eficiência reprodutiva e no incremento de melhoramento genético. Isto é, favorecendo o cruzamento e aprimoramento das raças. Além disso, a inseminação artificial em éguas vem sendo empregada com excelentes índices de fertilidade, proporciona menor desgaste do animal e eleva o progresso genético do plantel existente.

Diante dos inúmeros benefícios a técnica vem sendo aplicada em diversas propriedades que visam a qualidade e potencial dos animais frente ao mercado. Por isso, se quer saber um pouco mais do assunto, acompanhe o artigo até o final!

Como funciona a inseminação em éguas?

inseminação em éguas

A inseminação em éguas consiste na introdução artificial do sêmen do garanhão no trato reprodutor da égua, visando uma gestação. Essa técnica permite obter vários potros de um animal a partir de um só ejaculado, de forma a poder inseminar um número maior de éguas ao mesmo tempo. Dessa forma, após as éguas terem recebido a dose de sêmen, deve se fazer o seu acompanhamento para verificar o desenvolvimento do embrião.

A IA é considerada por muitos produtores, como a biotecnologia de maior impacto na produção equina. Pois, um único reprodutor pode deixar centenas de descendentes. Mas, uma dúvida bem comum para os profissionais que almejam atuar na área é qual o momento correto para se inseminar uma égua.

Sem dúvidas, a inseminação deve ser realizada o mais próximo possível da ovulação, assim aumentam as chances de sucesso. Por isso, monitorar o estro é primordial para se ter bons resultados. E, claro não podemos deixar de lado o conhecimento do médico veterinário responsável por aplicá-la.

Esse conhecimento minimiza os erros humanos que podem acontecer ao longo das etapas da IA. Tenha em mente que o sucesso em qualquer aplicação de biotécnicas de reprodução equina está fielmente ligado ao conhecimento de fatores sobre a anatomia, fisiologia e manejo nutricional correto do animal.

Mas, outros fatores também contribuem para o sucesso da IA, são eles:

  1. Éguas(doadoras e receptoras): idade, escore corporal, histórico reprodutivo e fertilidade são fatores essenciais para o sucesso;
  1. Fertilidade do sêmen: examinar certas características do sêmen fresco, resfriado e congelado e a sua relação com a fertilidade;
  1. Perícia do inseminador e previsão da ovulação: alguns empecilhos podem ser encontrados. Por isso, é necessário os dois fatores citados anteriormente estarem em completa formalidade.

Métodos de inseminação artificial

Quando o assunto é IA em equinos, geralmente há uma diferenciação em relação ao tipo da técnica utilizada na conservação do sêmen utilizado e ao tempo entre a colheita e a utilização. São eles:

  • sêmen fresco: é a utilização em um período de 30 minutos até duas horas acrescido de diluentes apropriados;
  • sêmen refrigerado: mantido a uma temperatura de aproximadamente 5°C, pode ser utilizado em um período de até 48 horas após ser coletado. Se o período for ultrapassado sua capacidade fecundação é diminuída;
  • sêmen congelado: passa pelo mesmo processo do sêmen refrigerado, mas com um diluente próprio para o seu congelamento. Após esse processo, pode ser armazenado por vários anos, ficando conservado em tanques de nitrogênio líquido a uma temperatura de aproximadamente -196°C.

É importante lembrar que independente do método utilizado, o sêmen deve passar pela colheita, avaliação e processamento. Isto aumenta ainda mais a eficiência reprodutiva.

Por falar nisso, confira esse super material gratuito com o passo a passo para que você, médico veterinário, aumente o seu sucesso na reprodução equina:

A importância da IA na reprodução equina

Por ser uma biotecnologia com resultados significativos, a inseminação artificial em éguas é de grande relevância para garantir o aproveitamento de equinos de grande potencial genético. Ao passo que, com sua utilização é possível obter produtos de um garanhão mesmo que este não tenha disponibilidade de ser utilizado na monta natural, desde que o motivo não atrapalhe a produção espermática.

Um exemplo simples, muito comum, que impossibilita o processo de monta natural é a distância física entre o garanhão e a doadora escolhidos. Então, com a utilização da IA o cruzamento se torna possível mesmo à distância. Ainda mais, a técnica permite que os animais cruzados não se exponham a doenças venéreas.

Outro ponto que valoriza o seu uso é o fato de que cada ejaculado de um garanhão possuir quantidade de espermatozoides suficiente para fecundar muitos óvulos e na monta natural há um “desperdício” de material genético.

Por estes motivos, a IA torna-se ainda mais importante já que divide o volume ejaculado em doses que serão utilizadas não em apenas uma, mas em diversas doadoras. É fácil perceber que as vantagens são inúmeras e todas elas são fortes aliadas do melhoramento genético. Afinal, qual médico veterinário não quer aumentar a produção de potros e consequentemente, aumentar a sua rentabilidade?

Vantagens da inseminação em éguas

Agora que você já sabe como é feita a inseminação artificial e sua importância para a reprodução equina, separamos uma lista com as principais vantagens dessa técnica, acompanhe!

  1. Larga expansão de reprodutores superiores, de grande valor genético;
  2. O rebanho ganha em melhoramento e desempenho da potencialidade;
  3. Acelera o processo de melhoramento genético das raças;
  4. Maiores índices de fertilidade, por ter um garanhão de alto valor zootécnico;
  5. Reduz o risco de disseminação de doenças sexualmente transmissíveis;
  6. Permite a identificação de problemas reprodutivos;
  7. Permite o uso de éguas impossibilitadas para a monta natural;
  8. Permite o uso de sêmen de reprodutores incapacitados para a monta natural;
  9. Pode-se utilizar o sêmen congelado de reprodutores que se encontram distantes, ou até mesmo já mortos, preservando boas linhagens.

Detalhes que fazem toda diferença

Alguns detalhes, quando seguidos a risca, são fundamentais para alcançar o sucesso da técnica, confira:

  • detecção correta do cio;
  • veterinário treinado e qualificado;
  • manejo nutricional e sanitário correto;
  • atenção especial ao manuseio da fêmea;
  • boa equipe técnica para suporte do veterinário;
  • ausência de características indesejáveis no material genético.

Após ler todas estas informações, ficou interessado em ingressar na área? Então, você não pode deixar de conferir o próximo tópico!

Como conseguir uma oportunidade na área?

Você, médico veterinário, sabe que além de estar em grande expansão, a área da reprodução equina é uma excelente oportunidade de aumentar seus rendimentos, não é mesmo? Mas, por ser uma área altamente rentável é muito visada! Por isso, o mercado está cada vez mais a procura de profissionais completos e mão de obra qualificada.

Dessa forma, o veterinário que deseja atuar e ter sucesso nela precisa ter o conhecimento profundo do assunto. Pois, as biotecnologias são minuciosas e todas as etapas do procedimento requerem do veterinário o contato muito próximo com o animal. Sem contar que, o sêmen equino é um dos mais valiosos do mundo, então qualquer erro é desperdício de dinheiro.

O conhecimento prático, não só da inseminação artificial, mas de outras biotécnicas reprodutivas fará com que você saia na frente na disputa por uma oportunidade na área. Então, clique na imagem abaixo e seja o profissional que o mercado procura:

Fontes: Blog do Shop Veterinário e Revista Eletrônica de Medicina Veterinária

  • 1.6K
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  

Artigos Relacionados