Confira as principais doenças em equinos e dicas para preveni-las

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A preocupação de grande parte dos produtores é manter o rebanho livre de problemas de saúde. Decerto, grande parte das doenças em equinos são provenientes de vírus e bactérias diversas. Mas, muitas delas podem ser evitadas se as medidas de manejo nutricional e sanitário forem tomadas no tempo certo.

Um exemplo bem simples para preveni-las é amamentar o cavalo com a maior quantidade de colostro possível. Isto é, durante as primeiras 36 horas de vida. Essa ação aumenta significativamente sua imunidade passiva. E mais, o uso de vacinas tem se mostrado extremamente eficiente na prevenção de enfermidades provenientes de vírus comuns ou bactérias.

O fato é que existem doenças em equinos que podem causar um simples desconforto ou até mesmo levar o animal ao óbito. Então, para você ficar por dentro das principais elaboramos esse artigo descrevendo algumas das principais e, ao final, com uma dica de como agir em caso

Cólica equina

Também conhecida como abdômen agudo, a cólica equina é uma desordem relativamente comum do sistema digestivo que afeta o desempenho dos animais. Em resumo, esse problema acontece quando há alguma alteração no posicionamento anatômico das alças intestinais, inflamações ou espasmos musculares.

A doença ainda é cercada de mitos, mas do ponto de vista patogênico a cólica equina é causada pela inibição da passagem intestinal ou por fermentações indesejadas. Por ser uma doença grave, se não for tratada logo no início, pode levar o animal ao óbito. Então, é importante ficar atento aos sinais:

  • febre;
  • constipação;
  • inquietação;
  • sudorese;
  • patear o chão;
  • deitar e rolar;
  • coloração de mucosas;
  • alterações na postura (exemplo: esticar as patas);
  • aumento na frequência do pulso e da respiração;

Ao observar qualquer alteração citada acima ou qualquer suspeita de cólica equina, procure assistência veterinária imediata. Já o tratamento é sempre indicado pelo médico veterinário, podendo ser clínico ou cirúrgico. A escolha vai depender da gravidade do caso.

Quer ficar ainda mais por dentro do assunto? Confira esse artigo: A pergunta fundamental sobre cólica equina que você deveria saber responder

Influenza equina

É uma doença extremamente contagiosa, também conhecida como tosse cavalar. Seu agente etiológico é a influenza A, porém com algumas variações. Geralmente, acomete os equinos nas épocas mais frias do ano e seus principais sinais são:

  • febre;
  • respiração ofegante;
  • perda de apetite;
  • corrimento nasal;
  • tosse;
  • inflamação na garganta.

A influenza equina acontece principalmente em locais em que os animais estão aglomerados. Por causar diversos prejuízos econômicos é importante que você mantenha a vacinação do seu rebanho em dia, que é a melhor forma de prevenir a doença.

Encefalite equina

A enfermidade é transmitida por vírus de morcegos, carrapatos e outros animais que se alimentam do sangue dos cavalos. É importante destacar, que o contágio da encefalite equina ocorre nas vias nasais e digestivas. Ao ser contaminado, a doença atinge o sistema nervoso central do animal, causando diversas alterações, tais como:

  • sonolência;
  • dificuldade de locomoção;
  • pálpebras caídas;
  • emagrecimento rápido;
  • hipersensibilidade ao ruído e ao tato.

O tratamento da enfermidade consiste em retirar o animal dos trabalhos e colocá-lo em um ambiente tranquilo, escuro e limpo.

Gurma equina

É causada por bactérias e afeta principalmente a respiração dos animais. O contágio é realizado pelo contato direto entre os equinos enfermos e saudáveis por meio de camas, forragens e outros ambientes compartilhados.

Por atingir cavalos de qualquer sexo, raça ou idade é importante ficar atento aos seus sinais:

  • secreções nasais;
  • emagrecimento;
  • falta de apetite;
  • abcessos na região da mandíbulas e pescoço.

Anemia infecciosa em equinos

A doença acontece pela transmissão de vírus realizado por mosquitos, que ao se alimentarem do sangue de cavalos doentes, carregam o vírus da anemia infecciosa. Então, ao picarem animais saudáveis a doença é transmitida.

A anemia infecciosa em equinos pode atingir animais de qualquer raça, idade ou sexo. Mas, é bem comum em ambientes úmidos e em regiões florestais. Entre os seus principais sinais podemos destacar:

  • febre;
  • cabeça baixa;
  • perda de peso;
  • respiração ofegante;
  • dificuldade de locomoção.

Agora que você já conheceu as principais doenças em equinos e seus principais sinais, trataremos no próximo tópico sobre como você pode realizar a prevenção, confira!

Como prevenir as doenças em equinos

Grande parte das doenças em equinos são facilmente prevenidas com a higienização das instalações dos animais. Sendo assim, é preciso limpar o local periodicamente, ainda mais se a fazenda estiver enfrentando algum surto de doenças. Além disso, tal medida ainda proporciona maior bem estar ao animal.

Outra ação de prevenção é combater periodicamente todos os ecto e endoparasitas. Isto é, carrapatos, mosquitos, bactérias com carrapaticidas disponíveis no mercado, por exemplo. Visto que, realizar exames periódicos como o de fezes, para verificar a presença de endoparasitas também é um método preventivo extremamente eficaz. Além disso, a manutenção correta das baias também reduzem os riscos de acidentes e ajuda a manter a boa saúde do cavalo.

É preciso que você, produtor rural, fique atento à qualquer mudança no comportamento do animal. Ainda mais, é importante que você esteja preparado para lidar com situações emergenciais, antes que o veterinário chegue e reconheça prontamente os primeiros sinais de doenças. É isso que você quer? Então, é só clicar no botão abaixo e conferir a dica:

Curso de Primeiros Socorros em Equinos

Fontes: Blog Vedovati e Perito Animal

  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  
Equinos

Atualizado em: 26 de maio de 2020

Artigos Relacionados