Adenite Equina (Garrotilho): Você sabe como identificar, tratar e prevenir?

  •   
  •   
  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  

A Adenite Equina, conhecida popularmente como garrotilho, é uma doença extremamente contagiosa provocada pela bactéria Streptococcus equi. Por causar inflamação mucopurulenta no trato respiratório do animal, se não tratada pode levar o cavalo ao óbito.

Não há uma idade mais suscetível para o contágio da patologia. Mas, a adenite equina ocorre com maior frequência em animais com menos de cinco anos.

Você sabia que doenças respiratórias, como o garrotilho, ocupam grande relevância entre as doenças que acometem os equinos? Elas ficam atrás somente das que afetam o sistema músculo esquelético.

Para evitar o contágio dos demais animais do rebanho pela enfermidade, é imprescindível ficar atento aos primeiros sinais da doença, destacamos os mais relevantes em seguida.

 

Principais sinais da adenite equina

Os primeiros sinais clínicos são observados entre 7 a 14 dias após a infecção, dentre eles podemos destacar:

– Febre

– Tosse

– Corrimento nasal

– Dor ao apalpar a região mandibular

– Aumento de volume dos linfonodos

– Resistência a ingestão de alimentos e água

O desenvolvimento da doença pode acarretar em complicações como o garrotilho bastardo, no qual a bactéria atinge outros linfonodos do organismo do animal, causando abscessos em outras regiões como pulmões, fígado, baço até no cérebro do cavalo. Então, se houver uma ruptura, ele pode morrer por uma infecção generalizada.

Agora que você já sabe os sinais de alerta da doença, deve também levar em consideração as formas da transmissão, continue lendo esse artigo para descobrir quais os cuidados deve adotar.

 

Como ocorre sua transmissão?

O contágio da adenite equina acontece de duas maneiras:

Direta:  Na maneira direta de contaminação, o cavalo pode adquirir a doença pelo contato com outros animais infectados ou pelos que já estão se recuperando e possuem o patógeno no seu organismo. Portanto, é necessário que você separe os equinos contaminados dos demais.

Indireta: Acontece através de objetos entrarem em contato com equinos infectados. Como por exemplo, buçal (equipamento colocado na cabeça e no pescoço), estábulos e pastagens contaminados com secreções.

Depois de saber os tipos de transmissão do garrotilho, você deve estar se questionando como tratar a doença do jeito correto, é sobre isso que abordamos no próximo item.

 

Diagnóstico e tratamento da adenite equina

O diagnóstico da enfermidade pode ser dado por um médico veterinário a partir da observação do quadro clínico, isolamento da bactéria, por meio da secreção nasal ou pelo material retirado dos abcessos.

Após ser diagnosticado, o cavalo é tratado de acordo com o estágio da doença. Geralmente, o tratamento consiste em realizar compressas quentes diárias sobre o abcessos. E em casos mais sérios, a intervenção é a base de anti-inflamatórios prescritos por profissional capacitado.

Como o garrotilho é uma enfermidade transmissível, é importante isolar os animais contaminados por pelo menos quatro semanas. Posteriormente, é fundamental fazer a desinfecção de todos os materiais que entraram em contato com o animal doente, como cochos e baias.

Agora que você já ficou por dentro do assunto, consegue entender o quanto é importante ter o conhecimento prático no atendimentos dos equinos? Reconhecer os principais sinais de doenças e principalmente, tomar decisões corretas em situações emergenciais, pode salvar a vida do animal. Confira essa dica que fará toda a diferença:

Curso de Primeiros Socorros em Equinos

 

Fonte: Syntec Vet e JA Saúde Animal

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Equinos

Atualizado em: 8 de outubro de 2018

Artigos Relacionados