Integração Lavoura-Pecuária (ILP): o Que É, Quais São Seus Principais Objetivos, e Como Pode Ser Usada para Preservação do Meio Ambiente

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

p { margin-bottom: 0.21cm; }a:link { }

Um método que é muito usado pelo homem do campo é a integração lavoura-pecuária (ILP), que pode ser definida como a diversificação, rotação, consorciamento e/ou sucessão das atividades de agricultura e de pecuária dentro da propriedade rural de forma harmônica, constituindo um mesmo sistema, de tal maneira que há benefícios para ambas. Possibilita, como uma das principais vantagens, que o solo seja explorado economicamente durante todo o ano ou, pelo menos, na maior parte dele, favorecendo o aumento na oferta de grãos, de carne e de leite a um custo mais baixo devido ao sinergismo que se cria entre a lavoura e a pastagem (Alvarenga, 2004). Então como citado acima este método é um método sinergista onde o produtor rural poderá conduzir um ciclo de produção como exemplo a produção de grãos, como milho que será colhido e usado no silo para alimentar futuramente seu gado, que aumentará a produção de leite e carne, e assim recomeçando o ciclo.

Segue abaixo alguns tipos de uso da Integração Lavoura- Pecuária.

Principais objetivos da (ILP):

 

  • Recuperação ou reforma de pastagens degradadas.

  • Melhora das condições físicas e biológicas do solo com a pastagem na área de lavoura.

  • Recuperação da fertilidade do solo com a lavoura na área de pastagens degradadas.

  • Produzir pasto, forragem conservada e grãos para alimentação animal.

  • Reduzir os custos, tanto da atividade agrícola quanto da pecuária.

  • Aumentar a estabilidade de renda do produtor.

A integração lavoura-pecuária (ILP) é capaz de aumentar a eficiência dos sistemas produtivos e proporcionar qualidade ambiental, desenvolvendo a agricultura e a pecuária. A ILP reduz a pressão pela abertura de novas áreas. A partir de sua implementação, pode-se recuperar o potencial produtivo das propriedades, aumentar a produção de grãos, carne e leite, garantindo a sustentabilidade dos sistemas, melhorando o manejo e a conservação do solo e da água e elevando a renda do produtor rural.

Em 10 anos, o Brasil pode deixar de desmatar 40 milhões de hectares se passar a adotar técnicas conservacionistas e sensibilizar seus produtores quanto ao uso de sistemas viáveis e que preservem o ambiente.

Equipe CPT- Cursos Presenciais Agronomia .com

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •   
  •  
Sem categoria

Atualizado em: 8 de maio de 2018

Artigos Relacionados